Mulheres em Série: nova série traz mulheres ‘fora dos padrões’ como protagonistas

Negras, lésbicas, gordas e transgêneros são personagens ainda raras nas obras audiovisuais mais consumidas atualmente e sua representação é quase inexistente no principal produto do tipo no Brasil: as novelas. Quando aparecem, são tratadas de maneira caricata e jocosa, o que acaba reforçando estereótipos e preconceitos que a nossa sociedade insiste em cultivar.

Enviado para o Portal Geledés

Na contramão dessa tradição, Mulheres em Série traz, já em seu primeiro episódio, a força das mulheres comuns, os dramas reais e os inúmeros preconceitos que essas protagonistas sentem na pele, como milhares de brasileiras todos os dias. Letícia, por exemplo, a mulher transgênero que sonha em ser mãe, interpretada por uma atriz negra e também transgênero, representa os desafios desse grupo ainda marginalizado em nossa sociedade: segundo pesquisa da Transgender Europe, o Brasil é o país que mais mata transexuais no mundo.

Os fantasmas do passado de Madalena, uma figura solitária e enigmática, se revelam cada vez mais obscuros diante das câmeras, inserindo o espectador no terror que ainda habita seus pensamentos. A personagem simboliza a luta feminina por direitos e traz consigo o peso da tortura e a humilhação que sofreu na juventude pelas mãos da ditadura militar.

A série começa escancarando tabus em cenas que transitam entre a delicadeza e a perplexidade, provocando incômodo e comoção, como no diálogo entre a jornalista Claudia e a estudante Pietra, que conta em detalhes o estupro sofrido no campus da universidade em que estuda. Com uma trilha sonora forte e contundente Mulheres em Série abre caminho para uma séria reflexão sobre o conceito de “mulher padrão” e o protagonismo feminino em uma sociedade sexista.

 

Todos episódios lançados de Mulheres em Série estão disponíveis em nossos videos na lista de reprodução “Episódios da 1ª Primeira Temporada” e em nosso canal YouTube, inscreva-se em: https://www.youtube.com/channel/UCVuGzAFotz3RMpOU968H6Tg

+ sobre o tema

Sororidade: o valor da aliança entre as mulheres

Sororidade é um pacto social, ético e emocional construído...

As cenas de sexo que ‘ninguém quer ver’

Um casal prestes a comemorar um importante aniversário de...

Pornografia de vingança

No fim da tarde de sexta-feira , o vice-presidente...

para lembrar

Os refugiados invisíveis das favelas do Rio

Milhares de famílias que vivem em comunidades do Rio...

Eis o número de palavras atribuídas às mulheres na Bíblia

Há 93 mulheres que falam na Bíblia e 49...

Mulheres taxistas se organizam nas ruas e em aplicativo para atrair passageiras

Um adesivo rosa em formato circular na traseira do...

Feminismo pode começar na infância

Uma experiência como instrutora de guitarra no Girls Rock...
spot_imgspot_img

Documento final da CONAE segue para o Congresso; entenda seus principais pontos

Para quem não é da Educação ou não acompanha de perto esta aérea, é preciso entender alguns pontos importantes do documento final aprovado durante...

Quando universidades destroem estudantes

Ir para a universidade pode significar correr maiores riscos de ter crises de ansiedade e profundos quadros depressivos. A preocupação com dinheiro e desempenho acadêmico é somente...

“Eu condeno a violência que há contra as mulheres, sejam as africanas ou não”, diz Oumou Sangaré

Oumou Sangaré é uma das maiores vozes africanas na luta contra o sexismo e o racismo. Originária da região Wassoulou, no Mali, Oumou canta...
-+=