Luís Augusto Fischer: Sons negros ao Sul

Dois livros recentes de alto valor cultural, relativos ao mundo da música e da cultura negra cá no Estado, saíram neste ano de 2013. Um resulta do doutorado da Luciana Prass e saiu pela editora Sulina: Maçambiques, Quicumbis e Ensaios de Promessa: Musicalidades Quilombolas do Sul do Brasil. A autora já tinha feito uma linda pesquisa sobre a bateria da escola de samba Bambas da Orgia, que resultou também em livro, pela editora da UFRGS. Disse “linda” e tento contornar essa imprecisão dizendo que se trata de um sério trabalho de pesquisa no que hoje se chama, na universidade, de etnomusicologia, zona de encontro entre antropologia e estudos de música popular, mais ou menos aquilo que antigamente se chamava de folclore.

Essa combinação requer destreza, como se vê, em duas habilidades. Uma é o manejo das categorias e modos de pensar e ver informados pela antropologia, campo do saber que vive de autocrítica em autocrítica, porque sabe que ao estudar seu objeto (era o índio selvagem originalmente, mas passou a ser qualquer “outro”) joga sobre ele sua rede conceitual, sua ideologia, seus valores, motivo suficiente para o etnólogo viver a duvidar do que vê, do que consegue enxergar. A outra habilidade é o campo da música feita de modo tradicional, em geral feita sem conhecimento da notação musical erudita e com grande inserção comunitária.

Demorei no parêntese e dele saio logo: o livro da Luciana é uma beleza de ler, tanto pela qualidade e relevância do tema, expresso no título, quanto pela delicadeza com que se aproximou dos protagonistas da história. E tudo cresce ainda mais porque a autora recobrou um fantástico material documental obtido em 1946 ali na região de Osório, com fotos e gravações que até agora estavam encerradas em arquivos, no Rio. Além de Osório, o trabalho estuda congadas em Rio Pardo e Mostardas, sempre em ambientes quilombolas.

O outro livro também é de etnomusicologia, também feito por um músico e pesquisador da redondeza: o autor é Mateus Berger Kuschick, vulgo Mateus Mapa, e o livro se chama Suingue, Samba-Rock e Balanço: Músicos, Desafios e Cenários (editora Medianiz), com lançamento dia 21 de julho, no Odomodê Afro-Sul. Seu tema gira em torno de um dos mais intrigantes mistérios da relação entre Porto Alegre e o Rio de Janeiro: seria verdade que o samba-rock de um Jorge Ben devia algo ao suingue do gaúcho Luis Vagner, o guitarreiro? O Mateus vai atrás desse mote para descrever laços entre rock e o samba (da Acadêmicos, em primeiro lugar), sondando o mundo da música negra da capital gaúcha com qualidade, humor e bom texto.

 

Fonte: Portal Vitrine 

+ sobre o tema

Um ano da passagem de Abdias Nascimento ao Orum

No dia 23 de maio próximo, completa-se um ano...

Botucatu, no interior paulista, lança Plano pela Igualdade

Botucatu/SP - Botucatu, cidade de 130 mil habitantes...

Estudantes negros da FGV lançam aplicativo para afro-empreendedores

Taxi, entrega de comida, manicure e até motoboy. Os...

Família e amigos de Holyfield falam da trajetória do pugilista após incêndio

Por: Ingrid Maria Machado e Sérgio Pinheiro Reginaldo Holyfield...

para lembrar

Túnel da Abolição vira galeria de arte negra a céu aberto

Através do nome que rememora a luta das pessoas...

Rihanna planeja fazer documentário sobre os 20 anos de sua carreira

Ela é uma das maiores superestrelas da música mundial,...

Cientista publica primeiro genoma de homem negro

Esta semana está sendo especial para os negros não...

Em homenagem a Mandela, Obama e Raúl Castro se cumprimentam

O presidente dos EUA, Barack Obama, apertou a mão...
spot_imgspot_img

Da fofoca às janelas do Brasil, exposição evidencia africanidade que vive em nós

Depois da fofoca e de um cafuné no meu caçula, tentei tirar um cochilo, mas terminei xingando uma cambada de moleques que cantavam "Tindolelê" na rua. A frase ficou meio maluca, mas essa loucura tem seu método...

Graciela Soares se inspira na obra de Carolina Maria de Jesus para o lançamento de single inédito

A partir do 7 de junho, a cantora e compositora Graciela Soares apresenta nas principais plataformas de áudio o seu primeiro single autoral Despejo, confira o link do...

Coletivo Kukuru Itan realiza oficina gratuita de teatro de Nanã para idosos durante o mês de junho

Com a missão de valorizar a identificação de idosos racializados, sobretudo negros, o Coletivo Kukuru Itan criou a oficina de teatro de Nanã, que acontece durante o mês...
-+=