Jovem que sofreu estupro entra em programa de proteção a ameaçados de morte

A jovem de 16 anos vítima de estupro coletivo na Zona Oeste do Rio já foi aceita no no Programa de Proteção à Criança e Adolescente Ameaçados de Morte (PPCAM), do Governo Federal. A partir de agora, a responsabilidade sobre a família deixa de ser do Rio e passa a ser do Ministério da Justiça e Cidadania. No início da tarde, a família ainda estava em processo de avaliação para entrar no programa, segundo a Secretaria Estadual de Direitos Humanos. Segundo a subsecretária Andrea Sepúlveda, a jovem vem recebendo ameaças de morte e a família está “disposta a recomeçar a vida”, o que deve ocorrer em outro estado.

no Extra

– Estamos muito preocupados com a segurança dela. Agora estamos na fase emergencial. A inclusão pode implicar que ela seja transferida para outro estado. A decisão está sendo tomada nesse momento. Avaliamos essa ameaça de quinta para sexta. Ela está em um local seguro protegida – disse Andrea, garantindo que a tramitação dessa avaliação é “rápida”.

O programa é um convênio com o governo federal em que o estado do Rio aparece como órgão executor, e inclui a assistência de profissionais multidisciplinares, como um psicólogo e um educador social. A primeira reunião da jovem com a equipe de psicologia da secretaria foi na tarde desta segunda-feira.

Neste domingo, a advogada Eloísa Samy informou que não está mais atendendo a adolescente. Ela informou que a avó da jovem agradeceu o trabalho e disse que a menina entraria para o programa de proteção a jovens ameaçados de morte.

O PPCAAM foi criado em 2003 como uma das estratégias do Governo Federal para o enfrentamento do tema da letalidade infanto-juvenil, e foi instituído oficialmente em 2007, pelo Decreto 6.231/07.

Em entrevista na última sexta-feira, a delegada-titular da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), Cristiana Onorato Bento, afirmou que o programa estava pronto para ser acionado, caso fosse do interesse da vítima e de sua família. Procurada, a avó da jovem não retornou as ligações.

 

+ sobre o tema

O feminismo é questão de tempo

O processo de alfabetização de uma criança é tão...

Uso do tempo e as desigualdades de gênero são tema de seminário no Ipea

Durante toda a próxima quarta-feira, 18, evento reunirá especialistas...

Marielle, um sonho para despertar

Hoje acordei tropeçando em meu sonho. Sabe aqueles dias...

para lembrar

Proudhon – Intelectuais progressistas e misoginia

“A tradição de todas as gerações mortas sobrecarrega como...

Liberdade ao volante, como as mulheres sauditas vivem sua nova conquista

Os dias começam cedo na casa de Razaz Reda....

Cristina Bruschini, pilar dos estudos de gênero no Brasil, por Arlene Martinez Ricoldi

Tive o prazer e o privilégio de conviver estreitamente...

Governo cria Comitê de Cultura LGBT

A ministra da Cultura Marta Suplicy (PT) criou o...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=