terça-feira, janeiro 31, 2023

Jamaica

A Jamaica tem uma cultura riquíssima. O povo é muito amistoso, o clima é excelente, a comida é ótima, a música é alta e as festas são animadíssimas e bastante freqüentes… Os apertos de mão, abraços e demonstrações de carinho são calorosos e freqüentemente são acompanhados de gesticulações e contatos. Os jamaicanos têm muito orgulho de sua terra e são excelentes embaixadores da hospitalidade da região do mar do Caribe.

O povo jamaicano vem de origens diferentes, o que resulta numa mistura das várias culturas. A maioria é descendente de escravos africanos que foram trazidos para o país pelos colonizadores europeus. Quase cada raça – africana, inglesa, espanhola, escocesa, indiana, chinesa, alemã, síria, dentre outras – deu a sua contribuição para a formação cultural do país. Muitos povos chegaram para conquistar, colonizar ou mesmo para buscar uma vida melhor, determinados a chamar esta ilha de lar. Misturaram-se e se fundiram, criando esta extraordinária mistura racial e cultural: o povo jamaicano. A maior influência foi resultado de 300 anos de ocupação inglesa. Ela é sentida no idioma e nos hábitos jamaicanos.

Jamaica é um país muito musical. O reggae é o estilo mais popular e uma marca registrada do país. Outros estilos misturam a percussão com mensagens políticas, religiosas e raciais. O jazz também é muito popular em toda a ilha. A música folclórica é um dos mais notáveis aspectos da herança cultural que quebra as barreiras sociais e unifica o país com sua ingenuidade e intensidade.

O rum, um de seus mais famosos produtos, é original da Jamaica e, por séculos, vem atraindo e deliciando os conhecedores pelo mundo. É uma bebida refrescante, mas muito forte!

Os jamaicanos são tradicionalmente muito religiosos e celebram muitos feriados cristãos, às vezes nem sempre como nos outros países. O Natal, por exemplo, é comemorado com festas, comunhão, concertos, reuniões de oração e cantos religiosos.

A refeição de Natal é muito apreciada pelo povo quando o prato tradicional, do tempo dos escravos, ainda hoje é servido: o pernil de porco. Durante o tempo da escravidão, o pernil era fortemente temperado com pimentas e especiarias, colocado dentro de cestas grandes, chamadas kreng-kreng, e colocados para cozinhar sobre fogo lento. O sorrel também era usado (e ainda é até hoje) para fazer uma bebida especial para a época natalina. Outra tradição natalina secular, que se mantém até hoje, é o Festival “Jonkonu”. Sua apresentação no Natal é simplesmente histórica! O festival foi concebido como uma oportunidade festiva permitida à classe escrava pelos proprietários, uma vez que o Natal era uma das poucas ocasiões onde os escravos eram aliviados de suas obrigações. Os dançarinos de Jonkonnu usavam roupas que representavam animais diversos (vaca, cavalo), o demônio, diferentes categorias de guerreiros ou uma personalidade conhecida como “Pitchy-Patchy”, que era o membro mais escandaloso e atlético do grupo. Sua roupa era geralmente feita de tiras de tecidos coloridos e camadas de folhas de plantas.

A família jamaicana é muito unida. Os pais são muito rígidos e incentivam seus filhos, desde a infância, a participar de atividades esportivas e escolares, além de tomar muito cuidado com suas amizades. Mas, apesar de serem muito severos, são também muito amorosos e sempre muito envolvidos com todas as fases da vida de seus filhos.

É muito importante para o homem jamaicano que ele pareça grande, mau, autoritário e sempre no controle da situação. As mulheres usam roupas bastante coloridas e freqüentemente usam panos e toucas na cabeça, enquanto a roupa dos homens é mais casual e ocidentalizada.

A cozinha jamaicana é uma fusão de muitas tradições étnicas com influências indígenas, espanholas, africanas, chinesas e inglesas, dentre outras. A combinação destes ingredientes culturais com os alimentos que são cultivados na ilha caribenha resulta em uma culinária interessante para ser explorada. O prato mais importante e comum é o arroz com feijão (ou ervilhas) cozido em leite de coco. Os mercados jamaicanos são cheios de manga de diversos tipos, lima, limão, banana, abacate, fruta-pão, graviola, ackee (fruta típica do país), berinjela, pimentão, pimentas diversas, tomate, batata doce e batata inglesa, cará, vegetais diversos, abacaxi, coco, tamarindo, gengibre, peixe fresco, caranguejo, moluscos, carne de galinha, de cabra e de porco… enfim, um lugar excelente para conhecer as especialidades locais e entender esta exótica culinária.

A comida jamaicana é normalmente muito apimentada. Um típico almoço ou jantar são lautas refeições e duram, pelo menos, uma hora. Normalmente são feitas três refeições por dia. A família se reúne para o jantar que acontece, geralmente, por volta das 6h da tarde, especialmente nas áreas rurais. Um típico café da manhã jamaicano consta de ackee (fruta natural do país que, quando cozida, apresenta uma incrível semelhança com ovos mexidos) servido com bacalhau, além de bolinhos fritos e cozidos, bammy frito (uma massa de mandioca em formato de panqueca), banana cozida e inhame ou batata doce. Um típico almoço jamaicano consta de patty (espécie de pastelzinho cozido, cuja massa é feita de carne e pão), pão de cacau, bolo de passas, queijo e torta de vegetais.

Para o jantar, a preferência é galinha ou camarão com curry, peixe escovitch, peixe cozido no vapor, rabada, arroz com ervilhas cozidas, carne de porco cozida e tripa com feijão.

O prato mais popular do país é o jerk, um termo que descreve o processo de cozimento da carne que é marinada e posta para cozinhar lentamente em uma espécie de churrasqueira, um fogo feito fora de casa, com uma madeira especial, o que dá à carne um sabor especial.

Banana grelhada é uma das sobremesas favoritas na Jamaica. Populares também são o pudim de batata doce e a goiabada com queijo. Em uma refeição ligeira, comem patty (pastelzinho de carne cozido), o que, aliás, é comido no país desde a manhã até a noite. É realmente uma preferência nacional! A bebida preferida dos jamaicanos é o excelente café das Montanhas Azuis. Algumas especialidades do país podem ser citadas, tais como: a Mannish Water – uma sopa que tem a fama de curar infertilidade, impotência e até resfriados comuns – feita de cabeça e pés de cabra e a Cowcod, que é uma sopa feita com banana, inhame, rum e “cowcod” (um segredo jamaicano).

Chá é o termo genérico usado para se referir a qualquer bebida quente ou fermentada. Pode ser de ervas, misturado com rum, leite, especiarias e até peixe. Mas, quando pedir um chá após a refeição, tenha certeza de que não estão trazendo um chá de marijuana ou de cogumelos alucinógenos (cogumelos cuja ingestão causa alucinações)…

Dentre as bebidas geladas muito populares está o Sky juice, feito de gelo raspado temperado com xarope, além da água de coco (direto da fruta). Cerveja e rum são as bebidas alcoólicas mais procuradas e o café jamaicano das Montanhas Azuis está entre os mais saborosos do mundo.

O sistema de ônibus na Jamaica é o exemplo típico do caos! As tabelas de horários não existem e os ônibus, quando finalmente aparecem, estão sempre literalmente lotados. O lado bom é que eles são baratos e proporcionam uma excelente ocasião de encontrar os locais. A locomoção de ônibus na Jamaica pode ser divertida, frustrante, estranha ou mesmo irritante, dependendo do estado de espírito do passageiro…

Algumas palavras em patuá (um dialeto com uma cadência e ritmo próprios do país; uma evolução do Inglês Crioulo e temperado com termos africanos, portugueses e espanhóis):

Meu amigo – Mi Fren
Pequeno – Likkle
Mãe – Mada
Perguntar – Ax
Pai – Fada
Menino – Bwoy
Comer – Nyam
Menina – Gal

http://www.jamaicans.com/
Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench