terça-feira, janeiro 31, 2023
InícioÁfrica e sua diásporaAfro-brasileiros e suas lutasMovimento Negro critica fusão de pastas em reforma de Dilma

Movimento Negro critica fusão de pastas em reforma de Dilma

Representantes de diversas entidades do Movimento Negro baiano foram enfáticos aos afirmar que a fusão  das secretarias da Mulher, Igualdade Racial e Direitos Humanos que agora estão reunidas no Ministério da Mulher, Igualdade Racial e Direitos Humanos, representa um retrocesso na “luta histórica dos movimentos sociais”.

Por Luiz Fernando Lima, do A Tarde

A junção dos três ministérios fez parte da reforma administrativa anunciada nesta sexta-feira, 2, pela presidente Dilma Rousseff. Ao todo, foram extintos ou fundidos 8 ministérios, saindo dos 39 para 31 pastas no Governo Federal.

Mesmo ficando sob o comando da então ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Nilma Lino Gomes, e tendo o ex-pró-reitor da Universidade Federal do Reconcâvo, o baiano Ronaldo Barros como secretário nacional de Igualdade Racial, o novo desenho administrativo  não agradou aos militantes baianos.

Um ato de repúdio à mudança foi realizado na Senzala do Barro Preto, sede do Bloco Afro Ilê Aiyê, no Curuzu. O local foi o mesmo onde as entidades declararam apoio à então candidata Dilma Rousseff em 2014.

Indignação

A socióloga Vilma Reis, diz que os três ministérios são essenciais. “Não tem como reduzir o papel de nenhuma destas três pastas. São estratégicas como qualquer outro ministério. Nós (movimento negro) estamos falando de 52% da população brasileira. Não pode pegar três questões estratégicas e colocar numa única pasta. Não tem quem dê fôlego. Não se consegue definir uma escala de prioridade.

O vereador de Salvador, Sílvio Humberto (PSB), afirma que a fusão representa o retorno para a agenda defendida antes do governo Lula.

“Se tinhamos alguma ideia de que havíamos chegado num ponto de acomodação, agora, mais do que nunca é preciso sair. Porque o racismo não tira férias. E se ele não tira férias, cabe a todos nós usarmos a capacidade de mobilização para ter força política e assegurar as mudanças”.

Posse

Nilma Lino toma posse no ministério na próxima terça-feira. Ronaldo Barros também assume as funções na secretária nacional no mesmo dia.
Em nota, a Seppir informa que só haverá pronunciamento oficial após a posse e reorganização, mas assegura que “todas as políticas de promoção da igualdade racial, promoção dos direitos humanos e das mulheres serão mantidas”.

 

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench