Juventude Viva vai investir R$ 70 milhões em combate à violência

Segundo dados do Ministério da Saúde, 53% dos homicídios no Brasil atingem pessoas jovens

Depois dos programas Água Para Todos e Brasil Mais Seguro, Alagoas sedia, nesta quinta-feira (27), o lançamento do Plano de Prevenção à Violência contra a Juventude Negra, o Juventude Viva. A solenidade está marcada para as 11h, no Teatro Gustavo Leite, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Jaraguá. Na sequência, haverá entrevista coletiva com ministros e o governador Teotonio Vilela.

O Juventude Viva tem o objetivo de reduzir o elevado índice de homicídios que atinge os jovens negros em todo o País, com maior gravidade em 132 municípios, que serão priorizados no Plano. A iniciativa chega a Alagoas, em caráter experimental, contemplando, além da capital, as cidades de Arapiraca, União dos Palmares e Marechal Deodoro. Serão investidos cerca de R$ 70 milhões em recursos novos, distribuídos em mais de 30 iniciativas que integram 25 programas federais.

A capital alagoana foi escolhida para implementação inicial do Plano por dois motivos: primeiro, pela posição que a cidade ocupa (2ª) entre as 132 que concentram mais de 70% dos homicídios registrados no País, mas também por ter sido a primeira cidade a abrigar o Programa Brasil Mais Seguro, do Ministério da Justiça, que após três meses já apresenta resultados importantes na redução dos índices de violência. Além de Maceió, outras três cidades do Estado integram essa lista, no caso, Arapiraca (30ª posição), Marechal Deodoro (119ª) e União dos Palmares (123ª).

O governador Teotonio Vilela destaca a importância do programa para Alagoas.”Esse é um programa importantíssimo para a cidadania alagoana e que chega para somar em nosso projeto de políticas publicas de enfrentamento às desigualdades em nosso Estado. O Juventude Viva terá ações integradas com varias secretarias de Estado e cuja meta será a qualificação da nossa sociedade no futuro de todos os jovens alagoanos”, afirma.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 53% dos homicídios no Brasil atingem pessoas jovens, das quais 75% são negros e negras, de baixa escolaridade, sendo a maioria do sexo masculino. Os dados revelam ainda que ao longo da última década esses índices vêm crescendo. Tomando-se por base os anos de 2000 e 2010, o número de mortes de jovens negros subiu de 14.055 para 19.255.

Sob a coordenação da Secretaria-Geral da Presidência da República, por meio da Secretaria Nacional de Juventude, e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), o Plano é resultado de uma intensa articulação interministerial, além de ter sido debatido com os movimentos e entidades da sociedade civil.

O Juventude Viva foi elaborado com a parceria dos Ministérios da Justiça, Saúde, Educação, Trabalho e Emprego, Cultura e Esporte e reúne ações de prevenção, que visam reduzir a vulnerabilidade desses jovens, criando oportunidades que assegurem sua inclusão social e autonomia, com a oferta de equipamentos, serviços públicos e espaço de convivência nos territórios mais violentos, além do aprimoramento da atuação do Estado para enfrentar o racismo institucional e sensibilizar os agentes públicos para o problema.

Para a secretária de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, Katia Born, o Juventude Viva vai garantir um maior acesso da população negra aos serviços públicos. “É um projeto de inclusão social. Que agrega os governos federal, estadual, municipal e toda a sociedade (ONGs, universidades, iniciativa privada) em prol do combate à violência da juventude negra. É um plano de ações integradas muito bem desenvolvido para que essa população tenha maior acesso à cultura, esporte, educação, saúde e trabalho – incluindo-os socialmente também através de capacitações e cursos profissionalizantes”, ressalta.

Durante o lançamento do Juventude Viva em Alagoas estarão presentes os ministros Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República, Luiza Bairros, da Política de Promoção da Igualdade Racial, Brizola Neto, do Trabalho e do Emprego, e José Eduardo Cardozo, da Justiça.

 

Fonte: Tribuna Hoje 

+ sobre o tema

Após comentários racistas, dono dos Clippers é banido pela NBA

Jornal GGN – Pouco tempo depois de virem...

Gaspari compara Pezão ao Menor que ele Préjulgou

O colunista Elio Gaspari publica, neste domingo, um duro...

Racismo estrutural: 75% dos mortos em chacinas no Rio eram negros

O Rio tem a segunda maior população negra entre...

para lembrar

Fotógrafo é vítima de provocação racista de argentino no Rio

Em seguida, os argentinos se desculparam pela “brincadeira” e,...

Tucanos Contra as Cotas Para Negros e Índios

Por Lauro Jardim Pela primeira vez, o PSDB saiu...

Após caso de racismo com Ludmila, Marcão é demitido da TV Record

Nesta quarta-feira, 18, a TV Record decidiu demitir o...

No caso Rafael Braga depoimento da polícia basta

Único condenado nos protestos de 2013 por portar frasco...
spot_imgspot_img

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...

O amor com o sol da manhã

Eu gosto do amor, eu gosto de amar. Inclusive, já escrevi muito sobre o amor nestas páginas, algumas vezes de forma explícita, outras vezes...
-+=