Mulheres do MAB entregam pauta a Dilma

No documento, participação popular na formulação da política energética e direitos dos atingidos por barragens

 

 

“Entregamos neste momento a Vossa Excelência um documento preliminar que aponta a difícil situação das mulheres atingidas por barragens e das trabalhadoras que trabalham e vivem ao redor destas grandes obras”. Com estas palavras, a dirigente do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) Sonia Maranho introduziu a entrega de reivindicações à presidenta Dilma Rousseff, que recebeu 500 mulheres desta organização na tarde desta quinta-feira (07), no Palácio do Planalto.

A pauta de reivindicações, que horas antes havia sido lida em um ato do MAB em frente ao Ministério de Minas e Energia, era vigorosa. “Nossa proposta solicita medidas estruturantes, de um processo participativo, de caráter popular, na política energética nacional”, disse Sonia Maranho.

Entre os temas estavam a correta regulamentação do decreto assinado pelo ex-presidente Lula sobre o cadastro dos atingidos, a elaboração de uma nova política nacional de tratamento das questões sociais e ambientais nas grandes obras do país, além de uma série de medidas emergenciais para pagar a dívida do Estado com os atingidos.

foto03_0

O MAB também enfatizou sua oposição à construção da usina de Belo Monte, seu apoio à luta por direitos dos operários das grandes obras e sua solidariedade ao povo Mapuche, da Argentina, afetado pela ação da Petrobras.

Em resposta, a presidenta se disse feliz pelo protagonismo feminino e se mostrou aberta ao diálogo, mas sem demagogia. “Achamos que governo é governo e movimento social é movimento social. Mas somos contra os que acham que governo pode ficar de costas para os movimentos sociais. Escutando os movimentos, entendendo as reivindicações, estaremos atentos. Mas não vou fazer demagogia de dizer que atenderemos tudo. Mas damos a certeza de que vamos nos empenhar nas grandes demandas que surgem desse movimento”, concluiu.

Procedentes de 14 estados brasileiros, as militantes do MAB estavam reunidas em Brasília desde segunda-feira (04) até esta quinta (07) para o 1º Encontro Nacional das Mulheres do MAB.

 

 

Fonte: Brasil de Fato

+ sobre o tema

Joyce: “Uma mulher negra em papel de destaque na TV ainda chama a atenção”

No comando do “Jornal da Cultura” há uma semana,...

Para Ana Estela Haddad, primeira-dama é termo anacrônico

Casada há 24 anos com Fernando Haddad, com quem...

para lembrar

Mulheres Homens e Homens Mulheres

Estou tentando entender quais são as diferenças entre homens...

Tem mulher negra no audiovisual, sim! (E se reclamar vai ter mais ainda…)

As mulheres negras, cada vez mais, ocupam os espaços...

Feminicídio: homem de 73 anos mata namorada de 17 por ciúmes

Suspeito, que teria relacionamento com vítima de 17 anos,...

Lutar pela legalização do aborto é lutar pela saúde da mulher

Neste dia, gostaríamos de ter muito o que comemorar....
spot_imgspot_img

Zezé Motta recebe Preta Gil, Sheron Menezzes e Aline Wirley no ‘Especial mulher negra’

Artista que acabou de completar 80 anos, Zezé Motta recebe Aline Wirley, Preta Gil e Sheron Menezzes no “Especial mulher negra”, que será exibido...

Julho das Pretas: ‘Temos ainda como horizonte sermos livres das amarras históricas’, diz ativista

No dia 25 de julho será celebrado o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. E em alusão a data, o Julho das Pretas é realizado...

Meninas negras de até 13 anos são maiores vítimas de estupro no Brasil; crime cresceu 91,5% em 13 anos

O número de estupros no Brasil cresceu e atingiu mais um recorde. Em 2023, foram 83.988 casos registrados, um aumento de 6,5% em relação ao ano anterior....
-+=