quarta-feira, outubro 5, 2022
InícioQuestão RacialCasos de RacismoMulher é presa após se assumir racista e cuspir em taxista negro

Mulher é presa após se assumir racista e cuspir em taxista negro

“Eu não ando com negro, eu sou racista, sou racista mesmo”, disse a mulher antes de ser conduzida para a delegacia 

Do Metrópoles

Imagem: Geledés

Uma mulher, cuja identidade não foi revelada, foi presa no início da tarde desta quarta-feira (05/11/2019) ao se assumir racista após negar-se a entrar em um táxi guiado por um motorista negro. O caso aconteceu em Belo Horizonte e foi reportado inicialmente pelo jornal O Tempo.

A vítima dos ataques chama-se Luís Carlos Alves Fernandes, de 51, e disse ter sido a primeira vez que sentiu o racismo na pele. Ele conta que, ao avistar a mulher chamando uma corrida na rua, estacionou ao seu lado. Como resposta, ela disse que não andaria com um negro.

De acordo com Fernandes, a mulher estava muito exaltada e afirmou ser racista. Segundo ele, ela ainda deu uma cusparada nele.

“Eu estava no ponto de táxi e vi ela atravessando com o pai dela. Ela estava agredindo ele com palavras, passou olhando dentro dos carros e eu perguntei, por educação, lógico, se ela estava precisando de táxi. Aí ela respondeu: ‘precisando eu estou, mas eu não ando com negro, eu sou racista, sou racista mesmo’, e ela ainda deu uma cusparada nos meus pés”, contou o taxista.

O taxista, então, chamou a polícia. Outros taxistas que estavam no local se recusaram a deixar que a mulher seguisse viagem com outra pessoa até que uma guarnição policial chegasse. Houve tentativa de linchamento da mulher, o que foi impedido.

“Não pode deixar passar, não. É assim que vamos combater esse tipo de coisa. Em pleno século XXI acontecer uma coisa dessas, não podemos deixar, não. Eu quero é justiça. Eu nunca passei por isso. É a primeira vez. A gente acompanha no jornal e fica triste. Quando acontece com a gente é que vemos a dor que sentimos, mas isso não vai me abalar”, afirmou Fernandes ao Tempo.

A mulher está detida em uma delegacia da Polícia Civil no centro de Belo Horizonte. A corporação ainda vai determinar se ela será indiciada por injúria racial ou racismo. Além do crime em si, ela também vai responder por desacato, após ter agredido verbalmente um policial.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench