Mentor do estupro coletivo de Queimadas é condenado a 108 anos de prisão

Após 19 horas de julgamento, Eduardo dos Santos Pereira foi considerado culpado pelo ato que ficou conhecido como a “Barbárie de Queimadas”

Após 19 horas de julgamento, Eduardo dos Santos Pereira, tido como o mentor do estupro coletivo em Queimadas, que resultou na morte de duas mulheres, foi condenado a 106 anos de prisão.

Santos Pereira foi considerado culpado por dois homicídios, formação de quadrilha, cárcere privado, corrupção de menores, porte ilegal de arma e por cinco estupros. Soma-se a isso a pena de 1 ano e 10 meses de detenção pelo crime de lesão corporal de um dos jovens envolvidos no crime, o que aumenta a sua pena para 108 anos.

A sentença foi lida na manhã desta sexta-feira (26), às 9h, no plenário do 1º Tribunal do Júri de João Pessoa, no Fórum Criminal.

Relembre o caso

O fato aconteceu em Queimadas (PB), no dia 12 de fevereiro de 2012, quando as duas garotas e outras três foram convidadas a participar da festa de aniversário do irmão de Eduardo, Luciano dos Santos. No meio da festa, homens mascarados invadiram e anunciaram o estupro coletivo.

À época, os irmãos disseram à polícia que, durante o aniversário, homens mascarados invadiram o local, estupraram as mulheres e levaram duas como reféns. Michele Domingos foi assassinada a tiros ao lado da igreja da cidade. Isabela Monteiro foi encontrada morta em uma estrada vicinal. A polícia desconfiou, pois, logo depois que os irmãos denunciaram, estavam circulando pela cidade normalmente.

Eduardo Santos Pereira, apontado como mentor do crime, foi preso no velório de Isabela. Depois dele, a polícia prendeu todos os envolvidos: três adolescentes e sete adultos; entre eles, o aniversariante. O que mais chocou a cidade de Queimadas é que todos eram vizinhos, amigos e alguns deles parentes. Segundo a polícia, tudo foi planejado com pelo menos 15 dias de antecedência.

O mentor do estupro coletivo e assassinato das duas mulheres, Eduardo Santos Pereira, está sendo acusado de duplo homicídio qualificado, estupro, porte ilegal de arma, corrupção de menores, formação de quadrilha e cárcere privado.

Os outros seis participantes já foram sentenciados no dia 23 de outubro de 2012, pela juíza Flávia Baptista Rocha, da Comarca de Queimadas: Luciano dos Santos Pereira a 44 anos de prisão; Luan Barbosa Casimiro a 27 anos; Fernando França Silva Junior a 30 anos; Jacó Sousa a 30 anos; José Jardel Souza Araújo a 27 anos; e Diego Domingos a 26 anos e seis meses. Todos estão cumprindo pena em regime fechado no presídio de Segurança Máxima PB1.

 

Fonte: Revista Fórum

+ sobre o tema

Discurso afirmativo marca posse de Luiza na SEPPIR

  Com um discurso afirmativo, a nova ministra chefe da...

Tecnologia prioriza atendimento a mulheres em situação de violência – PLP 2.0

A luta pela redução da violência contra a mulher...

40% das servidoras e magistradas brasileiras já sofreram violência doméstica

Um estudo revelou que 40% das servidoras e magistradas...

Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha tem marchas em todo o país; veja

Marchas, palestras, atividades culturais, rodas de conversa: o “julho...

para lembrar

Corte europeia decide se gays podem formar família

A Corte Europeia de Direitos Humanos pode anunciar na...

Portugual: Mulheres negras unidas exigem justiça

Nós, mulheres negras de várias idades, origens e profissões,...

Alice Portugal: Leci Brandão é um exemplo para as brasileiras

Em discurso durante a sessão especial A Mulher e...

STF decidirá se é legal a retirada de fetos em caso de má-formação cerebral

Uma mistura de susto e desconhecimento tomou conta das...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=