“Meu estabelecimento, minhas regras”: Jovem negro diz ter sido agredido em shopping em Santo André

Por meio de carta aberta à comunidade, a professora Xenia Araujo, 35 anos, denuncia situação de violência vivenciada pelo filho, Nathan Vinícius Araújo de Souza, 15. O jovem negro diz que foi agredido e impedido de entrar no Grand Plaza Shopping, em Santo André, por seguranças do local na noite de sábado. Diante do caso, o Condepe (Conselho Estadual de Direitos da Pessoa Humana) pedirá que a SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado instaure inquérito para apurar os crimes de racismo, ameaça e constrangimento ilegal.

Natália Fernandjes  no Diário do Grande ABC

O jovem, morador de São Caetano, estudante e atleta – jogador de futebol da base em time do Interior –, estava no centro de compras com quatro amigos quando receberam a informação de que estaria sendo realizada competição de dança fora do shopping. Eles saíram do espaço para verificar o evento e, no retorno, foram barrados pelos seguranças. “Tinha uma mulher e um homem, além de um policial à paisana. Ele deixou todo mundo entrar e a gente não. O que mais me irritou foi que todos os que entraram tinham a pele branca”, destaca Nathan.

Após questionar os seguranças sobre o impedimento, o jovem relata que ouviu daquele que seria o policial à paisana a seguinte frase: “Meu estabelecimento, minhas regras”. “Quando questionei de novo ele disse: ‘Não me irrita não, moleque’. Ele tentou me bater uma vez e abaixei. Quando tentou de novo, pegou na minha orelha e no meu rosto o tapa.”

Nathan revela ainda que deixou o centro de compras, ao lado dos amigos, com o sentimento de impunidade. “Não pude fazer nada, porque ele estava armado. Me senti triste e impotente. Quero justiça, que não aconteça com mais ninguém”, ressalta o jovem.

Diante dos fatos, mãe e filho registraram boletim de ocorrência e denunciaram o caso às autoridades. “O Nathan se sentiu envergonhado, porque as pessoas olhavam a cena e imaginavam que ele estava roubando”, destaca.

Conforme o coordenador da comissão da criança e do adolescente do Condepe, Ariel de Castro Alves, será pedido ao shopping que forneça imagens das câmeras de segurança e fotos dos colaboradores para que os acusados sejam identificados. “Se o autor for mesmo policial civil, pode responder ainda por abuso de autoridade”, observa.

A administração do Grand Plaza Shopping informou, por meio de nota, que “percebeu tumulto/briga envolvendo grupo de pessoas na via pública. Em virtude disso, fechou temporariamente o portão de acesso ao shopping para preservar a segurança e integridade física de seus clientes” no sábado. Conforme o estabelecimento, o portão permaneceu “brevemente fechado até que a situação retornasse à normalidade”.

+ sobre o tema

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe...

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da...

Caixa lança edital de concurso com 3,2 mil vagas para técnicos

A Caixa Econômica Federal publicou nesta quinta-feira (22), no...

Depois de um carnaval quente, é hora de pensar em adaptação climática

Escrevo esta coluna, atrasada, em uma terça-feira de carnaval. A...

para lembrar

Vídeo Premiado – Caminhos da Reportagem: Negros no Brasil – 2012

Por Oluandeji Este mês tive alguns debates acalorados com...

Justiça decreta prisão de suspeito de envolvimento no caso Marielle

Justiça decreta prisão de suspeito de envolvimento no caso...

Professora negra de Minas Gerais é ofendida por mãe de alunas

Áudio com as declarações racistas absurdas da mãe foi...

Federação Inglesa de futebol anuncia plano contra racismo

LONDRES, 20 dez 2012 (AFP) - O presidente...
spot_imgspot_img

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Pacto em torno do Império da Lei

Uma policial militar assiste, absolutamente passiva, a um homem armado (depois identificado como investigador) perseguir e ameaçar um jovem negro na saída de uma...
-+=