Luislinda Valois nega que tenha recebido convite de Temer

Apesar da imprensa nacional ter divulgado que a desembargadora aposentada Luislinda Valois foi escolhida pelo presidente interino Michel Temer (PMDB) para assumir a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), a baiana negou nesta segunda-feira, 6, em conversa com o Portal A TARDE, que tenha recebido qualquer convite.

Por Paula Pitta, do A Tarde 

A assessoria da Seppir também não confirmou oficialmente que o nome do titular da secretaria tenha sido definido e afirmou que não há prazo para que isso aconteça.

Questionada se aceitaria o convite, a desembargadora, que é a primeira juíza negra do país, preferiu não se posicionar. “Eu ainda não decidi nada. Deixa primeiro me falarem (do convite) “, afirmou.

Após o afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT), a desembargadora usou as redes sociais para criticar a ausência de negros e mulheres no primeiro escalão do governo do presidente interino.

“Mais uma vez temos no Brasil homens brancos comandando todos os seguimentos da nossa sociedade. Negros/ índios/ mulheres etc continuam sendo bons eleitores e excelentes contribuintes. Aos negros, acredito, não interessa o segundo patamar do governo. Somos competentes e por isso exigimos ministros negros e ministras negras”.

Se o nome de Luislinda Valois se confirmar como titular da Seppir, ela, que é filiada ao PSDB, será a primeira negra no governo de Temer. A suposta escolha dela para o cargo gerou posições diferentes nas redes sociais. Alguns internautas parabenizaram a desembargadora e comemoraram a escolha. Já outros usaram o Facebook para pedir para a baiana não assumisse um cargo na equipe do peemedebista, alegando que é um “governo golpista”.

A desembargadora é a primeira negra a se tornar juíza no Brasil em 1984 e também foi a primeira autora de sentença de condenação por racismo no país. Luislinda Valois foi condecorada com o título de embaixadora da paz da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2012.

+ sobre o tema

Artista interdisciplinar Grada Kilomba vem à Flip propor seu método

Autora portuguesa vem ao Brasil lançar simultaneamente uma edição...

Pesquisadora relaciona cantoras de samba a lutas do movimento de mulheres negras

A luta atual das mulheres negras contra o racismo...

Obama precisa se justificar perante o Congresso sobre ação militar na Líbia

A Casa Branca enviou, nesta quarta-feira, um dossiê de...

A periferia que a esquerda não viu!

Alguém já parou pra pensar que a esquerda pode estar...

para lembrar

Me deixem em paz – Por: Fernanda Pompeu

1964 + 50Histórias de pessoas de carne e osso...

Mortalidade materna de mulheres negras é o dobro da de brancas, mostra estudo da Saúde

Assim como outros indicadores de saúde, a mortalidade materna é...

Para Marilena Chauí, segundo turno não pode se tornar ‘plebiscito sobre aborto’

Em ato pró-Dilma em São Paulo, a professora...

Presidenta Dilma Rousseff recebe lideranças do Movimento Negro

Educação, saúde, democratização da comunicação e enfrentamento à violência...

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Comida mofada e banana de presente: diretora de escola denuncia caso de racismo após colegas pedirem saída dela sem justificativa em MG

Gladys Roberta Silva Evangelista alega ter sido vítima de racismo na escola municipal onde atua como diretora, em Uberaba. Segundo a servidora, ela está...
-+=