Guest Post »

Jovens acusados pela PM de fugir em carro roubado passaram a pé pelo local da perseguição na Zona Sul de SP

Perseguição policial no Jardim Ângela terminou com um morto e três detidos no dia 31 de dezembro. Câmeras registrarem dois jovens detidos, acusados pela PM de estarem no carro perseguido, passando a pé pelo bairro no momento da ação policial.

Por Guilbert Reino, do G1

Reprodução/TV Globo

Uma perseguição policial terminou com uma pessoa morta, um suspeito preso e dois adolescentes detidos no Jardim Ângela, na Zona Sul de São Paulo, na terça-feira (31). Segundo a Polícia Militar, os jovens e o suspeito presos estariam no carro que foi perseguido. No entanto, câmeras de segurança registraram os dois adolescentes caminhando pela calçada de uma rua próxima no momento da ação.

Nas imagens, é possível ver eles andando a pé carregando sacolas de supermercado. No mesmo vídeo, o carro roubado aparece passando em alta velocidade poucos minutos depois da passagem dos jovens na calçada, seguido por motocicletas da PM.

Os adolescentes são acusados pela Polícia Militar de terem participado de uma série de roubos e de estarem em fuga no momento da perseguição. Mas, de acordo com a família, os dois jovens também foram atropelados pelo carro perseguido e, apesar de feridos, foram injustamente detidos pela PM como suspeitos.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) disse que as imagens serão analisadas pelo comando local da PM. A SSP afirma ainda que os jovens detidos, depois que tiveram alta do hospital, foram entregues à família.

Perseguição e atropelamento
O atropelamento ocorreu na Rua Afonso Rui, onde a vítima, um homem de 47 anos, estava sentada em um degrau de uma calçada.

Um vizinho, que prefere não se identificar, diz que escapou por pouco de também ser atropelado pelo carro em fuga. Ele estava sentado ao lado da vítima, conversando, quando foi chamado pela sua esposa e entrou em casa. Logo em seguida, ouviu o barulho da colisão.

“Eu estava aqui sentado, ele saiu da casa dele e veio pra cá sentar comigo, conversar comigo. Aí minha esposa chegou, parou o carro, eu tirei as coisas e entrei pra dentro”, conta o vizinho.

“Eu chamei e ele falou ‘não, vou ficar sentado aqui mesmo, irmão’, aí eu falei ‘tá bom, eu já tô voltando, é rapidinho’, Quando eu entrei, só escutei a pancada. Saí aqui fora, ele já estava deitado ali no chão, né”, afirma.

No boletim de ocorrência, a polícia deu uma versão diferente à da testemunha. Segundo os policiais, um dos adolescentes pulou do carro em movimento e, ao pular, acabou atropelado pelo veículo. O outro menor é filho adotivo do homem que foi atropelado e, segundo os policiais, confessou estar junto no carro.

Devido à diferença de versões, os parentes pediram a liberação dos adolescentes. Como houve uma morte durante a perseguição policial, o caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoas (DHPP).

Related posts