Qual é a diferença entre bullying e racismo nas escolas?

O livro Discriminação Racial é sinônimo de Maus-Tratos: A importância do ECA para a proteção das crianças negras, realizado pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert), traz importantes reflexões a respeito da defesa dos direitos humanos, ao assumirmos a problemática da discriminação racial no Brasil. Organizado por Hédio Silva Jr e Daniel Teixeira, o livro apresenta um artigo da Professora Doutora Ellen de Lima Souza, a respeito da diferença entre bullying e racismo.

Por BRUNA RIBEIRO, do Estadão 

(Photo by Getty Images)

Em debates sobre educação antirracista, muito se fala sobre a urgência de admitirmos que racismo não pode ser tratado como bullying dentro das escolas. No texto Bullying não é sinônimo de racismo, a autora inicia a reflexão a respeito do entendimento colonial de que “diferença” e “desigualdade” são sinônimos, quando na verdade não são.

Segundo a autora, as relações sociais foram polarizadas, fortalecendo a concepção de superioridade e inferioridade. Em uma sociedade adultocêntrica, que muitas vezes condiciona as crianças a um tratamento desumanizado, o bullying é um problema que se origina dentro da instituição escolar. Ainda segundo a Doutora Ellen, o bullying é um comportamento agressivo e perigoso, quando alguém conscientemente, de forma intencional, agride e intimida causando dano ou desconforto a outra pessoa ou grupo.

 

Mas apesar de também ser uma violência, é diferente do racismo. Para conceitualizar a ideia, a autora citou a definição de Nilma Lino Gomes: O racismo é, por um lado, um comportamento, uma ação resultante da aversão, por vezes, do ódio, em relação a pessoas que possuem um pertencimento racial observável por meio de sinais, tais como: cor da pele, tipo de cabelo, etc.

Por outro lado, ainda segundo o texto, é um conjunto de ideias e imagens referentes aos grupos humanos que acreditam na existência de raças superiores e inferiores. O racismo também resulta da vontade de se impor uma verdade ou uma crença particular como única e verdadeira.

A partir disso, a professora listou a diferença entre bullying e racismo em tópicos –  os quais me permiti compartilhar aqui abaixo. Uma reflexão de extrema importância para a promoção da educação antirracista e da cultura de paz.

 

Bullying

  • Ocorre exclusivamente nas relações interpessoais, sendo um fenômeno psicológico com desvio de comportamento.
  • Toda criança está sujeita a sofrer e/ou praticar
  • Origina-se no espaço escolar e pode ou não expandir, ou seja, tem um território pré-determinado
  • Não é crime, embora seja violência escolar

 

Racismo

  • É ideológico e estrutural; por isso, existe também o racismo institucional
  • Apenas a criança negra sofre o racismo – embora possa inclusive praticar. Mas a criança negra pode ser vítima de bullying e racismo ao mesmo tempo
  • Não possui localização ou instituição específicas. Ocorre em todos os setores da sociedade, inclusive na escola
  • É crime previsto pela Constituição Federal

+ sobre o tema

Grupo da FE discute relações étnico-raciais na educação

Na escola, nosso primeiro ambiente de convivência pública, construímos...

Enem: Mais de 4 mil participantes tinham acima de 60 anos

Entre os 3,3 milhões de estudantes que fizeram...

Piso salarial do magistério é constitucional, diz o STF

  O Supremo Tribunal Federal (STF) considera constitucional...

para lembrar

Reverendo Jesse Jackson fala sobre avanços e retrocessos rumo à igualdade racial nos EUA

Defensor de direitos humanos, o pastor norte-americano Jesse Jackson...

Candidatos a professores em SP têm de apresentar exames caros

Testes médicos exigidos de 12 mil candidatos custam mais...
spot_imgspot_img

Estudo mostra que escolas com mais alunos negros têm piores estruturas

As escolas públicas de educação básica com alunos majoritariamente negros têm piores infraestruturas de ensino comparadas a unidades educacionais com maioria de estudantes brancos....

Educação antirracista é fundamental

A inclusão da história e da cultura afro-brasileira nos currículos das escolas públicas e privadas do país é obrigatória (Lei 10.639) há 21 anos. Uma...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...
-+=