Irmandade de Nossa Senhora do Rosário é atacada em rede social por ex-prefeita de Ribeirão das Neves em Minas Gerais

A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário expressa em nota, repúdio por sofrer racismo e  intolerância religiosa por parte de uma ex-prefeita de Ribeirão  das Neves/MG.

Por Mônica Aguiar, do Mulher Negra 

A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário comunidade Quilombola e congadeira centenária há 128 anos, Ribeirão das Neves cidade metropolitana de Minas Gerais, tornou publico em nota, seu completo repúdio aos crimes de racismo, intolerância religiosa praticados pela ex-prefeita e ex-vereadora de Ribeirão das Neves/MG, por meio da rede social “Facebook”, Gracinha Barbosa a Comunidade.

O fato ocorreu na manhã do ultimo dia 21, assim que um candidato a prefeito da cidade deu publicidade nas redes socais de sua visita à comunidade Nossa Senhora do Rosário que estava paramentada.

Não perdendo tempo a ex.prefeita que é esposa e coordenadora de campanha de também  um candidato a prefeito pelo PMDB nestas eleições, compartilhou em rede social a foto referindo o seguinte comentário:

denuncia

“Gente estou adoecendo, orem por mim, o cantor (o candidato) tá na macumba, misericórdia, a coordenadora (de campanha) sou eu, mas me ajuda aí.”

 

Depois de questionada por inúmeras pessoas indignadas ao ler o teor racista, preconceituoso e discriminatório do comentário pejorativo publicado, a ex-prefeita tem a coragem de dar resposta aos comentários de forma injuriosa e difamatória sobre a centenária Irmandade do Rosário. Comentários extremamente ultrajantes, que a direção não quis reproduzidos.

Supondo que a ex-prefeita apagaria as publicações das redes sociais diante da já manifestada indignação pública, as dirigentes da Irmandade recolheram devidamente as publicações, e pretende fazer a denuncia formal, o mais breve possível aos órgãos competentes. Além de já estar encaminhando a nota a varias instituições do movimento.

Na nota a Comunidade informa que não esta apoiando oficialmente nenhum candidato, que todos os candidatos a prefeito da cidade foram convidados a visitar a comunidade e apresentar suas propostas para a cultura e cidade.

Este é um movimento político, realizado em todas as eleições por parte da instituição, de acordo com a Nota, é conhecido na região, por abrir espaço para todos e todas cumprindo com a prerrogativa democrática, já que os membros da comunidade também necessitam conhecer bem as propostas políticas dos candidatos. Além do exercício de cidadania e ensinamento do esclarecimento político como direito de todas e todos.

Trechos da Nota

……………..Mediante tal comentário injurioso e difamatório de nossa ex-prefeita nos cabe esclarecer primeiramente que nossa religião é católica e que nós não “adoecemos” ninguém, muito ao contrário, em todas as nossas práticas rezamos sempre a Deus e a Nossa Senhora do Rosário pedindo paz, saúde e bênçãos, sem nenhum tipo de distinção social, para todos em nossa comunidade, estado e país. Estarrece-nos absolutamente que alguém que já tenha exercido um cargo publico tão importante para a nossa cidade e que esteja agora diretamente envolvida no atual pleito eleitoral manifeste publicamente tanta ignorância, obscurantismo e preconceito sobre a nossa Irmandade do Rosário. Uma comunidade cristã tradicional que é nacionalmente reconhecida por sua importância histórica e cultural. A menção no post referente à “macumba”, vale esclarecer, foi intencionalmente usada para referir-se pejorativamente as nossas seculares práticas culturais, impregnadas que são pela riquíssima história da ancestralidade afro-brasileira. Uma vez que é pública e notória a conotação negativa que esta palavra adquiriu coloquialmente no Brasil nas últimas décadas como resultado das inúmeras ações de racismo e intolerância religiosa praticadas por diversos segmentos da sociedade brasileira, especialmente contra os praticantes do Candomblé, da Umbanda e das demais religiões de matriz Africana, que, como é sabido, tampouco têm e jamais tiveram em seus fundamentos religiosos tradicionais o propósito de adoecer ou causar mal algum a qualquer individuo. Como já havia ocorrido recentemente com outras Irmandades Católicas tradicionais do nosso estado, infelizmente desta vez a nossa querida Irmandade do Rosário de Justinópolis é que foi a vitima do racismo e da intolerância religiosa que tanto envenenam a nossa sociedade na atualidade. A Constituição da República Federativa do Brasil no seu artigo 5º diz: Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, …..

congado-a

Fotos Regina Coelho – Irmandade de Nossa Senhora do Rosário

Fonte : Rosane Almeida –  Irmandade de Nossa Senhora do Rosário

+ sobre o tema

Primeira mulher trans a liderar bancada no Congresso, Erika Hilton diz que vai negociar ‘de igual para igual’

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) foi aclamada nesta quarta-feira como...

Estrela do Carnaval, ex-passista Maria Lata D’Água morre aos 90 anos em Cachoeira Paulista, SP

A ex-passista Maria Mercedes Chaves Roy – a ‘Maria...

Aos ‘parças’, tudo

Daniel Alves da Silva, 40 anos, 126 partidas pela...

Iniquidades raciais e as mudanças do clima

O verão brasileiro, embora conhecido pelas belíssimas praias, férias...

para lembrar

ITÁLIA: Kadhafi pede 5 mil milhões de euros à UE para evitar “Europa negra”

O líder líbio, Moammar Kadhafi, deixou hoje Itália...

A rede sueca H&M é acusada de racismo após anúncio com menino negro

A rede de fast fashion sueca H&M se envolveu...

EUA: todos os jogadores de Futebol Americano admitem terem sofrido racismo

Uma pesquisa com os jogadores de Liga Nacional de...
spot_imgspot_img

Na mira do ódio

A explosão dos casos de racismo religioso é mais um exemplo do quanto nossos mecanismos legais carecem de efetividade e de como é difícil nutrir valores...

Intolerância religiosa representa um terço dos processos de racismo

A intolerância religiosa representa um terço (33%) dos processos por racismo em tramitação nos tribunais brasileiros, segundo levantamento da startup JusRacial. A organização identificou...

Intolerância religiosa: Bahia tem casos emblemáticos, ausência de dados específicos e subnotificação

Domingo, 21 de janeiro, é o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Nesta data, no ano 2000, morria a Iyalorixá baiana Gildásia dos...
-+=