Tag: bullying

    Paródia. Do grego parodía, 'canto ao lado de outro' Foto: Fernanda Rossi

    Concurso de paródia propõe humor sem bullying: ‘Temos que rir do opressor e não do oprimido’, diz organizador

    Humor sem bullying. Essa é a premissa do “Hoje eu vou parodiar”, concurso virtual idealizado pelo compositor e roteirista Edu Krieger e pela produtora cultural Danusa Carvalho, que oferece até R$ 2 mil em prêmios e arrecada fundos para profissionais da cultura em situação vulnerável na pandemia. A ideia do festival, cujo resultado será divulgado nas redes sociais no dia 20 de agosto, é espantar o baixo astral da quarentena e estimular criatividade e protestos respeitosos de compositores profissionais, amadores ou aventureiros de plantão. O regulamento do concurso é categórico ao ameaçar com desclassificação imediata músicas que resvalem em preconceito. Até agora, 500 paródias foram inscritas sob essa condição: a de apresentar releituras cômicas de composições evitando que a ironia e o deboche inerentes ao estilo reforcem homofobia, racismo ou sexismo, por exemplo.. — A paródia sempre riu das minorias, dos oprimidos — lembra Krieger, citando como exemplo o “Concurso ...

    Leia mais
    (Photo by Getty Images)

    Qual é a diferença entre bullying e racismo nas escolas?

    O livro Discriminação Racial é sinônimo de Maus-Tratos: A importância do ECA para a proteção das crianças negras, realizado pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert), traz importantes reflexões a respeito da defesa dos direitos humanos, ao assumirmos a problemática da discriminação racial no Brasil. Organizado por Hédio Silva Jr e Daniel Teixeira, o livro apresenta um artigo da Professora Doutora Ellen de Lima Souza, a respeito da diferença entre bullying e racismo. Por BRUNA RIBEIRO, do Estadão  (Photo by Getty Images) Em debates sobre educação antirracista, muito se fala sobre a urgência de admitirmos que racismo não pode ser tratado como bullying dentro das escolas. No texto Bullying não é sinônimo de racismo, a autora inicia a reflexão a respeito do entendimento colonial de que “diferença” e “desigualdade” são sinônimos, quando na verdade não são. Segundo a autora, as relações sociais foram polarizadas, fortalecendo ...

    Leia mais
    "Não é bullying, é racismo": o que dizem pais e especialistas sobre o tema Imagem: fizkes/iStock

    Filho chamou colega de ‘macaco’? Falar que é bullying camufla racismo

    Ser uma criança negra em ambientes em que as interações são feitas diretamente com outras crianças brancas, como festinhas de aniversário, brincadeiras no prédio e na escola, é viver cercado por um conceito nem sempre fácil de explicar, especialmente para os pequenos: o racismo estrutural. Por Nathália Geraldo, do Univesa Ele ganha voz quando um amiguinho chama o outro de "macaco", quando impede de brincar com outras crianças ou puxa o cabelo crespo do outro. Acontece que esses comportamentos, de acordo com especialistas, quase sempre são disfarçados e amenizados sob o nome de bullying — uma prática tão preocupante quanto os comentários racistas, mas que tem origem discriminatória diferente. Como identificar cada situação e o que fazer com as crianças envolvidas em episódios assim? Conversamos com mães e psicólogas para entender a diferença de racismo e bullying e como enfrentar o primeiro. "Não é bullying, é racismo" [caption id="attachment_148236" align="aligncenter" ...

    Leia mais
    Foto: Dernevaldo do Carmo

    “Há um racismo velado, naturalizado, e por muitas vezes explícito na escola”, diz Elenir Fagundes Freitas

    Assim como milhares de crianças negras, Elenir Fagundes Freitas, enfrentou situações de racismo no ambiente escolar. Logo na primeira série, na hora da fila, um menino se recusava a dar a mão para entrar na sala de aula. O motivo? Dizia que era por ela ser preta. Em uma família em que as mulheres alisavam o cabelo, ela ia de lenço na escola para evitar ser motivo de preconceito entre os coleguinhas. Como professora e educadora, Elenir passou a refletir sobre as possíveis maneiras de combater as práticas racistas no ambiente escolar. Com mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) e há 35 anos na área, Elenir tornou-se uma grande especialista no assunto. Ativista do movimento negro e representante da pasta da educação na entidade Educação e Cidadania para Afrodescendente (Educafro), Elenir fará a palestra “Racismo e Educação: como ajudar nossas crianças negras a enfrentá-lo” no dia 25 de ...

    Leia mais
    blank

    Adolescente com hidrocefalia conta como superou bullying e decidiu virar cantora

    Angel Wanjiru, de 14 anos, tem hidrocefalia congênita. Quando era pequena, perguntava à mãe: “Por que eu sou diferente das outras pessoas?”, “Por que as pessoas dão risada de mim?”. No BBC Brasil "Eu nunca me aceitei, então minha mãe me dizia todos os dias: 'Eu te amo, eu te amo, eu te amo'", diz a queniana. Wanjiru conta que lutar contra o preconceito é uma tarefa diária. "Ontem, uma pessoa riu de mim por causa da minha aparência. Eu comecei a chorar." O que fazer, então? “Eu ignoro”, diz ela. “Para as crianças como eu: aceitem-se da forma como foram criadas. Não importa se as pessoas dão risada de você. Não dependa delas porque elas não são quem criou vocês. É Deus. Então se aceite e nunca desista.” Angel Wanjiru, de 14 anos, superou o bullying e se tornou cantora. (Foto: Reprodução/BBC Brasil)

    Leia mais
    Janine conta como "furou a bolha" do mercado ao transformar suas obras literárias em "projetos brincantes". Foto: projetodraft.com

    Piraporiando – ou como Janine Rodrigues transforma livros sobre racismo e bullying em projetos educativo

    Nuang era uma menina inteligente que vivia na distante terra do povo Uthando, conhecido por sua sabedoria, pela honra de suas palavras e pela beleza preta de sua pele. “As mulheres eram detentoras de conhecimentos milenares e tinham grandes cabelos crespos, tão belos que eram, na verdade, coroas.” Quem conta essa história é a carioca Janine Rodrigues, de 37 anos. “A criança vive em sociedade e não precisamos criar um mundo que não existe para ela”, diz a escritora de voz doce e acolhedora. por Flávia Martinelli no Projeto Draft Janine conta como "furou a bolha" do mercado ao transformar suas obras literárias em "projetos brincantes". Foto: projetodraft.com Gestora ambiental por 12 anos, há três Janine montou a própria editora e produtora cultural, a Piraporiando, para espalhar suas obras que tratam de valorização da diversidade, preservação dos direitos da criança e do brincar, combate a preconceitos, racismo e ...

    Leia mais
    blank

    Mãe precisa monitorar filha de 10 anos por risco de suicídio depois de cyberbullying

    Caso aconteceu no Reino Unido e foi provocado por uma enquete maldosa no Instagram Mia, de 10 anos, e as irmãs Lexi-May Bennett, 9, e Neave-Marie Bennett, 4 (Foto: Arquivo pessoal) A inglesa Corrinia Bennett, de 33 anos, revelou ao Daily Mail estar de coração partido por ter que monitorar 24 horas por dia a filha de 10 anos. A mãe acredita que existe risco de a menina se suicidar depois de ter sido vítima de ciberbullying. Tudo começou com um post do Instagram que tinha a foto do rosto da pequena Mia Lili e continha a pergunta: “Quem acha ela feia?”. Os usuários podiam responder com: “com certeza” ou “de jeito nenhum”. Mais da metade deles (53%) optou pela primeira opção. A conta puggirl123456 foi criada por bullies que usavam o nome de Mia Lili sem que ela soubesse e postou a enquete em junho. Somente na semana ...

    Leia mais
    blank

    Aprovada em 1º lugar em curso na USP diz que trocou escola privada por pública por causa de bullying

    Lúcia Puglia fez um ano de cursinho depois de deixar a rede pública. Na rede estadual, aproveitou oportunidade para cursar línguas, mas viu déficit no ensino de exatas. Por Luiza Tenente Do G1 Lúcia foi aprovada em 1º lugar em relações internacionais na USP, entre os cotistas de escola pública. (Foto: Arquivo pessoal) Lúcia Puglia, de 18 anos, foi aprovada em 1º lugar dentre os cotistas de escola pública para o curso de relações internacionais na Universidade de São Paulo (USP), por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Ela conta que saiu de um colégio particular no fim do ensino fundamental, porque não suportava mais ouvir comentários maldosos sobre seus cabelos cacheados. Queria um ambiente mais plural e diverso. E foi no colégio estadual que o encontrou: aprendeu quatro idiomas, participou de grêmio estudantil e organizou movimentos feministas. “Não havia qualquer espaço de respeito às ...

    Leia mais
    blank

    Já passou da hora de reconhecer que o bullying existe, é danoso e não pode ser admitido

    Rafael Muñoz/Reprodução “Segunda-feira – tiraram meu dinheiro, Terça-feira – me xingaram, Quarta-feira – rasgaram meu uniforme, Quinta-feira – meu corpo está coberto de sangue, Sexta-feira – está terminado, Sábado – liberdade.” (Vijay Singh) Hoje comemora-se o Dia Mundial de Combate ao Bullying. O bullying, mesmo em suas manifestações mais amenas, tem sido apontado como o mais grave problema existente nas escolas em todo o mundo. por Neemias Moretti Prudente no Justificando E você leitor, já ouviu falar em bullying? O bullying (do termo inglês que significa tiranizar, intimidar) é uma prática presente no cotidiano escolar. Embora muitas escolas desconheçam sua gravidade e abrangência, aos poucos tem chamado a atenção e vem sendo reconhecido como causador de danos e merecedor de medidas para sua prevenção e enfrentamente. É no ambiente escolar que o bullying ocorre, podendo acontecer em qualquer parte da escola, tanto dentro, como fora (muitas das tragédias que acontecem extra-muros ...

    Leia mais
    blank

    Mãe diz que coordenador de escola pediu para ela ‘dar um jeito’ no cabelo da filha

    Em uma publicação na internet, a mãe de uma aluna da rede municipal de Cuiabá diz que foi aconselhada pelo coordenador da escola para "dar um jeito" no cabelo da filha. A menina, de 11 anos, segundo a mãe, Nayara Oliveira, tem sofrido bullying das colegas de classe por ter o cabelo crespo. A "sugestão" teria sido dada durante um telefonema do coordenador para a mãe, depois que a menina pediu para ir embora da escola. no G1 Para Nayara, a situação vivida pela filha é racismo. "Todas as brincadeiras de mal gosto que fazem com ela sempre tem a ver com as características negras dela. Minha filha não aguenta mais tanto racismo e preconceito", declarou.  (Foto: Facebook/Reprodução) Ao G1, Carlindo Rodrigues, coordenador da Escola Municipal Constância Figueiredo Palma Bem Bem, alegou que não orientou a mãe a ajeitar o cabelo da filha e que houve apenas um aconselhamento para ...

    Leia mais
    blank

    Após sofrer racismo na escola, Kheris Rogers de 10 anos cria linha de roupas empoderadora

    Você precisa conhecer Kheris Rogers, uma menina de 10 anos que começou uma linha de roupas após receber toda a espécie de bullying  ataques racistas na escola por ter a pele “escura demais”. no Virgula Tudo começou quando sua irmã Taylor Pollard, de 22 anos, quis fazê-la sentir melhor postando fotos de Kheris no Twitter com a legenda: “minha irmã tema apenas 10 anos, mas já é realeza #FlexinInHerComplexion”. É claro que o tweet viralizou e mais de 83 mil pessoas curtiram a foto. Isso não só fez Kheris se sentir melhor, mas também a encorajou a criar sua própria linha de roupas, a Flexin’ In My Complexion. “Eu sofri muito bullying, como na primeira série, que eu estava na escola e tinha apenas outras 4 crianças negras. As outras crianças costumavam me atacar porque eles não estavam acostumados com o meu tom de pele. Houve um incidente na escola com uma professora. ...

    Leia mais
    blank

    ‘Me achava muito gorda e feia, e achava justo o bullying que faziam comigo na escola’

    ‘Os diretores diziam que eu exagerava, que estava inventando. Aos 13 anos, comecei a sofrer de bulimia e automutilação’ Do Azmina “Eu preciso falar das minhas experiências com anorexia, bulimia e depressão. É difícil. Já tentei muito. Achava que essa história de preconceito era mentira, que as pessoas que estavam perto de mim realmente iam falar coisas boas, me ajudar a superar. Infelizmente, não foi assim. Com 9 anos eu já escrevia coisas no meu diário do tipo ‘sou gorda’, ‘meu cabelo é ruim’, ‘ninguém gosta de mim porque eu sou feia’.  Na escola, eu sofria bullying pesado. Os diretores achavam que era coisa de criança, que eu exagerava. Diziam que eu estava inventando (sim, já me falaram isso) ‘porque não gostava’ das meninas da minha sala. Eu não conversava com meus pais. Tinha vergonha porque achava que era eu a errada. Realmente me achava muito gorda e feia, e achava justo o que faziam comigo. ...

    Leia mais
    Foto: Getty Images

    Um em cada dez estudantes no Brasil é vítima frequente de bullying

    São adolescentes que sofrem agressões físicas ou psicológicas, que são alvo de piadas e boatos maldosos e excluídos propositalmente pelos colegas. Foto: Getty Images Por Mariana Tokarnia,  Agência Brasil No Brasil, aproximadamente um em cada dez estudantes é vítima frequente de bullying nas escolas. São adolescentes que sofrem agressões físicas ou psicológicas, que são alvo de piadas e boatos maldosos, excluídos propositalmente pelos colegas, que não são chamados para festas ou reuniões. O dado faz parte do terceiro volume do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2015, dedicado ao bem-estar dos estudantes. O relatório é baseado na resposta de adolescentes de 15 anos que participaram da avaliação. No Brasil, 17,5% disseram sofrer alguma das formas de bullying "algumas vezes por mês"; 7,8% disseram ser excluídos pelos colegas; 9,3%, ser alvo de piadas; 4,1%, serem ameaçados; 3,2%, empurrados e agredidos fisicamente. Outros 5,3% disseram que os colegas ...

    Leia mais
    blank

    Alunos elegem ‘vadias da semana’. “Já tava no chão. Agora com essa, quero morrer” diz aluna

    Já tava no chão. Agora com essa, quero morrer”. Esse foi o desabafo de uma adolescente da Escola Estadual Professora Helena Lombardi Braga, de São Paulo, a uma amiga no Whatsapp na semana passada. Os acontecimentos que a levaram até a declaração se assemelham ao roteiro da série “13 Reasons Why”, popular no Netflix, que aborda o suicídio de uma adolescente após meses de bullying machista nos corredores da escola. por Nana Queiroz no AzMina Entre os alunos do segundo ano do Ensino Médio da instituição de ensino, tornou-se hábito há algumas semanas eleger, em vídeos viralizados via Whatsapp, as “vagabundas”, “putas” e os “broxas” da vez. “Minha amiga tem muitos problemas em casa e está mal de verdade. Nós a apoiamos e aconselhamos”, desabafa, preocupada, T.*, a confidente. E completa: “Este vídeo é machista porque ninguém tem nada a ver com o que a pessoa faz ou não em sua vida sexual. É como se ...

    Leia mais
    blank

    13 Reasons Why: sobre a diferença entre bullying e racismo pelo bem dos jovens negros

    O sucesso mundial da série 13 Reasons Why da Netflix tem trazido de volta o debate sobre como o bullying pode levar os jovens a se auto-agredirem ou até se matarem. De acordo com a Organização Mundial de saúde, suicídio é a segunda cause de morte de jovens no mundo, ficando atrás apenas de acidentes de carro e na frente de perdas de vidas por conta do HIV. Apesar de não ter nenhum estudo conclusivo sobre o tema, de quais seriam as principais causas, o bullying nessa era tão digital, onde além de ações em espaço físicos públicos, os agressores também usam redes sociais para atacar a vítima (cyberbullying), não podem ser ignorado. por Silvia Nascimento no Mundo Negro Nenhum recorte de raça é feito sobre a questão do bullying que costuma ser confundido com o racismo, mas não é. Primeiro porque racismo é crime, portanto, atitudes racistas são caso de polícia, ...

    Leia mais
    blank

    Internautas se unem para apoiar jovem de 20 anos vítima de bullying e a transformam em personagem

    Algumas semanas atrás, La’Shaunae Steward, de 20 anos, publicou algumas fotos no Instagram. Ela vive em Charleston, na Carolina do Sul e, entre as fotos publicadas, havia uma em que ela aparece usando uma saia e uma camiseta com o logotipo de uma revista de skate chamada Thrasher. Do Hypeness Pouco depois de compartilhar as fotos, algumas pessoas as tuitaram junto a frases humilhantes que viralizaram. O abaixo foi o primeiro deles Então ela come skates porque é bem óbvio que ela não anda neles’ Depois deste, diversas pessoas passaram a compartilhar a foto da jovem com frases igualmente ofensivas e a situação fugiu de controle. No entanto, em uma rápida mudança de situação que apenas a internet permite, o modelo Reece King partiu em defesa de La’Shaunae em seu Twitter. Falando para seus milhares de seguidores ele elogiou as qualidades, a beleza e as roupas da jovem e reprovou a atitude ...

    Leia mais
    blank

    ‘Tenho aluno que viu o pai matar a mãe, aluna abusada pelo padrasto’: o isolamento de professores diante de casos de violência e bullying

    Professora de Língua Portuguesa da rede pública há 29 anos, Jonê Carla Baião sempre pede aos alunos, no início do período letivo, uma redação curta sobre a vida deles. Já leu e ouviu muita história, mas ainda se atordoa com relatos como o que lhe foi entregue no primeiro dia de aula de 2017 por uma aluna do 9º ano: Por Fernanda da Escóssia, da BBC  Foto - ALEXANDRE CAMPBELL/BBC BRASIL "Eu sempre fui zoada e a última vez em que tive paz na escola foi no Jardim (de infância); depois disso não tive um ano sequer em que não tenham mexido comigo", escreveu a jovem, que, negra e muito magra, era alvo constante de ofensas dos colegas, e os professores não percebiam. Outra vez, também no primeiro dia de aula, uma aluna vinda de São Paulo escreveu que apanhava do pai e por isso havia se mudado para o Rio ...

    Leia mais
    blank

    O professor que revelou ser gay na frente de mil alunos

    O professor Daniel Gray nunca tinha falado sobre a sua sexualidade em sala de aula. Mas, para marcar o Mês da História LGBT, que é comemorado durante fevereiro na Grã-Bretanha, criou coragem e contou para mais de mil estudantes que é gay. por Jennifer Scott no BBC "Eu não sabia que era gay quando estava na escola secundária mas, nos anos 1990, parecia que todo mundo em Basingstoke (cidade no sudeste da Inglaterra) sabia", diz.  "Sofri bullying todo santo dia. Era chamado de nomes homofóbicos, era seguido por gangues de garotos, empurrado nos corredores", diz o professor, de 32 anos, que vive atualmente em Brighton, na costa sul inglesa, e leciona em Londres. "Havia um menino na escola que era assumidamente gay e também sofria bullying. Mas quando fomos falar com a professora, ela disse que aquilo era algo que tínhamos de aturar". Endireitar alguns erros' Daniel conta que sonhava em ...

    Leia mais
    blank

    «Moonlight» – Uma luta em silêncio contra o bullying

    Uma das grandes surpresas do ano. Um filme independente que não se enquadra num “filme de óscares”. A homossexualidade é um tema comum no cinema queer e já fez parte de filmes vencedores de Óscares como é o caso de “Milk” (2008), “O Segredo de Brokeback Mountain” (2005) ou “Filadélfia” (1993), por exemplo, onde são tratadas questões como a descoberta do corpo, a curiosidade em conhecer os outros corpos masculinos, o preconceito e o medo e procura da identidade, articulando ainda o tema do racismo e das drogas. Mas nenhum tocou neles de forma tão singular e sublime como “Moonlight”. Não se compreende como um filme destes consegue, primeiro, chegar aos Óscares, ou seja, ser reconhecido por uma Academia um pouco conservadora, e segundo, receber oito nomeações. Todas elas são merecidas assim como todos os prémios que tem vindo arrecadar ao longo desta temporada de prémios. É o filme mais ...

    Leia mais
    blank

    Garoto de 13 anos se suicida após anos de bullying homofóbico

    No último dia 22 de novembro, um adolescente australiano de apenas 13 anos chamado Tyrone Unsworth, pôs fim à própria vida depois de sofrer por anos com bullying homofóbico. Sua mãe confirmou a provável causa da decisão tão trágica do garoto: “Ele era alvo de gozações por conta da própria sexualidade. Era um menino muito afeminado, adorava moda, maquiagem e os garotos viviam apontando pra ele, chamando de bicha, viado, viadinho… Isso era uma constante na vida dele desde os 5 anos de idade.”, contou ela ao jornal australiano The Courier Mail. por Pedro HMC, do Superpride A maneira como ele decidiu tirar sua própria vida não foi divulgada pela família e nem pelas autoridades policiais que já investigam o caso. Um mês antes do suicídio, Tyrone havia sido hospitalizado após uma briga violenta com um outro estudante fora da escola. A mãe contou que na ocasião, seu filho tinha sido atingido na mandíbula e ficou tão aterrorizado com o ...

    Leia mais
    Página 1 de 4 1 2 4

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist