Bullying, esse velho conhecido

Enviado por / FontePor Jô Alvim, do g1

Esta semana, dia 15, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou lei que criminaliza bullying e cyberbullying. O texto modifica o Código Penal e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

O bullying é um assunto antigo, tão antigo que muitas pessoas até satirizam a relevância que é dada de uns tempos pra cá ao tema.

Não pode nem brincar, dirão alguns.

O fato é que as justificativas dadas sob o nome de brincadeira são humilhações através de piadas, provocações, apelidos, intimidações, discriminações ou empurrões. Pode ser divertido para quem pratica, mas doloroso para quem é o alvo desta atitude isenta de empatia.

Esta violência- intencional, agressiva e repetitiva – individual ou coletiva, pode levar a desdobramentos graves, incluindo pensamentos suicidas e até o suicídio. Portanto, não existe brincadeira quando o outro lado sofre. E muito.

O bullying pode se apresentar através de várias formas de violência como a física, verbal, psicológica, social, moral, material, sexual ou virtual, e que nem sempre são percebidas pela maioria das pessoas justamente pela naturalização do que denominam como brincadeira.

As vítimas, que pela insegurança e baixa autoestima, não denunciam por temerem mais represálias. E quando questionadas tendem a minimizar a situação, porém com explicações nada convincentes. Por isso, precisamos prestar atenção nas alterações de comportamento, nem sempre tão evidentes, que podem se manifestar de várias formas, desde o adoecimento emocional, como depressão, ansiedade, isolamento, insônia, queda no rendimento até sinais físicos como perda de apetite, dores de cabeça ou vômitos, principalmente próximo ao horário de ir à escola.

Claro que nem tudo é bullying. Não devemos rotular qualquer situação de conflito ou discussões pontuais como bullying. Mas nem por isso devemos banalizar sua gravidade, não refletindo ou questionando as ações que os espaços, a sociedade como um todo, adotam para desbancar os números de casos de bullying.

Todos nós temos uma história pra contar sobre bullying. Já sofremos e/ou praticamos. Fomos vítimas e/ou agressores. Sabemos que o ambiente escolar é um dos mais favoráveis para a prática. Porém, ele não deve ser o único responsável para que este cenário de violência se modifique. É crucial que escolas e famílias estejam atentas e discutam incansavelmente temas como bullying, respeito ao próximo, aceitação das diferenças e limites na educação.

É preciso debater a educação dada às crianças atualmente. O excesso de permissividade na educação dos filhos, sem nenhuma restrição sobre suas ações negativas, desenvolve indivíduos arrogantes. Esse contexto promove um desejo exacerbado do “eu” e, por conseguinte, enfraquece o reconhecimento dos sentimentos alheios, resultando em baixa empatia.

Sem dúvida, ambientes que estimulam o desenvolvimento emocional, e isso inclui, dentre outras coisas, o respeito à alteridade, não há espaço para o bullying. Créditos: Joselene L. Alvim- psicóloga.

+ sobre o tema

Quando raposas tomam conta do galinheiro, por Maurício Pestana

por Maurício Pestana  A expressão acima, dito popular...

Obama para de fumar e Michelle está ‘orgulhosa’

A luta contra o vício foi um dos temas...

Juízes lançam nota de repúdio à Condução Coercitiva de Lula

Juízes divulgam nota em que afirmam que não se...

para lembrar

O desafio que é combater o preconceito na educação

Mariana Lazari No ambiente escolar, a intolerância pode se intensificar....

Aluno de nove anos sofre estupro coletivo dentro de escola pública em Fortaleza

Polícia Civil investiga caso de estupro coletivo contra aluno...

Silvio Almeida assume Ministério dos Direitos Humanos e diz que ‘todo ato baseado no ódio’ será revisto

O advogado Silvio Almeida assumiu nesta terça-feira (3) o Ministério dos...

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU em Genebra, na Suíça, com três principais missões: avançar nos debates...

Governo confirma prorrogação do Desenrola até 20 de maio

O Governo Federal anunciou extensão do prazo para participação no Programa Desenrola Brasil, iniciativa para ajudar pessoas físicas com dívidas a "limpar o nome". Pessoas...

Governo prevê mais de R$ 665 milhões em ações para jovens negros

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou, nesta quinta-feira (21), o Plano Juventude Negra Viva que prevê investimento de mais de R$ 665...
-+=