Machismo: Fiat gera revolta por incentivar ‘cantadas’ no trânsito

Manual lançado pela marca sugere uso da buzina para paquerar e recomenda que mulheres com saia curta usem o banco de trás para não desconcentrar o motorista; cartilha precisou ser retirada de circulação após protestos

Da Revista Fórum

fiat

A Fiat argentina precisou tirar de circulação um manual que incentivava ‘cantadas’ no trânsito. Entre as dicas, a cartilha sugere o uso da buzina para paquerar e recomenda que mulheres com saia muito curta ocupem o banco traseiro, para não desconcentrar o motorista.

“Se a saia não é muito curta, mas o motorista tem a mão comprida, que também viaje atrás”, diz o texto.

fiat1

O teor preconceituoso do manual não para por aí. Em meio às recomendações de como aproveitar melhor o veículo, a marca manteve a ironia ao explicar sobre a utilização do ar condicionado.

“Lembramos que do calorzinho podem ser tiradas vantagens como: induzir uma menina de quem você goste a tirar uma peça de roupa”.

Sobre as candidatas a “copiloto”, mais machismo: “Se não for muito boa em diálogo, deve saber algumas piadas ou, no caso de ser uma garota, ao menos ter pernas lindas”. O coletivoNi una a menos usou sua página no Facebook para denunciar o caso, compartilhando fotos do panfleto. Após inúmeras críticas, a empresa lamentou o impacto negativo e afirmou que “nunca teve como objetivo faltar com respeito à comunidade”.

 

+ sobre o tema

Gisele, eu tenho um cérebro!

Algum tempo atrás eu escrevi um artigo intitulado "E...

Relatório aponta desigualdades de gênero no acesso à educação

No marco da Campanha Educação Não Sexista e Anti...

Nós precisamos do feminismo

O machismo é assustador. Causa medo, pânico, oprime, violenta,...

Secretarias se unem para atuar em atenção à saúde da mulher

A Secretaria Estadual da Mulher (SecMulher) e a Secretaria...

para lembrar

spot_imgspot_img

Sonia Guimarães, a primeira mulher negra doutora em Física no Brasil: ‘é tudo ainda muito branco e masculino’

Sonia Guimarães subverte alguns estereótipos de cientistas que vêm à mente. Perfis sisudos e discretos à la Albert Einstein e Nicola Tesla dão espaço...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula Oliveira esperou para testemunhar o julgamento sobre o assassinato de seu filho, o jovem Johnatha...

O atraso do atraso

A semana apenas começava, quando a boa-nova vinda do outro lado do Atlântico se espalhou. A França, em votação maiúscula no Parlamento (780 votos em...
-+=