Tag: #vidasnegrasimportam

    João Alberto (Arquivo Pessoal)

    Pelo fim da banalidade da violência contra pessoas negras e por #JustiçaParaJoãoAlberto

    Na última quinta-feira, 19 de novembro, véspera do Dia Nacional da Consciência Negra, na cidade que foi o ponto de partida das discussões que articularam esta data como uma pauta nacional de resgate da humanidade da população afro-brasileira, Porto Alegre, João Alberto Freitas, o Beto, foi espancado durante cinco minutos, sem qualquer chance de reação, até a morte. As cenas, repercutidas incessantemente pela imprensa nacional, são o retrato da lógica de morte e descarte das vidas negras em nosso país, e nos choca profundamente que esse brutal assassinato não gere uma crise moral nacional. Como podemos viver em uma sociedade em que o fato de ser uma pessoa negra é um passe livre para a morte violenta? Bastaram apenas três dias para que o sangue negro que escorreu de forma covarde, racista e desumana fosse limpo e a loja onde o assassinato de Beto aconteceu retomasse as atividades. Os lamentos cínicos nas notas emitidas ...

    Leia mais
    Foto: NAPPY STUDIO

    A vida de nossos idosos negros também importa

    Novembro é o mês em que parte da população entende a necessidade de pensar na consciência, no corpo, nas condições de vida e na identidade das pessoas negras no nosso país. E é justamente nesse mês que o presidente da República transfere para cidadãos e cidadãs o fracasso do Estado no enfrentamento de uma sindemia, além de uma pandemia. Sindemia pelo fato de ser um acúmulo de diversas crises: sanitária, política (em que impera o negacionismo), econômica (crescente número de desalentados e desempregados), conflitos raciais (isolamento e distanciamento não foram capazes de amenizar as práticas violentas contra grupos sociais desprivilegiados) e a Covid-19. São essas crises que simbolizam as marcas do racismo, pois são as pessoas negras as mais afetadas. Estamos lutando pelo direito de respirar, parafraseando o filósofo camaronês Achille Mbembe, e os idosos negros talvez sejam o grupo a quem esse direito é mais proibido de vivenciar. No ...

    Leia mais
    Foto: Getty Images

    Racismo mata: o caso do Carrefour e outros tantos Brasil adentro

    20 de Novembro é Dia da Consciência Negra. Conquista arrancada pelo Movimento Negro para assinalar a persistência do racismo que estrutura e dá forma ao Brasil, a data segue sendo uma construção renovada pelas forças vivas da negritude e homenageia nosso líder quilombola, revolucionário, Zumbi dos Palmares. 20 de novembro de 2020. O Brasil é despertado com uma cena absolutamente bestial. Com apenas uns cinco minutos, no estacionamento de uma unidade da rede de supermercados Carrefour, em Porto Alegre, agentes de segurança pública e privada atacam um homem negro numa sessão de espancamento até a morte. Simples assim. Com naturalidade, a cena bárbara foi gravada e depois ganhou o mundo pelas redes sociais. O homem assassinado sob impassível câmara de celular e estupefação quiçá explicativa da inércia coletiva tinha a cor dos anônimos negros e pardos, condição determinante para ser encarcerado ou preferencialmente morto. Sequer gera custo público. O homem ...

    Leia mais
    Foto: Reprodução/ Carrefour

    A polícia privada que guarda as vidraças do Carrefour

    Para o pescoço esmagado pelo joelho do agente fardado por longos quatro minutos, que diferença faz se o uniforme é policial ou privado? João Alberto não foi apenas morto por ser negro. João Alberto foi morto porque, sendo negro, a sua carne é, para seus algozes privados, a mercadoria mais barata na gôndola. Sem desmantelar o capitalismo policial por trás do racismo, vidas negras continuarão a ser alvejadas por algozes particulares, protegidos por trás de vidraças que ofuscam, mas não eliminam a distinção entre humanidade e barbárie. Há no Brasil um exército de 1 milhão de vigilantes aptos a trabalhar, 51% deles formalmente inativos, segundo Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020. Inativo não significa inoperante. O setor de segurança privada é marcado por trabalhos informais (“bicos”), tolerados, mas não permitidos por lei para policiais, oficiais ou praças. Regulado pela portaria 3233/2012 da Polícia Federal, o controle sobre o setor ...

    Leia mais
    "O que se viu no mercado dos playboys da Pamplona foi legítima defesa", explica Douglas Belchior (Foto: Pedro Stropassolas)

    Douglas Belchior sobre Carrefour: “Foi um protesto desproporcional. Eles nos matam”

    Uma das lideranças do movimento negro no Brasil, Douglas Belchior está incomodado. Quando chegou à manifestação da última sexta-feira (20), na avenida Paulista, em São Paulo, que deveria ser um ato pelo Dia da Consciência Negra e se tornou mais um protesto em repúdio à morte de um homem negro, o militante disparou. “Até quando? Está insuportável.” Na noite anterior, João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado até a morte por dois seguranças privados e terceirizados do Carrefour, em uma unidade da multinacional francesa em Porto Alegre (RS). Os dois agentes são funcionários do Grupo Vector e trabalhavam irregularmente, de acordo com a Polícia Federal (PF). Ambos foram presos. No dia seguinte, por volta de 18h, o movimento negro marchou da avenida Paulista até a unidade do Carrefour na rua Pamplona, nos Jardins, zona nobre de São Paulo (SP). Lá, um grupo se destacou e entrou no supermercado, ...

    Leia mais
    (Foto: Isabella Pinheiro/Gshow)

    Falas Negras recebe milhares de elogios e Lázaro Ramos agradece

    A Globo exibiu na noite de ontem (20), no Dia da Consciência Negra, o especial Falas Negras, dirigido por Lázaro Ramos. A atração reuniu 22 depoimentos de atores interpretando nomes conhecidos pelo grande público na luta contra o racismo, como Nelson Mandela (Bukassa Kabengele) e Martin Luther King (Guilherme Silva). No programa, Taís Araújo interpretou Marielle Franco, vereadora assassinada no Rio de Janeiro, Tatiana Tibúrcio viveu a mãe do menino Miguel Otávio, que caiu de um dos andares de um prédio de luxo no Recife, enquanto estava sob os cuidados da patroa da mãe, e Silvio Guindane interpreto o pai de João Pedro, menino morto a tiros durante uma operação da polícia. O especial Fala Negras também contou com Muhammad Ali (Babu Santana), Milton Santos (Aílton Graça), Luiz Gama (Flavio Bauraqui), Lélia Gonzalez (Mariana Nunes), Angela Davis (Naruna Costa), Luiza Bairros (Valdineia Soriano), Malcolm X (Samuel Melo), entre outros. Para ...

    Leia mais
    Mirtes Renata Santana, mãe de Miguel Otávio Santana da Silva Imagem: JÚLIO GOMES/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Racismo que matou João e vitimou Miguel encontra reação nas urnas

    O racismo desvaloriza as vidas negras. João Alberto Silveira Freitas, 40, um homem negro, foi espancado por um policial militar e um segurança na noite desta quinta (19) no estacionamento do Carrefour em Porto Alegre (RS). Mais um caso de violência racial em supermercados. Em 2019, vimos a tortura de um jovem negro de 17 anos no Ricoy, em São Paulo, e o sufocamento até a morte de outro jovem negro no Extra, no Rio. Em Recife, Miguel, o menino de Mirtes, completaria seis anos esta semana. Ele nasceu em 17 de novembro de 2014, às 7h42, rechonchudo. Pesou 4,5 quilos e mediu 42 centímetros. Teve a vida interrompida pelo desprezo, a negligência, a crueldade que muitas vezes determinam as relações raciais no Brasil. Miguel era muito pequeno. Não teve tempo de aprender o lugar do negro no país onde a sociedade se estruturou sobre o mais numeroso e longo ...

    Leia mais
    (Foto: Alberto Henschel. Negra de Pernambuco, c. 1869. Recife, Pernambuco / Convênio Instituto Moreira Salles –Leibniz-Institut für Länderkunde)

    Vidas negras importam, vidas negras importadas e vidas negras expropriadas

    “Pela primeira vez na história humana, o nome Negro deixa de remeter unicamente para a condição atribuída aos genes de origem africana durante o primeiro capitalismo (predações de toda a espécie, desapossamento da autodeterminação e, sobretudo, das duas matrizes do possível, que são o futuro e o tempo). A este novo carácter descartável e solúvel, à sua institucionalização enquanto padrão de vida e à sua generalização ao mundo inteiro, chamamos o devir-negro do mundo.” (MBEMBE, 2014. p. 18) (grifo do autor) Assim o filósofo e cientista político Achille Mbembe (1957) introduz uma de suas principais obras, Crítica da Razão Negra (2013), em que tanto traça um panorama do Negro enquanto categoria ontológica² , trazida historicamente, primeiro em sentido negativo, do Negro como “aquele (ou ainda aquele) que vemos quando nada se vê, quando nada compreendemos e, sobretudo, quando nada queremos compreender” (p. 11), segundo em sentido positivo, em um dado ...

    Leia mais
    Coalizão Negra Por Direitos/Facebook

    Boicote Nacional ao Carrefour

    COALIZÃO NEGRA POR DIREITOS, articulação que reúne 150 organizações, coletivos e entidades do movimento negro e antirracista de todo o Brasil, que atuam coletivamente na promoção de ações de incidência política nacional e internacional na defesa dos direitos da população negra brasileira, expressa seu repúdio à mais um episódio de violência racial em uma das unidades da Rede de Supermercados Carrefour. O vídeo que circula nas redes sociais não deixa dúvidas sobre a covardia do ocorrido. Dois seguranças do supermercado Carrefour, sob o olhar de um policial militar fora de serviço, espancam até a morte um homem negro sem nenhuma possibilidade objetiva de se defender. Não é a primeira vez, a rede Carrefour é reincidente em casos de violência racial, e portanto precisa ser responsabilizado por essas práticas. No ano de 2009, seguranças da rede de supermercados espancaram Januário Alves de Santana na unidade de Osasco, ao argumento de que ...

    Leia mais
    Foto: Reprodução/ Carrefour

    Na véspera do Dia da Consciência Negra, seguranças matam homem negro a socos em Carrefour de Porto Alegre

    Barbárie em Porto Alegre em plena véspera do feriado pelo Dia da Consciência Negra. Dois seguranças da loja do Carrefour no bairro de Passo D’Areia espancaram um homem negro, identificado como João Alberto Silveira Freitas. A vítima tinha 40 anos e morreu em decorrência da agressão que sofreu. Relatos de testemunhas afirmam que o espancamento teria sido justificado por uma suposta discussão entre a vítima e uma mulher que seria funcionária do supermercado. Segundo o Zero Hora, uma testemunha contou que João Alberto teria ameaçado a agredir a mulher, mas depois foi embora, mas acabou sendo seguido pelos seguranças, que depois o agrediram. Homem NEGRO é espancado até a morte, EM PORTO ALEGRE, por seguranças do SUPERMERCADO CARREFOUR. Covarde e bárbaro homicídio !!! Homem é morto após ser espancado por seguranças em supermercado da zona norte de Porto Alegre https://t.co/HR3smaDJVd pic.twitter.com/xUPJ1hkLgp — Pedro Ruas (@PedroRuasPsol) November 20, 2020 A Brigada ...

    Leia mais
    Foto: Divulgação

    #TireORacismoDeCampo

    Em parceria com o Corinthians e o Atlético Mineiro, Gama e Alma Preta contam as histórias de pessoas negras assassinadas no Brasil. No mês em que se celebra o Dia da Consciência Negra, os times dão voz ao movimento Vida Negras Importam dentro do futebol, homenageando em campo vítimas de violência racial; Gama e Alma Preta resgatam as biografias e os sonhos perdidos em campanha idealizada pela agência Wieden+Kennedy. Um minuto de silêncio marcou o início da partida do Campeonato Brasileiro entre Corinthians e Atlético Mineiro em andamento em Itaquera. Os jogadores e os treinadores dos dois times entraram no gramado em Itaquera carregando camisetas com os nomes de vítimas da violência racial no Brasil — todas estampadas com o número 23, chamando a atenção para o dado devastador: a cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado no país. A ação acontece no mês em que se celebra o ...

    Leia mais
    Foto: SILVIA IZQUIERDO / AP

    Eleger negros nas próximas eleições é o modo de fortalecer nossa democracia e demonstrar que vidas negras importam

    A luta contra o racismo é algo que tem a capacidade de começar a transformar a sociedade porque ele é a base de muitas de nossas relações, fazendo com que o racismo não se trate apenas de um ato ou comportamento degradante de um branco contra um negro, mas de toda uma metodologia que mantém privilégios raciais. Quando nos colocamos a combater o racismo, estamos lutando contra todos os tipos de privilégios, porque a população negra foi a que menos os conquistou ao longo da história do Brasil, pelo contrário, sempre desfavorecida e prejudicada por um conjunto de práticas que privilegiariam os brancos. Mesmos os negros sendo maioria da população, são os menos ricos, os que menos estão em posições de poder e os que menos tem acesso a políticas públicas e equipamentos de saúde e educação, sendo maioria nos presídios. Esses dados revelam a enorme exclusão racial e como o ...

    Leia mais
    Manifestantes enfrentam polícia após homem negro ser morto por policiais na Filadélfia 27/10/2020 REUTERS/Bastiaan Slabbers

    Pai de homem negro morto pela polícia da Filadélfia pede calma após novos tumultos

    A família de um homem negro da cidade norte-americana da Filadélfia que foi morto a tiros pela polícia pediu calma na terça-feira depois que uma segunda noite de protestos contra sua morte renovou os episódios de violência --houve choques entre policiais e manifestantes e alguns saques em lojas. As tensões tomaram as ruas da Filadélfia a partir de segunda-feira, quando a polícia matou Walter Wallace, de 27 anos, que estava armado com uma faca e que parentes disseram ter sofrido um colapso mental, em um confronto com agentes da lei. Centenas de pessoas marcharam exigindo justiça racial, e algumas enfrentaram policiais durante a noite e também na manhã desta quarta-feira. A Filadélfia se tornou o foco mais recente dos debates sobre raça e uso da força policial nos Estados Unidos. As manifestações de terça-feira começaram pacíficas, mas ficaram mais agressivas ao anoitecer, como no dia anterior. A polícia compareceu em ...

    Leia mais
    Divulgação

    Anistia Internacional exige investigação sobre disparo que atingiu Maiara da Silva, grávida de cinco meses, atingida na Maré.

    A Anistia Internacional Brasil presta sua solidariedade à jovem Maiara Oliveira da Silva de 20 anos, moradora do Complexo da Maré. De acordo com as informações noticiadas pela imprensa, Maiara, grávida de cinco meses, foi baleada na barriga durante uma operação da Polícia Civil nas favelas do Complexo da Maré, realizada nesta terça-feira, 27/10. Maiara segue hospitalizada e seu estado é considerado grave. A Anistia Internacional Brasil mais uma vez exige providências do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro no sentido de investigar as circunstâncias dessa violação de direitos humanos, bem como identificar, processar e responsabilizar os responsáveis pelo disparo que atingiu Maiara. Da mesma maneira, a Anistia Internacional Brasil exige do MP RJ explicações sobre a ausência de um promotor plantonista responsável por acompanhar a ação e receber as denúncias de violações de direitos humanos, ocorridas durante a ação policial, conforme determinado pelo STF. Cobramos também da ...

    Leia mais
    Manifestação da Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio na av.Paulista contra as mortes de jovens negros provocadas por policiais Imagem: Divulgação/Retirada do site UOL

    Negros são oito de cada 10 mortos pela polícia no Brasil, aponta relatório

    Kauan Alves de Almeida, 16 anos, queria ser cantor de funk. Na manhã de Natal do ano passado, o sonho deixou de existir após o jovem ser assassinado com uma bala no rosto por policiais militares em uma rua na favela Alba, zona sul da capital paulista. Como Kauan, oito a cada dez pessoas mortas pela polícia em 2019 eram negras segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020. Das 6.357 vítimas de violência policial no ano passado, a maior parte, 99% era formada por homens. O documento, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), levou em conta boletins de ocorrências fornecidos por 23 estados — apenas Acre, Amapá, Amazonas e Rio Grande do Norte não encaminharam dados. No comparativo com o número do ano anterior (6.175), houve um aumento de 2,9% na quantidade de mortos por agentes do estado. "A gente está olhando para os números e percebendo ...

    Leia mais
    Policial militar durante patrulhamento no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio Tércio Teixeira/Folhapres

    Em busca de fuzis, polícia do Rio mata até sem apreender arma

    Daniel, 17, estava escondido atrás de um carro na rua Miguel de Cervantes, no Cachambi, zona norte do Rio de Janeiro, junto com dois amigos por volta das 5h45 do dia 1º de janeiro de 2019. O trio, segundo policiais, acabara de participar do roubo de um carro. Faltavam ainda três horas para a cerimônia de posse de Wilson Witzel (PSC) no governo fluminense quando o adolescente foi atingido por um tiro nas costas —o nome pelo qual ele é identificado nesta reportagem é fictício, para resguardar sua família.​ Os cinco policiais que participaram da primeira das 1.814 mortes em supostos confrontos no estado em 2019 relataram que, ao avistar o trio suspeito, foram alvo de disparos. A perícia da Divisão de Homicídios (DH) identificou uma marca de tiro na lataria da viatura que usavam. Na delegacia, os cinco agentes disseram ter disparado, no total, 3 tiros de fuzil e ...

    Leia mais
    Irmão gêmeo de Gustavo Amaral, Guilherme (ao centro), e ativistas protestaram em Porto Alegre contra a impunidade (Foto: ARQUIVO PESSOAL)

    Morte de engenheiro negro por policial no RS gera indignação e movimento Black Lives Matter local

    No dia 19 de abril deste ano, o engenheiro elétrico gaúcho Gustavo Amaral, de 28 anos, estava radiante: era seu primeiro dia como chefe de equipe, liderando uma operação de manutenção de subestações. Gustavo morava em Santa Maria e trabalhava na empresa de seu pai de serviços elétricos. Ele dirigia o carro da empresa a caminho do trabalho em Marau, no noroeste do Rio Grande do Sul, junto com outros três colegas quando parou em uma barreira policial na estrada. Os policiais da região haviam montado a barreira para interceptar uma caminhonete que havia sido roubada por ladrões. Os bandidos se depararam com o bloqueio mas avançaram mesmo assim, atingindo em cheio o carro de Amaral. Nesse momento, o jovem engenheiro elétrico e seus três colegas saíram às pressas do veículo e buscaram um lugar seguro para se proteger. Os quatro trabalhadores vestiam uniformes da empresa, que incluem calças refletoras ...

    Leia mais
    Jacob Blake (Foto: Reprodução/Twitter)

    EUA: Jacob Blake, homem negro que foi baleado nas costas por policiais, deixa hospital após seis semanas

    Jacob Blake deixou o hospital em Milwaukee, Wisconsin após seis semanas e foi transferido para um centro de reabilitação de coluna vertebral em Chicago, Illinois. Em 23 de agosto, Blake foi baleado com sete tiros nas costas por policiais na cidade de Kenesha. Ele ficou com os movimentos da cintura para baixo paralisados. #JacobBlake released this powerful video message from his hospital bed today, reminding everyone just how precious life is. #JusticeForJacobBlake pic.twitter.com/87CYlgPDBj — Ben Crump (@AttorneyCrump) September 6, 2020 A violência policial contra o homem negro fez ressurgir um nova onda de protestos nos Estados Unidos alguns meses após as manifestações que eclodiram no país após o assassinato por sufocamente de George Floyd, também negro, pela polícia norte-americana. Os disparos contra Blake atingiram o estômago, rins, fígado, cólon e intestino delgado. Para mostrar solidariedade a Blake e aos manifestantes, que estavam sendo reprimidos pelo governo de Donald Trump, jogadores ...

    Leia mais
    Mirtes Souza, mãe de Miguel Otávio, que morreu ao cair do 9º andar de um prédio em Recife Imagem: Pedro De Paula/Código 19/Folhapress

    ONU cita caso de Miguel como exemplo de “racismo sistêmico” na pandemia

    O acidente que resultou a morte do garoto Miguel Otávio Santana da Silva, de cinco anos no Recife, é um exemplo de como o "racismo sistêmico" cobra seu preço durante a pandemia. O alerta faz parte de um documento produzido pelo Grupo de Trabalho da ONU sobre Pessoas de Descendência Africana. O caso brasileiro é mencionado como uma demonstração de que certas populações são vulneráveis durante a pandemia e que a situação das empregadas domésticas no país é exemplo disso. O governo poderá dar uma resposta nesta quarta-feira, durante o debate no Conselho de Direitos Humanos da ONU que irá tratar do tema. De acordo com o texto, em todo o mundo, "falhas em avaliar e mitigar riscos associados à pandemia e ao racismo sistêmico levaram a fatalidades". "No Brasil, a trágica morte de Miguel Otávio Santana da Silva, uma criança afro-brasileira de 5 anos de idade, foi um desses ...

    Leia mais
    Foto não datada de William Green — Foto: Brenda Michaele Green via AP

    Família de William Green, assassinado por policial nos EUA recebe US$ 20 milhões após acordo

    A família de um homem negro morto por um policial dos Estados Unidos receberá US$ 20 milhões (cerca de R$ 112,6 milhões) após um acordo civil, anunciou seu advogado nesta segunda-feira (28). Em um dos maiores acordos do gênero nos Estados Unidos, o condado de Prince George, em Maryland, pagará essa quantia à família de William Green, que foi baleado e morto algemado no início deste ano. "É um acordo histórico que reflete a natureza hedionda, a natureza brutal, a natureza sem sentido do que aconteceu com Green", disse o advogado William Murphy. Green foi preso no dia 27 de janeiro no condado de Prince George, que faz fronteira com a capital dos Estados Unidos, Washington, após supostamente bater seu carro em vários outros. O policial Michael Owen teria atirado seis vezes em Green, de 43 anos, enquanto ele estava algemado e no carro da polícia. Owen, que também é negro, ...

    Leia mais
    Página 1 de 11 1 2 11

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist