Laboratório de Goiânia se recusa a realizar exame em professor com rastafári

Laboratório de Goiânia se recusa a realizar exame em professor com rastafári.

Segundo Pedro Barbosa, clínica se recusou a utilizar seu cabelo em exame toxicológico para renovação da CNH de categoria profissional.

Laboratório de Goiânia se recusa a realizar exame em professor com rastafári
Faceboock/ Acervo Pessoal

Por Matheus Monteiro Do jornal Opção

Laboratório de Goiânia se recusa a realizar exame em professor com rastafári

O professor de Ciências Sociais na Universidade Ferdal de Goiás (UFG) Pedro Barbosa denunciou ao Ministério Público de Goiás (MP-GO) que sofreu preconceito ao tentar realizar exame toxicológico em um laboratório de Goiânia.

Como sua carteira nacional de habilitação (CNH) é da categoria D, ele tem que realizar exame toxicológico, que alerta para o uso de drogas. Em entrevista ao Jornal Opção, Pedro disse que sua habilitação é de Minas Gerais, onde ele realizou a primeira tentativa para o exame.

“Estava de férias em Uberlândia e, ao fazer o teste, avisei que meu cabelo é natural. No dia de entrega do resultado, me ligaram para avisar que eu teria que repetir o exame por ter cabelo sintético, o que não é verdade”, disse o professor.

Já em Goiânia, onde reside e trabalha, Pedro foi orientado a procurar a mesma rede de laboratórios onde tinha realizado o primeiro teste para repetir a coleta. “Fui na última segunda-feira (21/8) e logo me disseram que a coleta não podia ser feita”, afirmou.

“Procurei então pela médica do laboratório que afirmou que não tinha autorização para fazer coleta em cabelo rastafári”, acrescentou. Segundo ele, a profissional não deu justificativa para o impedimento.

Incomodado, então, Pedro prestou queixa ao Ministério Público alegando preconceito. Segundo ele, uma investigação foi aberta, solicitando justificativa do laboratório, que tem sede em São Paulo, mas até o momento nenhuma resposta foi dada.

Jornal Opção tentou contato com o laboratório acusado, mas, por conta do horário de funcionamento, não obtivemos resposta.

+ sobre o tema

Bill Cosby é condenado por drogar e molestar mulher nos EUA

Ator pode pegar até 10 anos de prisão por...

A demolição de um templo de candomblé em Brasília e a liberdade religiosa.

Mais uma vez, os adeptos das religiões de matrizes...

Reparação histórica

O governo destinará à reforma agrária um dos mais...

para lembrar

Audiência no STF sobre política de cotas terá 38 expositores

No início do mês de março, entre os dias...

Que pito foi esse?

Este artigo se propõe analisar a partir da fala...

De trans a donas de casa, mulheres expiam em grupo dor da violência

Vítimas e mães que perderam os filhos se ajudam...

Juntas ressaltam que músico morto por policiais foi mais uma vítima de racismo institucional

A deputada Jô Cavalcanti, do mandato coletivo Juntas (PSOL), afirmou,...
spot_imgspot_img

Prisão de torcedores deveria servir de exemplo para o futebol brasileiro

A condenação de três torcedores racistas na Espanha demonstra que, apesar da demora, estamos avançando em termos de uma sociedade que quer viver livre...

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...
-+=