Ser feminista negra é uma coisa.Ser feminista branca é outra coisa.

Pra quem não sabe, Eliane é esposa do Mano Brown e produtora dos Racionais MCs. Esse é um trecho da entrevista a repórter  Marie Declercq.

Por  Arísia Barros, Do Cada Minuto 

Ser feminista negra é uma coisa. Ser feminista branca é outra coisa. Os problemas que uma mulher branca tem não chega aos pés dos problemas que uma mulher negra tem. A branca tem o problema de ser mulher, a negra tem o problema de ser os dois: mulher e negra. Se nós tivéssemos a mesma idade hoje, com certeza você teria 80% talvez mais de chances de ter um bom trabalho e de ser respeitada. Uma mulher branca não é sozinha, ela tem um homem branco. E o homem negro quer a mulher branca também.

A mulher negra da periferia sempre foi feminista. Por que? Porque a gente faz tudo, mas só não temos consciência disso. Minha mãe criou quatro filhos, de quatro homens diferentes. Ela sempre foi independente, sempre fez as coisas dela. Ela nunca se submeteu a nada, ela nunca ficou, nas palavras dela, sob o pé de ninguém. Ela criou três filhas dessa forma. Somos três mulheres e um homem. Às vezes lutamos de uma forma mais silenciosa, outras vezes a gente vai pra cima, mas a gente luta.

Inúmeras mulheres negras são assim. As mulheres negras nunca abandonam seus netos, seus filhos, os terreiros de candomblé na maioria são chefiados por mulheres negras e são elas que abraçam e acolhem todo mundo. Então o feminismo é presente. Conheço mais de 30 casas que são chefiadas por mulheres negras. Elas criam os filhos, se tem marido vai bem, se não tem marido vai bem também.

Está enriquecedor e estamos se conhecendo, adquirindo um novo conhecimento para saber que não é coisa do destino que define a vida da mulher negra. É o seu gênero e sua raça que define o que vai acontecer.”

http://www.vice.com/pt_br/read/eliane-dias-mulher-negra-feminismo-periferia?utm_source=vicefbbr

+ sobre o tema

As mulheres negras e o feminismo no Brasil

Pretendo falar aqui sobre a relação entre gênero e...

Grávida (aos 42): Paola Deodoro fala sobre a decisão pela maternidade

Em um texto emocionante, a editora sênior Paola Deodoro...

Feministas indicam desafios para avanço das políticas para as mulheres

Em reunião com a ministra da Secretaria de Políticas...

Homenageada da Flica, Mãe Stella afirma: ‘Se não registra, o vento leva’

Em entrevista, Ialorixá fala da importância de livros sobre...

para lembrar

Homens e mulheres concordam: o preconceito de gênero interfere no salário

De 13 perguntas da pesquisa Mitos & Verdades, feita...

“Todas Podem Mixar”: DJ Miria cria projeto para ensinar mulheres a arte da mixagem

Pra quem ainda não conhece, essa é a maravilhosa DJ...

Mulher Negra Brasileira Um Retrato – Rebecca Reichmann

A opinião publica brasileira raramente reconhece ou critica os...

Diálogos Feministas: Análise de conjuntura e desafios para a defesa da democracia

Esta publicação traz uma síntese do debate realizado: uma...
spot_imgspot_img

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Medo de gênero afeta de conservadores a feministas, afirma Judith Butler

A primeira coisa que fiz ao ler o novo livro de Judith Butler, "Quem Tem Medo de Gênero?", foi procurar a palavra "fantasma", que aparece 41...

Comida mofada e banana de presente: diretora de escola denuncia caso de racismo após colegas pedirem saída dela sem justificativa em MG

Gladys Roberta Silva Evangelista alega ter sido vítima de racismo na escola municipal onde atua como diretora, em Uberaba. Segundo a servidora, ela está...
-+=