Museu da Harley Davidson comemora mês da História Negra com exposição especial

por Fabiana Alves

Em comemoração ao Mês da História Negra nos Estados Unidos, exposições que exploram a evolução da cultura da motocicleta afro-americana começaram no último dia 10 de fevereiro no Museu da Harley-Davidson em Milwaukee, Estados Unidos.

Afro-americanos influenciaram e ajudaram a formar a cultura da motocicleta ao longo de nossa história. A cultura biker é vista de forma diferente hoje por causa de suas numerosas contribuições para ela”, disse John Comissiong, diretor de marketing e divulgação da Harley-Davidson Motor Company. “Nós somos o número um em vendas para os afro-americanos, e não só estamos muito orgulhosos da nossa história em comum, como estamos sempre à procura de novas histórias para contar.”

A exposição no Museu inclui motocicletas, histórias e imagens de lendas negras com Harley-Davidson como William B. Johnson, o primeiro afro-americano concessionário de Harley-Davidson; Bessie Stringfield, a primeira mulher afro-americana a andar sozinha em uma motocicleta Harley na anos 1930 e 1940, e Ben Hardy, o customizador que ajudou a criar uma das motos mais famosas do mundo, a Capitão América, para o filme Easy Rider.

As exposições do museu são uma oportunidade para os entusiastas da motocicleta e do público em geral conhecer pessoalmente ou on-line a cultura negra na história da Harley-Davidson. Além disso, haverá a participação de concessionárias da Harley-Davidson em todo os EUA com pequenas exposições dentro do mesmo tema.

Para ajudar a reunir e dispor de mais histórias de pilotos afro-americanos, a Harley-Davidson lançou em 2010 na seção da comunidade de seu Web site a página Iron Elite.

mes historia negra hdA comunidade Iron Elite foi criada para que os participantes possam compartilhar as suas histórias pessoais com a Harley Davidson, mostrando a personalização das suas motocicletas e preservando documentos sobre os lendários motociclistas afro-americanos que tiveram impacto significativo para o motociclismo.

Além disso, a Harley-Davidson apóia e assiste a uma variedade de eventos afro-americanos para se conectar com os pilotos atuais, como o Atlântico Bike Week Beach, Daytona Bike Week Negro e do RoundUp Bikers Nacional, aonde milhares de pilotos negros dos EUA se reúnem seguindo o espírito de união dos verdadeiros motociclistas.

A exposição é uma oportunidade para se ver a evolução da cultura da motocicleta através dos olhos de pilotos negros norte-americanos.

Bem que a HD brasileira poderia também trazer essa exposição para as suas lojas no país.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Fabiana Alves é jornalista especialista em mídias sociais, produção de conteúdo para internet, marketing digital e político. Ama motociclismo e Cultura Biker.

Fonte: Moto Campinas

 

 

Fonte: 

+ sobre o tema

O NEGRO E O SOCIALISMO: Octavio Ianni

  Um livro de: Octavio IanniBenedita da SilvaGevanilda...

Nascer do Ìyàwó

É uma por mês. Uma fotógrafa (ou fotógrafo) num...

A 5ª edição da Segunda Black será realizada em diversos espaços do Rio

Após dois anos de pausa, a Segunda Black retoma...

para lembrar

Quilombo dos Palmares

O Quilombo dos Palmares localizava-se na serra da...

A Tristeza dos Orixás

Por Fernando Sepe Foi, não há muito tempo atrás,...

Spike Lee faz ‘vaquinha’ na Internet para financiar novo filme

Cineasta norte-americano pede ajuda aos internautas para arrecadar verba...
spot_imgspot_img

Aos 105, Ogã mais velho do Brasil, que ajudou a fundar 50 terreiros só no Rio, ganha filme e exposição sobre sua vida

Luiz Angelo da Silva é vascaíno e salgueirense. No mês passado, ele esteve pela primeira vez no estádio de São Januário, em São Cristóvão,...

Gilberto Gil afirma que não se aposentará totalmente dos palcos: “continuo querendo eventualmente cantar”

No fim de junho, saiu a notícia de que Gilberto Gil estava planejando sua aposentadoria dos palcos. Segundo o Estadão, como confirmado pela assessoria do...

Mostra sobre Lélia Gonzalez vê negros e indígenas como centro da cultura nacional

As escolas de samba do Rio, os blocos afro da Bahia, as congadas de Minas Gerais, as comemorações da Semana Santa e do Natal. O que todas essas celebrações têm...
-+=