Italiano é preso suspeito de hostilizar judeu no Aeroporto do Galeão, no Rio

Este é o italiano Fabrizio Trinchero, pouco antes de ser detido hoje no Aeroporto Tom Jobim

Estrangeiro pagou fiança e vai responder à Justiça por injúria racial.
Advogado da vítima confirmou injúria e contou como ocorreu o crime.

por Patricia Teixeira no G1

Um iltaliano foi preso em flagrante por suspeita de injúria racial nesta quarta-feira (19), no Aeroporto Antonio Carlos Jobim (Galeão), na Zona Norte do Rio. Segundo o advogado da vítima Ricardo Brajterman, Fabrizio Trinchero – o estrangeiro preso – ofendeu o judeu carioca Leo Rabinovich, de 20 anos. A detenção foi confimada por funcionários do aeroporto.

O advogado conta que a voz de prisão foi dada pelo delegado Marcelo Nogueira, da Polícia Federal, que lavrou o auto de prisão em flagrante. Detido em flagrante, Trinchero foi levado para a delegacia da PF no aeroporto e foi autuado por injúria racial, crime pelo qual o italiano responderá à Justiça.

No início da noite desta quarta, o italiano pagou fiança fixada em R$ 2 mil e foi solto, de acordo com Ricardo Sidi, outro advogado da vítima, Leo Rabinovich.

“Leo estava na fila acompanhando a mãe, que ia embarcar para Itália, quando o italiano começou a fazer saudações nazistas, chamando o nome de Hitler e dizendo que ele deveria ter exterminado todos os judeus. A Polícia Federal foi acionada e deu voz de prisão ao cidadão”, conta Brajterman.

Segundo o advogado, Rabinovich e mais quatro pessoas prestaram depoimento na delegacia da Polícia Federal, no aeroporto do Galeão. Brajterman contou, ainda, que o italiano chorou muito ao ser preso e que pode ter seu visto cassado. Ele seria sócio de um estabelecimento comercial na Barra da Tijuca.

O caso também foi relatado na página do Facebook da Federação Israelita do Rio. Segundo a entidade, as ofensas começaram depois que o italiano percebeu que Leo usava um quipá (chapéu usado por judeus).

G1 entrou em contato com a Polícia Federal e com o consulado italiano, mas ainda não conseguiu falar com os responsáveis pelo caso na corporação nem com diplomatas que pudessem confirmar a situação do visto do italiano.

+ sobre o tema

Número de pretos e pardos inscritos no Enem cresce 29% em um ano

  Balanço sobre o 1º ano da lei de cotas...

Mais armas, mais mortes

Dois importantes estudos sobre violência letal alertam para a...

Seis possíveis skinheads são presos por agressão na Sé

  Seis possíveis skinheads foram presos suspeitos de agressão na...

Atriz desmente polêmica sobre cota de negros em ‘Amor à Vida’

Ana Carbatti garante que não foi chamada às pressas...

para lembrar

Neonazistas brasileiros saem da toca?

Antropóloga aponta principais características dos grupos neonazistas no Brasil,...

Justiça nega habeas corpus a americano acusado de racismo

A 2ª Câmara Criminal, do Tribunal de Justiça do...

MP-BA oferece denúncia contra cinco homens por envolvimento na morte de Mãe Bernadete

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) denunciou cinco homens...
spot_imgspot_img

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...
-+=