Jovem que teve castigo divulgado na internet se mata nos EUA

A adolescente Izabel Laxamana, 13 anos, matou-se pulando de uma ponte em Tacoma, cidade de Washington, nos Estados Unidos. O ato de desespero aconteceu logo depois de um vídeo em que ela aparece tendo os longos cabelos cortados pelo pai –como forma de punição por um mau comportamento– ter sido divulgado nas redes sociais, segundo reportagem publicada pelo jornal americano “Daily News”.

Do UOL

A polícia local abriu uma investigação sobre o episódio e o pai da jovem não deverá ser responsabilizado. Os oficiais trabalham com a hipótese de bullying, já que a jovem teria postado na rede social Google Plus que odiava estar na escola, onde todos a julgavam. “A investigação está sendo frustrante, pois a única pessoa que disse ter informações sobre o caso sequer conhecia menina”, disse a policial Loretta Cool ao periódico americano.

Os motivos que levaram o pai a repreender a filha dessa forma foi quando ele encontrou a menina mandando fotos sugestivas para um garoto. Segundo Loretta, o vídeo não foi publicado na internet pelo pai da garota.

A menina saiu de um carro na última sexta-feira (5) e pulou de uma ponte na rodovia interestadual da cidade. Ela chegou a ser socorrida e levada para um hospital de Seattle, mas morreu no dia seguinte.

Alguns usuários das redes sociais acusam o pai de Izabel de humilhação pública e o culpam pelo suicídio. Até uma página no Facebook, intitulada “Justiça para Izabel”, foi criada pedindo que o homem responda criminalmente pela morte da filha.

“Ela fez algumas escolhas erradas, mas não precisava se matar por isso,” afirmou Loretta ao “Daily News”. Na entrevista, a oficial da polícia reconheceu que cortar o cabelo para disciplinar a garota não foi a melhor maneira de castigá-la.

Segundo psicólogas e psicopedagogas, esse tipo de punição humilhante pode ser muito prejudicial para o desenvolvimento da subjetividade do adolescente, além de causar problemas de autoestima, raiva e revolta em relação aos pais.

O vídeo original do castigo foi retirado do YouTube, no entanto, um amigo da adolescente compartilhou o material com o objetivo de desencorajar outros pais a fazerem o mesmo.

De acordo com a emissora Fox 2, os investigadores encontraram oito bilhetes deixados por Izabel antes de morrer. A menina estaria muito envergonhada por suas ações nas redes sociais e com medo que a foto que ela mandou para o menino fosse divulgada na internet. A prática de mandar essas imagens, conhecida como “sexting”, deixa os adolescentes vulneráveis e por isso é essencial que, em casa, os pais conversem abertamente sobre o assunto.

Em um dos bilhetes, segundo Loretta, a menina afirmou o quanto amava o pai e que ele não deveria se sentir culpado por sua morte.

Leia Também:

+ sobre o tema

Stephanie Ribeiro assume comando do “Decore-se”

Stephanie Ribeiro assume comando do "Decore-se". A partir de outubro,...

Grafites de Marielle e Maria da Penha são alvos de ataques de vândalos no Rio

Dois grafites da vereadora Marielle Franco (PSOL) e um...

“Quando se mata uma travesti, ninguém chora”, diz líder trans

João W. Nery é símbolo da luta pelos direitos...

Justiça cobra ações para mulheres agredidas

Governos têm 90 dias para apresentar plano de melhoria...

para lembrar

Dayse Sacramento – Mulheres negras são oprimidas pelo machismo no Ilê Aiyê

A ordem arriscada do discurso de Foucault me obriga...

Homem mata esposa grávida a facadas porque ela não quis fazer jantar

Uma mulher grávida foi assassinada dentro de casa pelo...

Pela 1ª vez, mulher negra vence Miss Supranational e inaugura era na indústria

Representante da África do Sul, Lalela Mswane, 25, foi...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=