segunda-feira, abril 12, 2021

Tag: juventude negra

Alexandre, Lucas e Fernando Henrique foram vistos pela última vez no dia 27 de dezembro do no passado (Foto: Reprodução/Facebook)

Após 25 dias, o que se sabe sobre o desaparecimento de 3 meninos no Rio de Janeiro

Lucas Matheus, de 8 anos, o primo dele Alexandre da Silva, 10, e Fernando Henrique, 11, foram vistos pela última vez no dia 27 de dezembro do ano passado, no Morro do Castelar, em Belford Roxo. Os meninos teriam saído por volta das 10h30 para brincar juntos em um campo de futebol perto do condomínio onde eles vivem, mas nunca retornaram para casa. A demora na resolução do caso pela polícia levou moradores e familiares a realizarem protestos cobrando respostas. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense investiga o caso. Em nota à BBC News Brasil, a Polícia Civil do Rio de Janeiro afirmou que agentes "continuam a realizar diligências em busca de informações que ajudem a localizar as crianças e esclarecer o caso". Quase um mês depois, o caso tem mais perguntas do que respostas. Nos dias seguintes, familiares receberam uma série de pistas falsas sobre o sumiço — ...

Leia mais
Silvia, avó de dois dos três meninos desaparecidos, tem ido todos os dias à DHBF. Pistas - muitas delas falsas - chegam direto pelo seu celular (Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo)

Avó de meninos desaparecidos na Baixada relata drama: ‘Não consigo mais dormir, nem comer’

Os passos são lentos, mas firmes. Nem o ferimento no joelho esquerdo, consequência de um acidente de carro, no último dia 5 — quando foi verificar uma das dezenas de denúncias que recebeu sobre falsos paradeiros dos netos, Lucas, de 8 anos, e Alexandre, de 10 — deixa Silvia Regina da Silva, de 58, em casa. Avó de duas das três crianças desaparecidas há 18 dias em Belford Roxo, ela não permite que o cansaço a vença. É para ela que chegam as principais informações por aplicativos de mensagens e ligações, vindas de vizinhos e amigos do Morro do Castelar, onde fica o condomínio onde mora. — Não tem cansaço. Só sossego quando vir as minhas crianças em casa. Recebi muitas notícias falsas. Até dinheiro me pediram para entregar meus netos de volta, mas a pior notícia (falsa) eu recebi na noite do último domingo. Contaram que meus netos morreram ...

Leia mais

#Qualperfil? – origem de uma mobilização por equidade racial no mundo do trabalho

As indagações que movem essa campanha surgiram ao longo do projeto Central Solidaria de Oportunidades (CSO), uma iniciativa que busca identificar as possibilidades de troca e colaboração que existem entre os jovens de classe popular, empresários e organizações da sociedade civil que trabalham com juventudes nos municípios de São Gonçalo e Niterói, dentro do mercado de tecnologias da informação e comunicação. Por meio de uma plataforma na web, a CSO alimenta e cruza informações em um banco de dados para viabilizar oportunidade efetivas de ingresso de jovens previamente capacitados ao mundo do trabalho. A partir da experiência com o encaminhamento desses jovens, identificou-se uma constante: os jovens mantidos nas vagas eram majoritariamente brancos, e isso independia da sua qualificação, competência demonstrada nos cursos ou mesmo experiência. Buscando o embasamento de dados sérios para pensar o acesso da juventude negra de Niterói e São Gonçalo ao mundo do trabalho, a ONG ...

Leia mais
PAREM DE NOS MATAR - imagem Geledes Instituto da Mulher Negra

Não há mais urgente debate no país que o genocídio da juventude negra

Enquanto a classe média não cair em si para entender o drama da situação, seguirá alienada e reproduzindo outras violências Por  ANA INÊS ALGORTA LATORRE, da Carta Capital    PAREM DE NOS MATAR - imagem Geledes Instituto da Mulher Negra Ao acordar, leio estarrecida mais uma notícia sobre a letalidade policial no Rio de Janeiro. Do início do ano até maio, 434 pessoas – sim, 434 vidas humanas – foram mortas pela polícia carioca, o maior número em 21 anos, e segue crescendo. Enquanto isso, ao invés de manifestarem preocupação com a situação, que seria o mínimo a esperar delas, as autoridades estaduais e federais seguem prometendo o aumento no número de mortes. Fico sabendo de Gabriel, Elisabeth, Dyogo. Mortos aos 18, 17, 16 anos, todos jovens negros moradores de favelas do Rio. Dyogo foi morto pelas costas com um tiro de fuzil. Elisabeth recebeu dez ...

Leia mais
Foto: ARTSY SOLOMON - Nappy

Juventude e vida associativa nas periferias de São Paulo

Foto: ARTSY SOLOMON - Nappy por Gilberto Geribola Moreno no Scielo versão impressa ISSN 0103-4979versão On-line ISSN 1983-8239 Cad. CRH vol.31 no.84 Salvador set./dez. 2018 INTRODUÇÃO Este artigo tem por objetivo apresentar uma reflexão sobre a experiência política de jovens militantes que atuam em associações populares das periferias da cidade de São Paulo. Esses militantes e suas associações foram os objetos de estudo de uma pesquisa etnográfica multissituada (Marcus, 1995), que abordou um conjunto de cinco espaços associativos representativos de diferentes períodos históricos da cidade.1 A pesquisa realizada pelo autor visava a compreender as diferentes dimensões da ação coletiva e as percepções sobre as práticas desenvolvidas pelos sujeitos nas periferias da cidade de São Paulo, tendo por problemática as possíveis linhas de continuidade ou ruptura presentes na experiência política das diferentes gerações que atuam nos espaços associativos dos bairros periféricos. Foi abordado, por meio da etnografia, um conjunto de espaços associativos na periferia da zona sul da cidade ...

Leia mais

Ativistas elogiam campanha da ONU pelo fim da violência contra a juventude negra no Brasil

Em depoimentos para a ONU Mulheres, ativistas avaliam os oito meses da campanha Vidas Negras, uma iniciativa das Nações Unidas no Brasil pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Para as militantes, o projeto acerta ao debater abertamente o racismo e ao defender que todas as existências têm o mesmo valor. Da ONU Em depoimentos para a ONU Mulheres, ativistas avaliam os oito meses da campanha Vidas Negras, uma iniciativa das Nações Unidas no Brasil pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Para as militantes, o projeto acerta ao debater abertamente o racismo e ao defender que todas as existências têm o mesmo valor. “É importante quando alguém diz que vidas negras importam e coloca caras de homens e mulheres negras nessa perspectiva de dizer que essas vidas são importantes para a sociedade. Nós precisamos de campanhas como essa, que tenham coragem de colocar a cara do Brasil ...

Leia mais

Renata Prado: “É impossível conscientizar a juventude negra se ela não se empoderar”

Renata Prado é pedagoga, referência no tema sobre geração tombamento e uma das organizadoras da festa Batekoo. Ela é responsável por ministrar um curso sobre o tema em parceria do Coletivo Dijejê, que visa dar destaque à participação das mulheres e do grupo LGBTT no movimento. Entrevista / Pedro Borges Foto / Solon Neto Do Alma Preta  Renata Prado é pedagoga, referência no tema sobre geração tombamento e uma das organizadoras da festa Batekoo. Ela é responsável por ministrar um curso sobre o tema em parceria do Coletivo Dijejê, que visa dar destaque à participação das mulheres e do grupo LGBTT no movimento. Faça aqui a sua inscrição. As últimas vagas podem ser preenchidas até o dia 5/03, domingo. Qual a importância da geração tombamento para o debate acerca das opressões de raça, gênero, sexualidade e classe? É necessário que a geração tombamento compreenda como funciona o sistema que foi imposto para a ...

Leia mais

Violência contra juventude negra é tema de concurso nacional de reportagem e vídeo-série

Cerca de 23.100 jovens negros de 15 a 29 anos são assassinados todos os anos no Brasil. São 63 por dia, um a cada 23 minutos. Os números são do Mapa Da Violência de 2014, produzido com base em números oficiais do Ministério da Saúde. Resgatar as histórias de vidas abreviadas e reduzidas em estatísticas e problematizar as diversas formas de violências que atingem a juventude negra brasileira são objetivos do projeto “A Juventude Comunica o Direito a Vida”, lançado pela Revista Afirmativa. Por Divulgação Do Divulgação A iniciativa premiará reportagens inéditas de jornalistas recém-formados e estudantes de jornalismo. Os três primeiros colocados serão premiados com R$ 2.000.00, R$1.200 e R$500,00, respectivamente, e terão seus textos publicados no portal da revista. Já o material selecionado em primeiro lugar também será veiculado na edição impressa, que terá 50% de sua tiragem distribuída gratuitamente em cursos pré-vestibular comunitários e articulações de jovens negros da ...

Leia mais

Violência contra a juventude negra é tema de reportagem e vídeos-série

Inscrições seguem até o dia 15 de dezembro no site da Revista Afirmativa   Da Revista Afirmativa Cerca de 23.100 jovens negros de 15 a 29 anos são assassinados todos os anos no Brasil. São 63 por dia, um a cada 23 minutos. Os números são do Mapa Da Violência de 2014, produzido com base em números oficiais do Ministério da Saúde.   Resgatar as histórias de vidas abreviadas e reduzidas em estatísticas e problematizar as diversas formas de violências que atingem a juventude negra brasileira são objetivos do projeto “A Juventude Comunica o Direito a Vida”, lançado pela Revista Afirmativa.   A iniciativa premiará reportagens inéditas de jornalistas recém-formados e estudantes de jornalismo. Os três primeiros colocados serão premiados com R$ 2.000.00, R$1.200 e R$500,00, respectivamente, e terão seus textos publicados no portal da revista. Já o material selecionado em primeiro lugar também será veiculado na edição impressa, que terá 50% ...

Leia mais

II Edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra

Vários estudos mostram que há resultados educacionais significativamente piores entre os jovens negros e as jovens negras quando comparados aos de brancos e brancas. Em 2010, a porcentagem de jovens de 15 a 17 anos cursando o Ensino Médio era de 55% entre os brancos e 41% entre os negros (Censo/IBGE 2010). Entre os jovens de 18 e 19 anos, 47% dos brancos haviam concluído o Ensino Médio enquanto somente 29% dos negros finalizaram essa etapa (Censo/IBGE 2010). Do Baoba O II Edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra visa contribuir para o desenvolvimento e a implementação de práticas inspiradoras de gestão escolar que busquem elevar os resultados educacionais dos jovens negros e negras na rede pública de Ensino Médio. O objetivo é identificar, reconhecer e acompanhar projetos com foco na gestão que se proponham a enfrentar de forma criativa as desigualdades raciais no ambiente escolar e promovam ...

Leia mais

Impeachment: o que pensa a juventude negra?

Entre as contradições de 13 anos de governo petista, à beira de um impeachment, jovens negros apontam o bônus e o ônus das administrações de Lula da Silva e Dilma Rousseff Texto: Pedro Borges e Vinicius Martins / Edição de Imagens: Pedro Borges No Alma Preta  No domingo (17), a Câmara dos Deputados, sob a coordenação do seu presidente, Eduardo Cunha, aprovou a abertura do pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Foram 367 votos contrários e 137 favoráveis à presidenta. Houve 7 abstenções e 2 ausências. A aprovação na Câmara dependia de 342 votos favoráveis entre os 513 deputados da casa.O processo agora segue para o Senado, instância responsável por julgar a denuncia. A presidenta é acusada de cometer crimes de responsabilidade relacionados aos atrasos nos repasses aos bancos públicos, sob a justificativa de maquiar um déficit nas contas do governo. As acusações incluem o aumento de gastos públicos sem a aprovação do ...

Leia mais

Cresce número de mulheres chefes de família e de jovens negros universitários

Dados da SIS 2015 (Síntese de Indicadores Sociais), pesquisa produzida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e divulgada nesta sexta-feira (4), mostram que, em dez anos, aumentou a participação feminina na condição de responsável pelos domicílios onde vivem casais com filhos. Por Hanrrikson de Andrade Do Uol Em 2004, 3,6% das casas brasileiras onde moravam casais e pelo menos um filho tinham a mulher como chefe da família. Já em 2014, essa proporção chegou a 15,1% (alta de 11,5 pontos percentuais). Em uma década, o IBGE também constatou crescimento na proporção de universitários na faixa etária de 18 a 24 anos --de 32,9%, em 2004, para 58,5%, em 2014--, com destaque para o recorte por cor ou raça, de acordo com os critérios de classificação do instituto. Do total de estudantes pretos ou pardos de 18 a 24 anos, 45,5% estavam na universidade no ano passado. Há dez anos, essa ...

Leia mais

Assembleia realiza sarau de lançamento da Frente Parlamentar pelos Direitos da Juventude

A Frente com 46 adesões, entre membros e apoiadores, foi proposta pela deputada Leci Brandão e será coordenada em conjunto com o deputado Caio França (PSB) Enviado para o Portal Geledés Na próxima quarta-feira, 21/10, às 16h, a deputada Leci Brandão (PCdoB) e o deputado Caio França (PSB) vão realizar um sarau de lançamento da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Juventude, no auditório Paulo Kobayashi da Assembleia Legislativa. A Frente conta com o apoio de 46 parlamentares e, principalmente, com a mobilização e apoio de movimentos sociais e de juventude como estudantes, artistas, coletivos da periferia e de mídia como o Fora do Eixo. “É muito gratificante para nós porque estamos aqui para dar voz às pessoas e não para falar em nome delas o tempo todo. A juventude precisa participar e ser ouvida na hora de falarmos sobre políticas públicas. Afinal, os jovens são o futuro desse país e os maiores interessados no tema”, ...

Leia mais

Curta feito por jovens da periferia de SP é eleito para festival em Londres

Um curta-metragem feito por 14 jovens da periferia de São Paulo, como trabalho final de um curso gratuito de cinema, sequer estreou nas salas do país e já foi selecionado para integrar um festival em Londres, que acontece até o dia 5 de setembro. O filme "Samba e Silêncio", dirigido por Bianca Martino, 19, será exibido no InShort Film Festival como parte da mostra "Brazil in Focus", que inclui outros cinco curtas nacionais: os documentários "Meu Guri – Além do Castigo" (2014) e "Proibidão" (2012), as ficções "Nego" (2011) e "A Rua É Pública" (2013), e o experimental "Maldito Judim" (2010). Por Luna D'Alama Do Uol A trama, de pouco mais de cinco minutos, apresenta uma família (a mãe, Cida, e o filho, Jonathan) que enfrenta a perda do pai, Tião, morto de forma repentina. O homem deixou a rádio comunitária que comandava e uma mulher em depressão, que coloca um ...

Leia mais

Para eles, não há motivo algum para adotar o “deboísmo”

Um dos temas que tem circulado pelas redes sociais nos últimos dias é sobre o tal "Deboísmo",(ficar de "boas"), ou seja, uma "filosofia" que ressalta a famosa convivência pacífica entre pessoas com opiniões diferentes e a tolerância, em resposta à animosidade que vem afetando as relações entre as pessoas, por conta de questões políticas, esportivas, de segurança e um leque extenso de outras situações cotidianas. Por Mônica Francisco, do Jornal do Brasil  Muito louvável o gesto dos dois jovens responsáveis pela ideia, um casal de namorados de Goiânia, Laryssa de Freitas e Carlos Abelardo. Agora a tarefa é inglória, se pensarmos nas realidades que atravessam as vidas de milhares de outras e outros jovens, contemporâneos do casal e que vivem nas grandes periferias das cidades. Isto tem sido, acredito eu, um dos maiores desafios de nosso tempo. Penso que para o nível de opressão e violência a que são submetidos(as) nossos(as) ...

Leia mais

Março será ‘Mês do Hip Hop: De las Calles para as Ruas’, em São Paulo

Evento realizado em várias regiões da capital paulista tem objetivo de efetivar a Semana do Hip Hop. Oficinas, debates e apresentações discutem juventude, racismo institucional e garantia de direitos No Rede Brasil Atual  A cidade de São Paulo recebe de hoje (2) até o dia 28 oMês do Hip Hop: De las Calles para as Ruas, com atividades em vários bairros da capital. O evento deve reunir artistas de diferentes países com o objetivo de efetivar a Lei municipal 14.485/2007, que instituiu a Semana do Hip Hop, além de proporcionar a troca de experiências e valorizar esse gênero musical. Promovido a partir de uma parceria entre as secretarias municipais de Cultura, de Educação, de Promoção da Igualdade Racial e o Movimento Hip Hop, o festival deve contar com apresentações de artistas, com freestyle, rimas, danças e sessões de bate-papo. Oficinas sobre os quatro elementos que compõem o gênero (DJ, Mc, ...

Leia mais

Vem aí o II Seminário Estadual do Coletivo Enegrecer

Durante os dias 16, 17 e 18 de janeiro, em Macaé, o Coletivo Nacional da Juventude Negra – Enegrecer promoverá o seu II Seminário no Estado do Rio de Janeiro – “Juventude Negra e o Rio de Janeiro: Desafios para o próximo período”. Por Walmyr Júnior  Do Jornal do Brasil  O Coletivo Enegrecer se reúne para esse seminário com o objetivo de avaliar os recentes acontecimento políticos: a reeleição da presidenta Dilma para seu segundo mandato - o quarto seguido do Projeto Democrático e Popular no Brasil. Lembrando que neste últimos quatro anos aconteceram os maiores avanços das políticas afirmativas para o povo negro. E a eleição do novo governo no Rio de Janeiro, que na contramão do projeto nacional, vem aprofundando um modelo excludente, higienista, que constrói muros entre o Rio dos ricos e Rio dos mais pobres, que promove através das políticas de Segurança Publica, um verdadeiro genocídio da ...

Leia mais
Direitos Humanos no Brasil: olhando para a frente.

Direitos Humanos no Brasil: olhando para a frente

Quais as expectativas para os direitos humanos no Brasil em 2015? Os protestos dos últimos anos, as mobilizações sociais e a campanha eleitoral levantaram várias questões não resolvidas Por Maurício Santoro* Quais as expectativas para os direitos humanos no Brasil em 2015? Os protestos dos últimos anos, as mobilizações sociais e a campanha eleitoral levantaram várias questões não resolvidas, que estão no centro da vida cotidiana do país. O Brasil é a nação com o maior número de homicídios do mundo, mais de 50 mil por ano.  Mais da metade das vítimas são jovens entre 15 e 29 anos e, destes, 77% são negros.  A Anistia Internacional lançou, em novembro, a campanha “Jovem Negro Vivo” para chamar a atenção da sociedade brasileira para a gravidade do tema e cobrar respostas das autoridades para enfrentá-lo. Esse debate é inseparável da reforma das forças de segurança, que atuam com extrema violência. Em cinco anos, ...

Leia mais
Página 1 de 2 1 2

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist