Justiça realiza audiência de instrução do julgamento dos PMs acusados de matar Kathlen Romeu

Enviado por / FonteG1

Marcos Felipe da Silva Salviano e Rodrigo Correia de Frias serão julgados na 2ª Vara Criminal da Capital. Kathlen tinha 24 anos e estava grávida quando foi morta por um tiro no Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio, em julho de 2021.

A Justiça Fluminense marcou para esta segunda-feira (29) uma audiência de instrução e julgamento dos PMs acusados de atirar contra a jovem Kathlen RomeuMarcos Felipe da Silva Salviano e Rodrigo Correia de Frias serão julgados na 2ª Vara Criminal da Capital.

Kathlen tinha 24 anos e estava grávida quando foi morta por um tiro no Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio, em julho de 2021.

Na terça-feira passada (23), o juiz Leonardo Rodrigues da Silva Picanço ouviu os cinco policiais militares acusados de fraude processual na operação que terminou na morte de Kathlen.

  • os PMs Cláudio da Silva Scanfela, Marcos da Silva Salviano, Rafael Chaves de Oliveira e Rodrigo Correia de Frias passaram a réus por duas fraudes processuais e por dois crimes de falso testemunho.
  • o capitão Jeanderson Corrêa Sodré virou réu por fraude processual na forma omissiva.

O que os PMs disseram

O primeiro réu a prestar depoimento foi o capitão Jeanderson Sodré. Ele disse que estava em patrulhamento de rotina na região quando ouviu disparos de fogo e avistou dois policiais acenando para a viatura. De acordo com o capitão, os dois PMs informaram que havia uma moradora baleada. Sodré afirmou que prestaram socorro à vítima e que, devido ao protesto dos moradores, não foi possível preservar o local do homicídio para perícia.

Em seguida, o cabo Rodrigo Frias contou que estava em patrulha no beco com outros dois policiais, quando foram surpreendidos por disparos de bandidos. O PM disse que revidou aos tiros e que, no final do beco, viu uma mulher caída no chão e uma senhora gritando, ao lado. Após o socorro a Katlhen, ele aponta que o sargento Rafael Chaves recolheu sacolas que foram abandonadas pelos bandidos na rua. Nessas bolsas, de acordo com o cabo, havia papelotes de maconha, cocaína e crack, carregadores de pistola e de fuzil e munição.

Outro policial presente no beco, o cabo Marcos Felipe Salviano admitiu que efetuou cinco disparos de fuzil durante a operação.

Já o sargento Rafael Chaves falou que, devido à necessidade de sair do local rapidamente por pressão dos moradores, conseguiu pegar apenas parte das sacolas largadas na rua. Ele negou que tenha retirado objetos do chão. Outro PM que prestou depoimento foi o cabo Cláudio da Silva Scanfela.

PMs foram denunciados

De acordo com a denúncia do Ministério Público, os PMs Chaves, Frias, Scanfela e Salviano retiraram o material que estava no local em que Kathlen foi atingida antes da chegada da perícia, e ainda acrescentaram 12 cartuchos calibre 9 milímetros deflagrados e um carregador de fuzil 556, com 10 munições intactas.

Mais tarde, o material foi apresentado pelos policiais na 26ª Delegacia de Polícia (Todos os Santos). O MP avalia que os policiais cometeram fraude processual para dar a impressão de um confronto com criminosos na região. Testemunhas negam que houvesse um tiroteio no momento em que Kathlen foi atingida.

“Ato contínuo, enquanto deveriam preservar o local de homicídio, aguardando a chegada da equipe de peritos da Polícia Civil (PCERJ), os denunciados Frias, Salviano, Scanfela e Chaves o alteraram fraudulentamente, realizando as condutas acima descritas, com a intenção de criar vestígios de suposto confronto com criminosos”, diz um trecho da denúncia do MPRJ.

Os policiais alegaram inicialmente na época que trocavam tiros com criminosos quando Kethlen foi atingida.

+ sobre o tema

Brizola e os avanços que o Brasil jogou fora

A efeméride das seis décadas do golpe que impôs...

Milton Nascimento será homenageado pela Portela no carnaval de 2025

A Portela, uma das mais tradicionais escolas de samba...

Saiba os horários das provas do Concurso Nacional Unificado

Os mais de 2,5 milhões de candidatos inscritos no...

Aluno africano denuncia racismo em mensagem com suásticas nazistas na UFRGS; polícia investiga

Um estudante africano da Universidade Federal do Rio Grande do Sul...

para lembrar

Rio acumula mortes por “balas perdidas” não investigadas

A designer Kathlen Romeu, morta aos 24 anos após ser atingida...

Racismo estrutural: 75% dos mortos em chacinas no Rio eram negros

O Rio tem a segunda maior população negra entre...

Saquarema realiza 640 exames de imagem gratuitos durante ações do Outubro Rosa

A Prefeitura de Saquarema realizou 400 exames de mamografia...
spot_imgspot_img

Rio cria dia estadual para reflexão sobre morte de jovens negros

O governo do Rio de Janeiro sancionou a lei que cria o Dia de Luta Jovem Preto Vivo – João Pedro Matos Pinto, aprovada...

‘Minha tia perdeu uma vida inteira’, diz sobrinho de idosa resgatada após 72 anos de trabalho análogo à escravidão

Veja o vídeo da matéria A família de Maria de Moura, de 87 anos, resgatada em condição análoga à escravidão em março de 2022, denunciou ao Fantástico deste...

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou que o Estado do Rio de Janeiro e o município do Rio se abstenham de apreender e...
-+=