Maria vai com as outras #8: Feminismo Negro

A socióloga Márcia Lima encerra a terceira temporada numa gravação especial com participação da platéia

Da Rádio Piauí

Márcia Lima, pelo traço do ilustrador Caio Borges

Márcia Lima é doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e é professora do Departamento de sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, a Universidade de São Paulo – muito provavelmente os dois endereços mais sagrados à cátedra das ciências humanas. Sendo assim, Márcia se vê com frequência como a única mulher negra em meio a mestres e doutores, não só dessa área mas de tantas outras do universo acadêmico de excelência do Brasil.

E aos 48 anos, ela acaba de assumir a coordenação do Núcleo AFRO, para pesquisa e formação em Raça, Gênero e Justiça Racial, do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, o Cebrap.

Nesta conversa, que encerra a terceira temporada do Maria Vai Com as Outras, Márcia veio de São Paulo para o Rio de Janeiro para conversar com Branca Vianna num evento organizado dentro da Casa Firjan que contou com uma plateia de ouvintes do podcast e admiradores do trabalho da Márcia.

No encontro, ela fala das missões de como fazer as pessoas compreenderem as interseccionalidades dentro do movimento negro e do movimento feminista, a tentativa de tornar a pesquisa científica mais diversa, a compreensão limitada que se tem do trabalho escravo na construção do nosso país e, ainda, a importância em reforçar porquê falar somente de feminismo não é necessariamente falar de feminismo negro.

Links citados no episódio:

Saiba mais sobre o Núcleo de Pesquisa AFRO coordenado por Márcia.

Artigos da Márcia no Instituto da Mulher Negra Gelédes.

A Integração do Negro na Sociedade de Classes”, de Florestan Fernandes.

Saiba mais sobre o movimento dos anos 30 ‘A Frente Negra’.

Conheça a Casa Firjan, na Zona Sul do Rio de Janeiro.


O podcast é uma produção da Rádio Novelo para a revista piauí.

Ficha técnica:
Apresentação: Branca Vianna
Direção: Paula Scarpin
Produção: Mari Faria
Edição: Évelin Argenta e Mari Romano
Finalização e mixagem: João Jabace
Redes sociais: Ana Beatriz Ribeiro
Vídeos: Desiré Taconi
Coordenação digital: Kellen Moraes
Identidade visual: Cecilia Marra, Caio Borges e Paula Cardoso
Distribuição: Julia Sena, Luigi Mazza e Yasmin Santos
Engenheiro de som: Danny Dee
Gravado no Estúdio Rastro

Leia também:

Márcia Lima: “o racismo é um problema que tem que ser enfrentado como racismo”

Como gênero e raça influenciam a vida acadêmica de alunos e professores?

Desigualdades no acesso às universidades e no mercado de trabalho

+ sobre o tema

Escócia incorpora direitos LGBTI no currículo escolar

Escócia incorpora direitos LGBTI no currículo escolar. Medida busca combater...

Carta à minha amiga Alisada

Queridx amigx alisadx, Por Karoline Gomes Do Ovelha Mag Há muito queria...

Precisamos promover uma coexistência ao nosso redor

Djamila Ribeiro escreve sobre como podemos romper os muros...

para lembrar

Bitonga Travel tem como pretensão democratizar viagens entre mulheres negras. Projeto será lançado no Aparelha Luzia

Grupo formado por quatorze viajantes, influenciadoras digitais negras almeja...

Pedófilo é condenado após armadilha com menina virtual de dez anos

Um australiano se tornou nesta terça-feira o primeiro homem...

Mulheres ainda precisam lutar contra preconceito

Segunda-feira fez exatamente um ano que a auxiliar de...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=