México tem lar para prostitutas idosas

No centro da Cidade do México, desde 2006 funciona um abrigo para prostitutas idosas, a Casa Xochiquetzal.

Enquanto novas, é fácil encontrá-las pelas ruas de La Merced, um dos principais pontos de prostituição da capital.

Cerca de 300 mulheres já passaram por aqui desde que a instituição abriu as portas, em 2006.

O abrigo oferece cama e três refeições por dia. Atualmente, 23 mulheres moram lá.

Algumas, trabalharam como prostitutas durante décadas.

Outras continuam na vida. Como Carmen, um septuagenária que pediu não ter o rosto fotografado ou filmado.

“De vez em quando faço um programa. Aqui, tenho tudo que preciso, mas quando quero um dinheiro a mais, tenho que trabalhar”, afirmou.

A maioria das moradoras da Casa Xochiquetzal foi vendida muito jovens para redes de prostituição por seus pais ou maridos.

Depois de anos nas ruas, muitas chegam no abrigo sem dinheiro, doentes e sem documentos.

“Elas não podem competir no mercado atual, dificilmente conseguem um cliente por dia. Por isso, recebem muito pouco, cerca de 4 dólares por dia, o que significa escolher entre a comida ou uma cama para pernoitar”, disse a diretora da Casa Xochiquetza, Rosalva Ríos.

Não existem números oficiais sobre prostitutas idosas na Cidade do México.

Fonte: R7

+ sobre o tema

Capacitação de mulheres é chave para desenvolvimento sustentável

Vice-secretária-geral da ONU, Asha-Rose Migiro, diz na abertura da...

Mulheres de Axé: caminhando pra resistir!

Desde 2008, uma modificação na lei brasileira considera crime...

para lembrar

O conceito de gênero por Heleieth Saffioti: dos limites da categoria gênero

Se, para muitas feministas, o conceito de gênero é...

Leis contra o aborto não impedem disseminação da prática

Um estudo publicado na revista médica The Lancet contraria...

Para ONU, Lei Maria da Penha é uma das mais avançadas do mundo

Brasília – A Lei Maria da Penha, que tornou...

Homens brancos ganham 63% a mais que mulheres negras

Pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva mostra diferença entre gêneros com com...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=