Tag: cultura do estupro

    @CANTADASPROGRESSISTAS

    A cultura do estupro e o “estupro culposo”

    Nos últimos dias ganhou grande repercussão o caso do processo criminal de estupro de vulnerável envolvendo a modelo Mariana Ferrer e o empresário André de Camargo Aranha. Acerca do caso muito vem sendo debatido e comentado na internet, principalmente por meio de mídias sociais, no entanto pouco se sabe de fato sobre o processo em razão de este tramitar em segredo de justiça. Nesse sentido, e firme na convicção de que no crime de estupro o segredo de justiça vem para defender o mínimo de integridade e privacidade da vítima (art. 5º, LX, da Constituição da República combinado com art. 201, §6º, do Código de Processo Penal), e não para poupar eventuais estupradores, aliado ao fato de que a própria Mariana já demonstrou o interesse em tornar o processo público (conforme noticiado aqui), bem como que a sentença já circula amplamente na internet, motivo pelo qual pude a ela ter ...

    Leia mais
    (Foto: rudall30 via Getty Images)

    Não foi culposo, foi coletivo!

    O que é a figura do estupro? O Código Penal é muito claro em prever no seu Art. 213 que constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso é estupro. Mas, não podemos esquecer da figura do estupro de vulnerável prevista no Art. 217-A que diz que ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos e o seu parágrafo primeiro que assevera que incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas no caput com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência. Passada a fase de conceituação fica claro que podemos tratar, a grosso modo, de três tipos de estupro: o praticado com violência ou grave ameaça, o ...

    Leia mais
    Foto: Roberto Parizotti/Fotos Publicas

    Bancada feminina e Comissão de Direitos Humanos notificam autoridades por Mari Ferrer

    As cenas da audiência em que a influenciadora digital Mariana Ferrer é humilhada pelo advogado de defesa do empresário André Aranha, acusado de estupro, geraram protestos em mais de dez cidades neste domingo e provocaram reações da Câmara dos Deputados. A Secretaria da Mulher, a Procuradoria da Mulher, e a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados notificaram autoridades federais e de Santa Catarina cobrando providências contra o advogado de defesa, Cláudio Gastão da Rosa Filho; o juiz, Rudson Marcos; e o promotor Thiago Carriço. Os três participaram do julgamento que inocentou o empresário. Deputados também apresentaram propostas para punir a falta de respeito à vítima e impedir que as cenas se repitam. Durante a audiência, Ferrer chegou a pedir respeito e acusar as autoridades de tratá-la como acusada, não como vítima. “Nem os assassinos são tratados da forma como eu estou a ser tratada”, disse Ferrer, após ouvir ...

    Leia mais
    (crédito: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)

    DF é a capital que mais registrou agressões contra mulheres em 2019

    O Distrito Federal foi a capital que mais registrou casos de violência doméstica em 2019. De acordo com os dados do 14º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta segunda-feira (19/10), a capital federal teve 16.549 casos no ano passado — 7,1% a mais que em 2018. De acordo com o art. 5º da Lei Maria da Penha, violência doméstica e familiar contra a mulher é “qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial”. Neste cenário, ainda segundo o estudo, o DF fica à frente de cidades como São Paulo, que registrou 11.403 casos de violência doméstica em 2019; Rio de Janeiro, com 8.966; e Belo Horizonte, com 7.744. Feminicídios e estupros Além das agressões domésticas, Brasília foi a segunda capital com mais registros de feminicídios no país. Segundo os dados, foram 33 casos em 2019 ...

    Leia mais
    Robinho assiste à partida Santos x Atlético-GO, na Vila Belmiro (Foto: Ettore Chiereguini/AGIF)

    Robinho e seu Deus “particular” contra “pessoas usadas pelo demônio”

    Não há outro caso tão comentado quanto o de Robinho no momento. Lembro-me de assistir ao escritor Ariano Suassuna, em uma palestra memorável em Niterói, cerca de dez anos atrás, citando Robinho como exemplo da alegria e a genialidade brasileira. O mundo prega peças. A divulgação dos áudios, fruto da investigação do caso de estupro coletivo pelo qual Robinho foi condenado, não é apenas uma frustração, se tornou algo maior e pior, com a maneira como os áudios revelam que o jogador banalizou o episódio. Mas meu artigo não é sobre estes áudios especificamente. O artigo é sobre como, em um curto áudio em que busca demonstrar tranquilidade e segurança, Robinho recorre ao nome de Deus por pelo menos seis vezes. Parece dar ar de normalidade enquanto demonstra ser orientado por "valores cristãos". Fazendo uso de um linguajar cristão, fortemente evangélico, Robinho ilustra de maneira tristemente exemplar, como Deus pode ...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro (foto: MAURO PIMENTEL)

    A cultura do estupro avança como uma verdadeira pandemia no Brasil

    Na sexta passada, quem estava em Sergipe assistindo à TV viu, várias vezes, reproduzido o vídeo de um homem que flagrava outro estuprando uma menina de 11 anos. Munido de uma faca, o agressor correu ao passo que a criança gritou notando a presença de um terceiro. Só a descrição do vídeo já seria chocante, mas não bastou: emissoras mostraram o vídeo dezenas de vezes, sem cortes ou avisos de que seria uma cena de violência. Tanto a TV Sergipe, afiliada da TV Globo, como a TV Atalaia, afiliada da TV Record, transmitiram estupro em looping, prendendo a audiência aos gritos da criança. No sábado, um homem foi preso em Sabará, em Minas Gerais, acusado de "molestar uma criança". Ele abordou a menina de 12 anos com sua caminhonete, dizendo-se fotógrafo e que gostaria de tirar fotos dela. Convidou-a para entrar no carro, onde passou a mão nos seios, braços ...

    Leia mais
    Getty Images

    Brasil é nação construída em estupro de mulheres negras e indigenas por brancos europeus, aponta estudo

    A maior pesquisa de genoma está sendo realizada no Brasil a fim de desenvolver a base de dados genéticos mais abrangente disponível sobre a população. O projeto “DNA do Brasil” anunciou a iniciativa há nove meses e já está entregando seus primeiros resultados, que espantou muitas pessoas pela herança desigual que eles simbolizam. Este gráfico me deixou absolutamente chocado pic.twitter.com/MkLn1h1wCN — Cientista no jardim (@carloshotta) October 1, 2020 Da meta de analisar 40 mil brasileiros, os pesquisadores já completaram o sequenciamento do genoma de 1.247. Os voluntários são de todas as partes do país, o que inclui desde comunidades ribeirinhas na Amazônia até moradores da cidade de São Paulo. De acordo com os dados, 75% dos cromossomos Y na população são herança de homens europeus. 14,5% são de africanos, e apenas 0,5% são de indígenas. Os outros 10% são metade do leste e do sul asiáticos, e metade de outros locais da ásia. Com o ...

    Leia mais
    A jornalista Anielle Franco (Foto: Bléia Campos)

    Uma nova visão para a luta pelos direitos reprodutivos no Brasil

    Nos últimos dias, as redes sociais e os principais jornais do país começaram a narrar a história de uma criança de apenas 10 anos, que teve sua infância dramaticamente impactada por episódios de dor e violência. Essa criança, violentada sexualmente por seu tio desde os 6 anos de idade, teve que passar, não apenas por um imenso trauma em sua vida ao ser violentada, como também ao descobrir uma gravidez, decorrente dessa violência. A partir dali, o que poderia ser resolvido em poucos dias - se nosso sistema de justiça e nosso sistema de saúde funcionassem integralmente pela garantia dos direitos de mulheres e crianças - tornou-se um verdadeiro pesadelo. Essa menina, passou pela dor de sofrer violências contínuas dentro de sua própria casa, e também pela dor da exposição feita por grupos fundamentalistas e fascistas nas redes sociais e presencialmente, com coerção e perseguição de seus familiares. Organizados institucionalmente, ...

    Leia mais
    Flávia Oliveira (Foto: Arquivo/ O Globo)

    Uma nação fracassada

    Fracassaram o Estado que não impede e a sociedade que silencia ao cotidiano de abuso sexual, estupro e gravidez precoce de suas crianças. O Brasil, na última semana, horrorizou-se com as camadas de brutalidade a que foi submetida a Menina de São Matheus, no Espírito Santo. Negra, de família pobre, criada pelos avós, Ela padeceu em silêncio sob o jugo do tio, que a violentava e ameaçava. A barbárie se estendeu por quatro anos, dos 6 aos 10 de idade; só foi descoberta quando Ela engravidou — e, sob mais violência, de agentes públicos, extremistas religiosos e oportunistas políticos, conseguiu interromper a gestação em Recife. Há o ambiente familiar de miopia aos maus-tratos, mas há também a cegueira de um poder público que descuida, quando tem obrigação de cuidar. O país é farto em legislação, direitos, atribuições: do Estatuto da Criança e Adolescente à Constituição. Enquanto Ela era violada, onde ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site RBA

    Na lei desde 1940, aborto legal não saiu do papel para mulheres pobres

    O caso da menina de 10 anos que viajou do Espírito Santo a Recife para interromper a gravidez fruto de estupro mostra, entre outras coisas, que uma lei em vigor há 80 anos para garantir esse direito ainda não saiu do papel. Sobretudo quando as vítimas da violência são pobres e negras, conforme Bárbara Pereira, integrante do Fórum de Mulheres de Pernambuco e da Frente Nacional contra a Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto. “Desde 1940 o direito ao aborto em caso de estupro é previsto em lei. Mas na prática não é o que acontece. As mulheres e meninas pobres e negras não exercem esse direito. São as que mais sofrem e morrem devido a abortos inseguros e também as que mais demoram a relatar a violência sofrida”, diz Bárbara. O Código Penal Brasileiro, de 1940, que tipifica o aborto como crime, também estabelece que não há ...

    Leia mais
    CLASSEN RAFAEL / EYEEM VIA GETTY IMAGES

    ‘Acompanhei gestantes de 10 anos em estado grave na UTI’: médica detalha os riscos de uma criança grávida

    A médica, com mais de 30 anos de profissão, conta ter presenciado casos que a deixaram entristecida. Entre eles, o de uma jovem de 13 anos com paralisia cerebral, que engravidou após ser abusada sexualmente. A obstetra também acompanhou meninas que lutaram pela vida após ao desenvolverem problemas de saúde causados por gestações precoces. "Esses casos de gravidez por estupro nessa faixa etária não são raros. Infelizmente, acontecem com certa frequência", pontua Melania, que é professora universitária na Paraíba e em Pernambuco. Segundo dados tabulados pela BBC News Brasil no Sistema de Informações Hospitalares do SUS, do Ministério da Saúde, o Brasil registra, em média, ao menos seis abortos por dia em meninas de 10 a 14 anos. O Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2019 aponta que quatro meninas de até 13 anos são estupradas a cada hora no Brasil. Associado ao trauma causado pelo abuso sexual, aquelas que engravidam ...

    Leia mais
    Bianca Santana - Foto: João Benz

    Falsa polêmica sobre aborto viola direitos e dissemina narrativa ideológica

    Queiroz recebe mais uma vez o benefício de prisão domiciliar, depois de revogado, depois de ter sido encontrado na casa do advogado da família Bolsonaro, depois de mais de um ano foragido, depois de movimentar quase R$ 3 milhões em sua conta como operador do esquema de rachadinhas de Flávio Bolsonaro. Difícil acompanhar. O Ministério Público do Rio de Janeiro perdeu um prazo — veja bem, perdeu um prazo — de recurso no caso de investigação das tais rachadinhas. A primeira-dama Michelle Bolsonaro recebeu, entre 2011 e 2016, 21 cheques de Queiroz. Tem ainda compra de imóveis com dinheiro em espécie. Tem tuíte do presidente preocupado com os celulares de Adriano da Nóbrega, depois de o miliciano ter sido assassinado: "sem uma perícia isenta os verdadeiros criminosos continuam livres até para acusar inocentes do caso Marielle." Tem até denúncia de que o presidente disse que interviria no STF depois da ...

    Leia mais
    Manifestação em Pernambuco pelo direito ao aborto legal de uma menina de 10 anos Imagem: Reprodução Twitter

    Grupo vai a hospital para defender aborto legal de menina de 10 anos

    Depois que um grupo de católicos se reuniu hoje à porta de um hospital em Recife para protestar contra o aborto da menina de 10 anos que engravidou por ser estuprada pelo tio, integrantes do Fórum de Mulheres de Pernambuco foram ao local. Cerca de 50 ativistas defenderam a interrupção da gravidez. Movimento de mulheres se mobiliza em Recife 👇👇👇 pic.twitter.com/KwKrm6a6PA — rafaela marques 〰️ (@rafalelamarques) August 16, 2020 Em conjunto, elas disseram o seguinte: "'A vida dessa menina estuprada importa para toda sociedade. O aborto legal é um direito. Não vamos abrir mão disso. Não vamos abrir mão da vida de uma menina de 10 anos. Gravidez forçada é tortura. Gravidez aos 10 anos é morte". O pedido de realização do aborto legal, autorizado pela Justiça, foi negado pelo Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), do Espírito Santo, onde mora a menina. Por isso, a família foi para outro ...

    Leia mais
    Leonardo Sakamoto. (Foto: RFI/Rui Martins)

    Subcelebridades do ódio atacaram aborto de menina para se promoverem

    Insanidade não explica o que leva um grupo de fundamentalistas causarem tumulto, na porta de um hospital, exigindo que uma menina de dez anos, estuprada pelo tio por metade de sua vida, fosse obrigada a continuar uma gravidez indesejada. E, pior, chamando-a de assassina. Estavam ali pelos mais diferentes motivos - da incapacidade de sentir empatia pelo seu semelhante, passando pela necessidade de fazer parte de um grupo e dar algum sentido à sua existência até um intenso processo de desinformação aliado à deformação religiosa imposta por líderes que mentem sobre o sentido do cristianismo. Pois, em nenhum momento, os evangelhos trazem qualquer versículo que diga algo como "Ide e torturai as meninas vítimas de estupro em nome de meu pai, pois serão recompensados". Seria fácil e tentador afirmar que esse tipo de ambiente surgiu com a atual conjuntura política brasileira, mas tudo isso está aí muito antes de Giordano ...

    Leia mais
    Exposição de vítimas de estupro tende a aumentar estigma em relação à criança e à família (Foto: Getty Images)

    Brasil registra 6 abortos por dia em meninas entre 10 e 14 anos estupradas

    Após autorização judicial, a menina foi levada a outro Estado no domingo (16/08) para interrupção da gravidez. Ela relatou que sofria abusos sexuais do tio desde os 6 anos e que não contava para os outros porque ele a ameaçava. O tio da criança está foragido. Embora o caso tenha virado pano de fundo de uma briga ideológica e venha sendo tratado como algo inédito, dados oficiais revelam que ocorrem no Brasil, em média, seis internações diárias por aborto envolvendo meninas de 10 a 14 anos que engravidaram após serem estupradas. Esses casos envolvem procedimentos feitos no hospital e internações após abortos espontâneos ou realizados em casa, por exemplo. Se o número parece alto para quem não acompanha o assunto, ele é pequeno perto da quantidade de estupros de crianças e adolescentes que ocorrem no Brasil: a cada hora, quatro meninas de até 13 anos são estupradas no país, segundo ...

    Leia mais
    Mulher trans que esteve presa por cinco anos em um presídio masculino de São Paulo relata casos de abuso emocional e sexual. — Foto: Fábio Tito/G1

    Estupro e tortura: relatório inédito do governo federal aponta o drama de trans encarceradas em presídios masculinos

    Pela primeira vez encomendado pelo Governo Federal, estudo mostra que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais são pessoas mais vulneráveis aos efeitos da precariedade do sistema prisional brasileiro. Por Laís Modelli, do G1 Mulher trans que esteve presa por cinco anos em um presídio masculino de São Paulo relata casos de abuso emocional e sexual. — Foto: Fábio Tito/G1 Uma pesquisa inédita do governo federal publicada na quarta-feira (5) sobre a realidade da população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) no sistema carcerário mostra que travestis e transexuais sofrem constantes violências emocionais, físicas e sexuais, assim como práticas de tortura específicas da sua condição de gênero, dentro das prisões masculinas. Encomendado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos por meio de uma chamada pública, o relatório “LGBT nas prisões do Brasil: Diagnóstico dos procedimentos institucionais e experiências de encarceramento” mostrou ser uma ...

    Leia mais
    Foto: Rupak De Chowdhuri/Reuters

    Um estupro é registrado a cada 15 minutos entre mulheres na Índia

    Mulheres relataram 34 mil casos em 2018. Deste número, 85% geraram acusações e somente em 27% houve condenações Do R7 Grupos de defesa dos direitos das mulheres dizem que crimes contra elas são levados menos a sério (Foto: Rupak De Chowdhuri/Reuters) Um estupro é reportado a cada 15 minutos entre mulheres na Índia, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (9) pelo governo do país. A informação enfatiza a reputação de que a índia é um dos piores lugares do mundo para viver se for mulher. O estupro coletivo e assassinato de uma mulher em um ônibus em Nova Délhi, em 2012, que recebeu ampla atenção mundial, levou dezenas de milhares de pessoas às ruas em toda a Índia e gerou reivindicações por ações de estrelas do cinema a políticos, levando a punições mais duras e a tribunais mais ágeis. Mas a violência seguiu inabalável. Mulheres ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site Revista Fórum

    Jovem de 19 anos é condenada a prisão perpétua por matar homem que a estuprou

    Além do crime de estupro, filmado por ele, Randy Volar vendeu Chrystul Kizer ao tráfico sexual quando ela tinha 16 anos Da Revista Fórum Imagem retirada do site Revista Fórum A jovem americana Chrystul Kizer, de 19 anos, foi condenada a prisão perpétua pela Justiça de Wisconsin por matar Randy Volar, 33, que a estuprou múltiplas vezes e a vendeu ao tráfico sexual quando ela tinha somente 16 anos. A jovem confessou o crime e alegou legítima defesa, mas o argumento não foi aceito pelo juiz do caso. Chrystul não foi a única jovem que Volar estuprou. Ele foi preso em fevereiro de 2018 por assédio sexual contra menores, mas a polícia o liberou sem a necessidade de pagar fiança. O estuprador ficou livre por mais três meses, mesmo com diversas denúncias de abuso contra meninas negras. O assassinato de Volar aconteceu em 5 de junho ...

    Leia mais
    A diretora-executiva da ONU Mulheres Phumzile Mlambo-Ngcuka - Alan Marques - 18.nov.15/Folhapress

    Estupro: um custo intolerável à sociedade

    O lar não é um lugar seguro para milhões de mulheres Por Phumzile Mlambo-Ngcuka, da Folha de São Paulo A diretora-executiva da ONU Mulheres Phumzile Mlambo-Ngcuka - Foto: Alan Marques/Folhapress Se eu pudesse ter um desejo atendido, poderia ser o fim do estupro. Isso significa que uma importante arma de guerra sairia do arsenal de conflitos, assim como a ausência de risco diário para meninas e mulheres em espaços públicos e privados. Haveria a remoção de uma afirmação violenta de poder e mudança de longo alcance para nossa sociedade. O estupro não é um ato breve e isolado. Danifica a carne e reflete na memória. Pode causar mudança de vida, com consequências que não foram escolhidas —como gravidez ou DST. Seus efeitos devastadores e duradouros atingem outras pessoas: família, amizades, parcerias e colegas. Tanto no conflito quanto na paz, ele molda as decisões das mulheres de ...

    Leia mais

    Por que decidi revelar que fui estuprada quando criança, 67 anos depois

    A proeminente jornalista ganense, colunista da BBC e ex-ministra Elizabeth Ohene escreveu recentemente sobre um abuso sexual que sofreu há mais de 60 anos, quando tinha apenas sete anos de idade. Aqui, ela explica por que decidiu tornar sua dor pública depois de tanto tempo. Por  Elizabeth Ohene, Da BBC Ex-ministra ganense espera que revelação de estupro que sofreu há mais de 60 anos possa ajudar meninas em posição vulnerável (Foto: Imagem retirada do site da BBC) Não tenho muita certeza se levei em conta qual seria o efeito de tornar pública minha história sobre ter sido molestada sexualmente na infância. Na quarta-feira passada, contei essa história na coluna semanal que escrevo para o maior jornal de circulação de Gana, o Daily Graphic. Sou uma mulher de 74 anos e contei algo que aconteceu 67 anos atrás. Um dos meus melhores amigos perguntou por que eu ...

    Leia mais
    Página 1 de 7 1 2 7

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist