Maju Coutinho recebe prêmio e fala de racistas: ‘Justiça está sendo feita’

Enviado por / FontePor Lucas Pasin, do Ego 

Maria Júlia Coutinho foi uma das premiadas na noite desta quarta-feira, 23, na 13ª edição do “Prêmio Faz Diferença”, promovido pelo jornal “O Globo” em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). O evento de gala aconteceu no Golden Roon do hotel Copacabana Palace, Zona Sul do Rio de Janeiro.

A jornalista do “Jornal Nacional” recebeu o prêmio do Segundo Caderno do Globo na categoria TV. “Vou completar meu primeiro ano no ‘JN’ agora dia 27 abril. Tenho muitas coisas para brindar nesse ano e esse prêmio chamado de ‘Faz a Diferença’ vem coroar um pouco disso também. O mais legal é que hoje é o Dia Mundial da Meteorologia e justamente hoje estou recebendo um prêmio tão importante. Foi a meteorologia que me trouxe até aqui, foi ser jornalista do tempo que me fez ter essa visibilidade.”, disse.

Racistas liberados
Maju comentou sobre o  processo de liberação dos suspeitos pelos ataques racistas que sofreu na internet, que também  atacaram Taís Araújo, Sheron Menezzes e Cris Vianna. “Estou feliz que a justiça está sendo feita, que alguns criminosos já foram chamados pela polícia. Acho que tudo está correndo como deveria correr. Eu não quero ficar falando muito sobre esse assunto, prefiro fugir um pouco, porque acho que esses ‘fakes’ queriam isso, queriam chamar a atenção, e eu acho que já fiz a minha parte. Não quero mais falar deles. É importante, sim, saber que esses ataques racistas não foram só em cima de famosos, mas acontece todos os dias com várias pessoas. Eu, a Taís Araújo e outras, somos apenas um seleto grupo e estamos fazendo a nossa parte”, decalrou.

A jornalista falou sobre as pessoas que se inspiraram nela e denunciaram atos racistas. “Fico muito feliz de como repórter do tempo influenciar outras meninas, ser exemplo para outras mulheres. Não sei se estou fazendo a diferença, como diz o prêmio, mas espero que sim”, declarou.

dsc3961
Maria Jùlia Coutinho (Foto: Roberto Teixeira / EGO)

 

 

+ sobre o tema

Professora é detida por racismo contra médico negro na Bahia

A professora Creuzenilda da Silva Lima, 45 anos, foi...

Pesquisa reúne experiência de negros com racismo na Alemanha

O pai de família Adegbayi B. caminhava com sua filha de...

MPF/AP denuncia jornalista por postagens racistas em site de rede social

Em novembro de 2012, Igor Reale Alves publicou...

para lembrar

Milhares marcham em Ferguson contra a violência policial nos EUA

A violência policial nos EUA Milhares de pessoas se manifestaram neste...

Racismo não é “mal entendido”, é crime: O que o ‘caso Le Biscuit’ tem a nos ensinar?

  Racismo não é “mal entendido”, é crime! Antes mesmo...

Marcha do Axé reúne manisfestantes contra preconceito religioso

Flávia Albuquerque Repórter da Agência Brasil São Paulo –...

Ambulante foi preso após reconhecimento irregular por WhatsApp

Em depoimento, investigador da Polícia Civil que o prendeu...
spot_imgspot_img

O amor com o sol da manhã

Eu gosto do amor, eu gosto de amar. Inclusive, já escrevi muito sobre o amor nestas páginas, algumas vezes de forma explícita, outras vezes...

Se o Estado perder o controle, o que vai restar?

Cinco pessoas foram mortas durante a 16ª operação policial do ano no Conjunto de Favelas da Maré, nesta terça-feira, 11 de junho. Uma das...

Após ‘discriminação racial’, Lewis Hamilton compartilha postagem em defesa a Bukayo Saka

O heptacampeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton, utilizou suas redes sociais para compartilhar um texto em em defesa do jogador Bukayo Saka, da...
-+=