‘No Brasil de hoje, a trança é um símbolo de resistência’

Trancista Gabriela Azevedo perdeu a conta de quantas vezes perguntaram se ela lava o cabelo: ‘Preconceito só acaba com informação’

Por Marcia Disitzer, Do O Globo 

Grabriela Azevedo- mulher negra, de twist cor azul- olhando para o horizonte.
Grabriela Azevedo: trança twist Foto: Reprodução

Gabriela Azevedo, de 32 anos, é trancista desde os 16 anos. Natural de Brasília, ela se jogou cedo na vida. Aos 18, já trabalhava num salão afro no Distrito Federal; aos 20, abriu o seu próprio espaço e se casou. Um ano depois, foi mãe do primeiro filho, Luther. Depois vieram Malcom e Mateus. Morando e trabalhando no Rio desde 2012, está grávida novamente, mas ainda não sabe o sexo do bebê.

— Se for menina, vai se chamar Marielle —  diz.

Foi por causa de uma depressão pós-parto, que teve depois do nascimento de Mateus, que Gabriela  decidiu compartilhar seu conhecimento criando o projeto TrançAção, braço social do Centro Técnico Trança Terapia, também fundado por ela. A iniciativa ensina mulheres a fazer tranças e trabalha a autoestima. A próxima turma será aberta no dia 3 de maio, em Campo Grande (inscrições pelo e-mail  [email protected]até o dia 18):

Gabriela Azevedo, mulher negra de twists coloridos.
A trancista Gabriela Azevedo Foto: Reprodução

— O curso gratuito é voltado para mães solo, a partir de dois filhos, jovens e mulheres com mais de 65 anos. Passei por uma separação e tive depressão depois do nascimento do Mateus. Só consegui vencer as dificuldades que tive por ter uma profissão — conta Gabriela.

Segundo ela, a trança é um código.

— Em cada lugar, tem um significado. No Brasil de hoje, a trança é um símbolo de resistência. Depois de tanta luta, estão aceitando a cultura afro.  Trabalho com diversos tipos:  box braids, twist e nagô.

A trancista também lembra de várias situações de preconceito.

— Perdi a conta de quantas vezes me perguntaram se lavo o meu cabelo. O preconceito só acaba com a informação.

 

+ sobre o tema

Como resguardar as meninas da violência sexual dentro de casa?

Familiares que deveriam cuidar da integridade física e moral...

Bruna da Silva Valim é primeira negra a representar SC no Miss Universo Brasil

Bruna da Silva Valim, candidata de Otacílio Costa, foi...

Luiza Bairros lança programas de combate ao racismo na Bahia

O Hino Nacional cantado na voz negra, marcante, de...

Elizandra Souza celebra 20 anos de carreira em livro bilíngue que conta a própria trajetória

Comemorando os 20 anos de carreira, a escritora Elizandra...

para lembrar

Dona Zica Assis responde ao artigo: “Respeite nosso cabelo crespo”

Carta de Zica Assis - Beleza Natural   Oi Ana Carolina, Meu...

Menos de 3% entre docentes da pós-graduação, doutoras negras desafiam racismo na academia

A Gênero e Número ouviu mulheres negras presentes no...

Rita Bosaho é a primeira mulher negra eleita deputada em Espanha

O resultado das recentes eleições é histórico também porque...

Evento gratuito voltado à literatura afro-brasileira é realizado em Porto Alegre

12ª Festipoa Literária começa nesta segunda-feira (29) e segue...
spot_imgspot_img

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...

“O Itamaraty me deu uma bofetada”, diz embaixadora Isabel Heyvaert

Com 47 anos dedicados à carreira diplomática, a embaixadora Isabel Cristina de Azevedo Heyvaert não esconde a frustração. Ministra de segunda classe, ela se...
-+=