Jovem da Fundação CASA de Iaras cria palestra sobre bullying

foto: Eliel Nascimento

Adolescente, que já foi vítima de preconceito, relatou suas pesquisas e vivências para jovens em cinco centros da Instituição 

Foi durante uma oficina do Comitê Institucional do Quesito Cor (que tem como missão discutir questões relativas à diversidade étnico-racial), que o jovem André (nome fictício), de 18 anos, em medida socioeducativa no centro da Fundação CASA Madre Tereza de Calcutá I, da cidade de Iaras, decidiu se interessar mais sobre a questão do bullying e do preconceito.

por Laureen Mello Nottolini via Guest Post para o Portal Geledés

A motivação de André foi uma situação vivida por milhares de jovens negros no Brasil: a discriminação. De acordo com a coordenadora pedagógica, Talita Souza Sales Batista, inicialmente, ele não se interessava muito pelo assunto. “Mostramos para ele a importância da participação dele nesse debate. Conforme as aulas do Quesito foram acontecendo, o André tomou gosto pelo assunto e agora discute tudo muito ativamente”, disse.

Incentivado e auxiliado pela pedagoga, Luciana de Paula, que ministra as oficinas no centro socioeducativo, André pesquisou referências, informações, ideias e por fim, juntou tudo e elaborou uma palestra sobre a questão.

Assim, o jovem apresentou seu ponto de vista para os demais jovens do CASA sobre a situação, abordando pontos como os danos e consequências causados pelo preconceito na autoestima, a discriminação racial, a injustiça e o sentimento de angústia de quem é vitimado pelo bullying.

Após apresentar a palestra no centro socioeducativo, o jovem foi muito aplaudido pelos demais. Foi nesse momento que a equipe de referência, juntamente com o jovem, tiveram a ideia de abordar o mesmo assunto no centro CASA Madre Tereza II. Aprovado também pelos jovens de lá, foi a vez de apresentar para as adolescentes dos centros socioeducativos femininos Cerqueira César I e II e por fim no CASA Rio Novo (em Iaras).

Agora, o jovem pretende continuar apresentando sua palestra nos demais centros que compõe a região de Iaras, Botucatu e Bauru, conhecida como Divisão Regional Sudoeste (DRS), e se dedicar ao ativismo em prol da redução do preconceito e do bullying.

+ sobre o tema

A hipocrisia no trato do aborto

A lei seca nos Estados Unidos desenvolveu as máfias,...

Coletor menstrual: por que não falamos dele?

À primeira vista, ele parece um cálice feito de...

Nota de pesar – José Gregori

No último domingo, 3 de setembro, o Brasil perdeu...

para lembrar

Atual projeto de nação não tem lugar para povos indígenas, diz indígena e doutor em antropologia

Após manifesto de funcionários da Funai por um plano de ...

Desemprego feminino cresce duas vezes mais que o masculino

Fonte: Bem Paraná - Desde o agravamento...

Falta de Q.I.? Como ‘quem indica’ baixo trava ascensão de negros

Gerente de comunicação de uma agência governamental em Brasília,...

Mulheres são maioria entre empregados de fundações privadas, mas ganham menos

As mulheres representavam 62,9% do pessoal assalariado das fundações...
spot_imgspot_img

‘Geração ansiosa’: transtornos mentais em crianças que vivem grudadas no celular aumentam no mundo todo

Veja o vídeo da matéria Crianças e adolescentes do mundo todo estão em perigo. É o que diz o livro “A geração ansiosa”, do psicólogo...

Unicef lança campanha para reforçar o combate à violência sexual contra crianças e adolescentes

No último sábado (18) foi celebrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Em um esforço...

Curso introdutório de roteiro para documentário abre inscrição

Geledés Instituto da Mulher Negra está promovendo formações totalmente online para jovens negres em todo o Brasil. Com um total de 6 formações independentes...
-+=