Islândia dá lição de solidariedade e se oferece para receber refugiados

Os habitantes da Islândia deram uma lição de solidariedade após uma escritora do país fazer um apelo nas redes sociais.

Por Gabriela Bazzo Do Brasil Post

Bryndis Bjorgvinsdottir resolveu criar um grupo no Facebook pedindo que o governo aumente a cota de refugiados que pretende receber anualmente. Atualmente, o número previsto é de apenas 50 pessoas por ano.

Diante do apelo, mais de 12 mil islandeses – o país tem pouco mais de 300 mil habitantes – ofereceram suas casa para receber o enorme contingente derefugiados que chega à Europa todos os dias.

“Os refugiados são nossos futuros maridos e mulheres, melhores amigos ou almas gêmeas. Eles são os bateristas da banda dos nossos filhos, nosso futuro colega, a Miss Islândia 2022, o carpinteiro que finalmente vai terminar o banheiro, o atendente da cafeteria, o bombeiro, o gênio da informática ou o apresentador de televisão”, escreveu ela em uma carta aberta ao ministro do Bem Estar Social, Eygló Harðar.

Algumas mensagens na página oferecem aos recém-chegados comida, moradia, roupas e ensino: “Sou uma mãe solteira com um filho de seis anos de idade. Podemos adotar uma criança necessitada. Eu sou professora e poderia ensiná-la a falar, escrever e ler, além de ajudá-la a se ajustar à sociedade islandesa. Temos roupas, cama, brinquedos e tudo o que uma criança precisa. Eu, é claro, poderia pagar pela passagem aérea”, escreveu Hekla Stefansdottir, segundo a revista Time.

De acordo com o Guardian o primeiro ministro do país, Sigmundur Davíð Gunnlaugsson, afirmou que está ciente da crescente pressão popular, e disse que vai estabelecer uma comissão especial de ministros para discutir o tema e deliberar como “a Islândia pode contribuir o máximo possível”.

De acordo com dados do governo obtidos pelo jornal The Independent, a islândia recebeu 1.117 imigrantes em 2014. A Alemanha vem absorvendo a maior parte do fluxo de refugiados na União Europeia: o país já recebeu mais de 73 mil pedidos de asilo nos primeiros três meses do ano.

De acordo com o Global Peace Index, a Islândia é o país mais pacífico do mundo. Na outra ponta esta a Síria, que vive uma guerra civil desde 2011. Segundo aOrganização das Nações Unidas, mais de 4 milhões de pessoas deixaram o país e há mais de 7,6 milhões de deslocados internos.

+ sobre o tema

“Angú Incubado” Por: Zulu Araujo

Para quem não sabe, Angu é uma comida típica...

Minha Casa, Minha Vida: Governo amplia limite de renda para compra da casa própria

Rendimento mensal máximo sobe de R$ 4.900 para R$...

Serra chama negros tucanos ao Palácio para abafar crise

Fonte: Afropress     S. Paulo - A crise aberta com as...

para lembrar

Pessoas sem pátria e terra: a crise mundial de migrantes e refugiados em 2021

Das multidões sob uma ponte na fronteira dos Estados Unidos com...

Premiê finlandês oferece sua casa de campo a refugiados

O primeiro-ministro da Finlândia, Juha Sipilä, afirmou neste sábado...

O Brasil pelos olhos de nove crianças refugiadas que vivem em São Paulo

Quando viviam em seus países - Haiti, Síria, Arábia...

Quando o refugiado é branco europeu

"A cobertura mais racista da Ucrânia na TV" foi denunciada pelo jornalista Alan MacLeod em seu Twitter, reproduzindo falas ou textos, como, por exemplo,...

Uma semana após temporais, comunicador conta sobre solidariedade na BA

Nos últimos dias de dezembro, o comunicador Rick Trindade, 30, assistiu Itabuna, cidade no sul da Bahia onde nasceu e foi criado, ser transformada...

Pessoas sem pátria e terra: a crise mundial de migrantes e refugiados em 2021

Das multidões sob uma ponte na fronteira dos Estados Unidos com o México e venezuelanos caminhando pela América Latina aos campos de migrantes na Belarus e os esforços para realocar milhares de...
-+=