Ministra Ana Hollanda já não é hora de subir a Serra, em Alagoas?

Por: Arísia Barros

 

Alagoas é quase do tamanho da República do Haiti, a “ilhazinha dos pretos” que ao incorporar os ecos dos ideais de igualdade, liberdade e fraternidade, tornou-se o primeiro país latino-americano a declarar-se independente.

A primeira República Negra da história.

Como a primeira República Negra das terras de Cabral, Alagoas está exausta de ser personagem anônimo na história brasileira.

Aqui se escreveu um dos mais significativos capítulos da história do Brasil-brasileiro-além-do-navio-negreiro.

Alagoas é o segundo menor estado da federação tem sim, uma pobreza de marré, marré, marré deci, entretanto no contraponto, da história podemos falar de nossas riquezas e da alagoniedade altaneira, que vai além de uma coletividade anônima.

Somos o estado negro de Zumbi!

A primeira República negra do Brasil!

Alagoas é o segundo menor estado do Nordeste que se avizinha dos estado da Bahia, Pernambuco e Sergipe.

Alagoas é Palmares!

A Serra da Barriga está plantada em União dos Palmares localizada a cerca de 73 quilômetros da capital, Maceió, faz parte da microrregião Serrana dos Quilombos, e limites com Santana do Mundaú, São José da Laje, Ibateguara, Branquinha e Joaquim Gomes.

Palmares serviu de berço para transformação da ideologia racista.

Palmares está no mapa iconográfico da história do Brasil.

Palmares possui hoje um espaço rico de experiências possibilitadas.

É o Parque Memorial Quilombo dos Palmares!

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares é projeto arquitetônico com feições bastante definidas. São espaços cheios de vida ancestral, com traços rústicos em íntima ligação com a grandiosidade pulsante da cultura deste pais, dito miscigenado.

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares, Excelência habita o coração da liberdade na Serra da Barriga, onde Zumbi, Aqualtune e tantos outros guerreiros e guerreiras deram o grito da “Independência ou Morte. Foi o nosso “Dia do Fico”. O nosso dia de resistência de um povo que até sofre, mas, não foge da luta.

O indefectível abandono político da Serra da Barriga- “A República dos Quilombos”- que consolida trilhas para nossa invisibilidade histórica, já é razão suficiente para que o estado de Alagoas receba uma visita oficial do Ministério da Cultura.

O Parque traduz as dobras da cultura negra, em Alagoas. É uma experiência única e para que seja bem sucedida, Excelência, é preciso que os órgãos responsáveis sejam federais ou locais saiam da inércia secular.

O estado brasileiro precisa, urgentemente, assumir suas responsabilidades e

competências com a Serra da Barriga, tombada como patrimônio histórico nacional em 1985.

Em junho o estado de Sergipe receberá a visita oficial de Vossa Excelência. Os estados de Pernambuco e a Bahia, por três vezes, todos do Nordeste,já foram contemplados com a presença política do Ministério da Cultura, e como cidadã alagoana,ativista social, orgulhosa do pertencimento étnico, sem filiação partidária e sabedora da irrefutável importância da revolução social, ocorrida na Serra da Barriga, que hoje abriga o Parque Memorial Quilombo dos Palmares, o primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana de todas as Américas e o único parque temático cultural afro-brasileiro do continente americano fica aqui o legítimo e urgente convite: Ministra Ana Hollanda, já não é hora de subir a Serra da Barriga, em Alagoas?

Fonte: Cada Minuto

+ sobre o tema

Diogo Silva diz não se arrepender de escolhas e lembra sucesso o Pan

  O lutador de taekwondo Diogo Silva, lembrou as consequências...

Quem é Tierno Monénembo, escritor da Guiné que foi buscar sua ancestralidade na Bahia

O escritor Tierno Monénembo sente pelo Brasil “a mesma...

Consciência Negra: conheça nomes que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

Neste domingo (20/11) é comemorado o Dia da Consciência Negra....

Racismo en México

    "En mi...

para lembrar

Sérgio Pererê – Serafim

"Para ser universal, basta cantar o seu quintal". No...

Beleza negra: como cuidar da sua pele neste verão

A beleza negra tem um toque especial e, exatamente...

Treze de maio nas ruas

No papel, e só no papel, foi abolida a...
spot_imgspot_img

Diaspóricas 2: filme revela mundo futurista a partir do olhar de mulheres negras

Recém-lançado no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), em Goiás, no último dia 13 de junho, o filme “Diaspóricas 2” traz o protagonismo negro feminino e brasileiro...

Obrigada Shirley

É com muita tristeza que compartilhamos a notícia do falecimento da Shirley Villela, nossa companheira e amiga, tecedora da Redes da Maré, de 2013...

NICHO 54 lança publicação inédita que investiga a história do Cinema Negro no Brasil 

Pesquisa que mapeou e consolidou dados sobre filmes produzidos por pessoas negras no Brasil de 1949 a 2022 encontrou 1.104 obras; 83% de toda...
-+=