II Edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra

Vários estudos mostram que há resultados educacionais significativamente piores entre os jovens negros e as jovens negras quando comparados aos de brancos e brancas. Em 2010, a porcentagem de jovens de 15 a 17 anos cursando o Ensino Médio era de 55% entre os brancos e 41% entre os negros (Censo/IBGE 2010). Entre os jovens de 18 e 19 anos, 47% dos brancos haviam concluído o Ensino Médio enquanto somente 29% dos negros finalizaram essa etapa (Censo/IBGE 2010).

Do Baoba

O II Edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra visa contribuir para o desenvolvimento e a implementação de práticas inspiradoras de gestão escolar que busquem elevar os resultados educacionais dos jovens negros e negras na rede pública de Ensino Médio. O objetivo é identificar, reconhecer e acompanhar projetos com foco na gestão que se proponham a enfrentar de forma criativa as desigualdades raciais no ambiente escolar e promovam a melhoria da qualidade da educação dos jovens negros e negras.

Desenvolvido pelo Baobá – Fundo para Equidade Racial, pelo Instituto Unibanco e pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), este edital é direcionado a escolas públicas de Ensino Médio e Organizações Sociais legalmente formalizadas com comprovada atuação na área da Educação e superação das desigualdades raciais.

Os projetos deverão privilegiar, de forma articulada, três eixos de ação:

1) Valorização da diversidade/diferenças (currículo, ações setoriais, etc.)

2) Combate às desigualdades (caminhando para a equidade: formação de professores, ações que visem a melhoria dos indicadores escolares de desempenho, como taxas de abandono, reprovação e frequência, e que a estimulem).

3) Estímulo ao protagonismo juvenil

Como responsável na escola pelo projeto, o gestor (ou grupo gestor) deve diagnosticar e dimensionar os aspectos existentes no ambiente escolar que incidam sobre a diversidade e, ao mesmo tempo, delinear no projeto proposições de enfrentamento das desigualdades raciais identificadas.

O edital selecionará 10 projetos, que receberão apoio financeiro de até R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais) cada um, monitoramento do Fundo Baobá e avaliação da UFSCar durante seu desenvolvimento ao longo de 2017 em escolas públicas brasileiras.

Educação de qualidade é sinônimo de escolas diversas, equânimes e inclusivas, e que reconhecem na gestão escolar a grande liderança para integrar as ações que contribuam para isso.

As inscrições estão abertas até 30 de novembro. Clique aqui e inscreva-se agora mesmo!

Participe!

MANUAL DO EDITAL

+ sobre o tema

Bolsista do ProUni convida Lula para festa de formatura

A estudante de jornalismo Rita Correa Garrido, de 26...

UNEafro abre inscrições para cursinho

UNEafro abre inscrições para cursinho VAGAS ABERTAS 2017 Você quer ser...

Universitários brasileiros são brancos, moram com os pais e estudam pouco

Pesquisa traçou perfil do estudante que cursa os últimos...

Como a Academia se vale da pobreza, da opressão e da dor para sua masturbação intelectual

Texto originalmente publicado em RaceBaitR como “How Academia Uses...

para lembrar

13 Possíveis temas de Redação do Enem 2016

Os estudantes que desejam ingressar no ensino superior precisam...

Educação física, arte, sociologia e filosofia ficam no Ensino Médio

A Câmara dos Deputados decidiu incluir na reforma do...

Nova Zelândia oferece bolsas de estudo para brasileiros; veja como participar

Quem sempre teve o sonho de estudar no exterior,...

A crítica de Marcien Towa às doutrinas de identidade africana

O presente trabalho propõe tematizar a crítica que o...
spot_imgspot_img

Geledés – Instituto da Mulher Negra abre novas turmas do Curso de Multimídia online e para todo Brasil 

O projeto de comunicação do Geledés – Instituto da Mulher Negra está abrindo novas turmas de formação em multimídia em parceria com o Zoom...

Faculdade de Educação da UFRJ tem primeira mulher negra como diretora

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana...

O que a proibição de livros nos diz sobre o futuro que nos aguarda

Reportagem da Agência Pública mostrou que existe um movimento coordenado para barrar a entrada de determinados livros no sistema prisional de Minas Gerais. Apenas títulos...
-+=