Kenzo em movimento: marca lança vídeo com pegada política

Dirigido por Partel Oliva, ele levantar a bandeira para causas como racismo e opressão sexual

Em meados de agosto passado, a Kenzo causou furor nas redes sociais graças a um vídeo dirigido pelo premiado Spike Jonze. Estrelado pela atriz e modelo americana, Margaret Qualley, ele promovia o novo perfume da marca “World”. E nele, Margaret se rebelava em uma festa black tie de forma inusitada. Se você ainda não o assistiu, vale a pena.

Fonte: Marie Claire

A novidade da grife comandada por Carol Lim e Humberto Leon para esta estação é um novo vídeo, desta vez dirigido por Partel Oliva – este é o quinto dele para a Kenzo. E a ideia principal desta vez é abrir os olhos através da arte para problemas do nosso cotidiano, como racismo e opressão sexual. As roupas aparecem, claro, mas é o casting e a dança os elementos que mais se destacam. “Club Ark Eternal” foi coordenado pelo coreógrafo Ryan Heffington, nome por trás da performance da pequena Maddie Ziegler no vídeo “Chandelier” a cantora Sia. Ziegler se inspirou na kizomba para criar coreografia. Assista abaixo:

+ sobre o tema

Inquérito da ONU equipara morte de Floyd com racismo da polícia brasileira

A investigação realizada pela ONU a partir da morte...

Respeito é bom e nossa liberdade agradece!

Durante o programa do Big Brother Brasil deste ano,...

Por que nos mobilizamos pela França, mas nos esquecemos da Nigéria?

Atentado ao ‘Charlie Hebdo’ coincidiu com ofensiva da Boko...

Opinião: Europa precisa despertar para o racismo

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em...

para lembrar

Garis: Justiça condena Boris Casoy

A 8ª Câmara de Direito Privado de São Paulo...

A demolição de um templo de candomblé em Brasília e a liberdade religiosa.

Mais uma vez, os adeptos das religiões de matrizes...

Gol é condenada a pagar R$ 20 mil por racismo

Ao ter problemas para embarcar em seu voo, cliente...

Ativista do racismo norte-americano se descobre negro em teste na TV

O norte-americano Craig Cobb, 62, polêmico defensor da supremecia...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=