Mati Diop: a 1ª mulher negra a concorrer à Palma de Ouro em Cannes

Festival de Cannes, evento que prestigia cineastas, produtores e atores, começou na última terça-feira (14) e vai até sábado (25). Lá, diversos filmes são exibidos e, após, há a entrega de prêmios àqueles que mais agradaram o juri.

Por  Fernando Gomes, do MdeMulher

Mati Diop (Antony Jones/Getty Images)

Palma de Ouro é o prêmio mais importante do festival. É equivalente à categoria de Melhor Filme do Oscar.

Dentre os indicados desse ano, ‘Atlantique‘, da França, chama a atenção. Isso porque a direção do longa é comandada por Mati Diop, a primeira mulher negra a concorrer ao prêmio principal. Ela compete com outras 18 produções de diversos países.

Mati tem 37 anos, é atriz e diretora franco-senegalesa – e possui 18 filmes em seu currículos. Nascida em Paris, ela é filha do músico Wasis Diop e sobrinha de Djibril Diop Mambéty. O talento para as artes e o audiovisual já estava em seu sangue.

Estudou e contribuiu com pesquisas artísticas para o Palais de Tokyo e no Estúdio Nacional de Artes Contemporâneas de Fresnoy, ambos localizados na França. Seu primeiro papel como atriz foi em ‘35 Doses de Rum‘, de 2008. Como diretora, ‘Atlantique’ é seu primeiro filme.

Mame Sane em cena de ‘Atantique’, de Mati Diop. (IMDb/Divulgação)

Hoje, ela herda a tradição artística de sua família e traz para as telonas um pouco da sua visão sobre o mundo e assuntos de cunho social e político. Seu filme indicado à Palma de Ouro tem como tema principal a imigração de povos, a segregação social e costumes distintivos relacionados às mulheres.

‘Atlantique’ retrata a fuga de trabalhadores do subúrbio de Dakar, no Senegal, que estavam construindo um prédio futurista, mas nunca recebiam pelo serviço. Um desses trabalhadores é Suleiman, que decide escapar do país pelo mar. Ele é apaixonado por Ada, uma mulher que está sendo forçada a se casar com um homem que não ama.

O elenco conta com Mame SaneTraoreAbdou Baide e Aminata Kane. Além de diretora, Mati Diop também é corroteirista do longa.

Mati Diop (no centro) e o elenco de ‘Atlantique’ no Festival de Cannes. (Daniele Venturelli/Getty Images)

A cineasta está fazendo história em Cannes, mas ela mesma se diz um pouco triste com esse fato.

“Meu primeiro sentimento de ser a primeira diretora negra [com um filme indicado à Palma de Ouro] foi um pouco triste, já que isso apenas aconteceu hoje, em 2019 […] Eu sabia disso, mas é sempre um lembrete de que muito trabalho ainda precisa ser feito”, disse Mati para a BBC.

Mesmo assim, ela ainda acredita que o marco possa inspirar outras mulheres a lutarem pelas suas conquistas. “Se para algumas jovens diretoras negras eu possa representar uma nova dinâmica, eu estou extremamente feliz”, disse.

 

+ sobre o tema

Intersecção entre gênero e raça: A outra face do Samba Paulista

O ANGANA - Núcleo de Pesquisa e Educação Patrimonial...

O corpo da mulher negra como pedaço de carne barata

Homens que possuem espaço na mídia foram instigados a...

para lembrar

Kristen Stewart e a cantora Soko estão em clima de romance.Felicidades ao novo casal!

A atriz Kristen Stewart vive dias de puro romance com a...

Mulher negra: nem escrava, nem objeto – Por: Jarid Arraes

Uma das maiores particularidades do racismo brasileiro é o...

Deputados protocolam projeto para impedir transexuais e travestis de usarem nome social

Parlamentares de dez partidos protocolaram, nesta quarta-feira, projeto de...

Agora é que são elas: pode a subalterna falar-escrever?

Não foi mero jogo retórico a célebre frase “...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=