No carnaval, a cada quatro minutos uma mulher foi agredida no Rio

Dados da PM abrangem apenas aquelas que pediram socorro por telefone

POR ELENILCE BOTTARI, do O Globo 

A bióloga Elisabeth Henschel levou três pontos no nariz – Reprodução

Nem tudo no carnaval foi alegria. O balanço divulgado pela Polícia Militar revelou que ao menos uma mulher foi agredida a cada quatro minutos no estado do Rio. Durante cinco dias de carnaval, entre as 8h do dia 24 de fevereiro e 8h de 1º de março, a polícia atendeu a 15.943 solicitações, destas 2.154 chamadas foram pedidos de socorro sobre violência contra mulher. Um dos casos foi o da bióloga Elisabeth Henschel, de 23 anos, estava com o namorado num bar na Avenida Mém de Sá quando foi apalpada por um homem, na noite desta segunda-feira. Ao procurá-lo, a vítima levou dois socos no rosto.

Durante o carnaval a violência contra mulher é maior. Por isso, a Divisão Policial de Atendimento à Mulher (DPAM), realiza anualmente neste período campanhas para conscientizar as mulheres, vítimas de violência, sobre a importância da denúncia.

Na campanha deste ano, foi lançado o “Estandarte da Coragem”. De acordo com a Delegada de Polícia e Diretora da DPAM Márcia Noeli, foi feito um estandarte virtual, onde constam elencadas as prisões realizadas pelas Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher (Deam) nos mês de fevereiro.

– É importante sempre denunciar. A cada ano, estamos vendo um número maior de registros, o que demonstra uma mudança de atitude por parte das mulheres, que estão tendo coragem de denunciar – avalia Márcia Noeli.

Entre as razões para esta mudança de atitude a delegada aponta a implantação de delegacias especializadas, os núcleos criados nas delegacias distritais e a criação de protocolos de atendimento que aumentam a confiança das vítimas para denunciarem seus algozes:

– A mulher está entendendo que precisa quebrar o silêncio. E nesta época de carnaval, há uma preocupação nossa, porque há um risco de aumento da violência em todas estas festas. Quanto mais mulheres denunciarem, mais fácil será quebrar este silêncio que envolve o assunto e acabar com este tipo de violência – defendeu a delegada.

 

Ainda de acordo com o balanço da Polícia Militar, durante o período a polícia também prendeu 298 suspeitos, sendo 72 adolescentes apreendidos em flagrangte e 18 por mandados de prisão. A PM apreendeu também 69 armas apreendidas, além de drogras como maconha, cocaína e crack

Perturbação do sossego e do trabalho alheio foi responsável por 1.923 das chamadas, representando 12% do total dos acionamentos via 190.

A Polícia Militar fez 11.937 mobilizações de efetivo em todo o estado para a Operação Carnaval 2017, além do policiamento normal nas ruas.

 

+ sobre o tema

A Mulher Invisível

Tem uma frase no filme Histórias Cruzadas que marcou...

Todos os livros de Judith Butler, gratuitos, para download

Pasta pública na rede disponibiliza a obra completa da...

E não sou uma mulher? – Sojourner Truth

Muito bem crianças, onde há muita algazarra alguma coisa...

para lembrar

Imagem das mulheres negras nas redes sociais foi tema de ciclo de palestras

A primeira palestra do ciclo “Diversos, Intensos e Plurais”,...

Contra retrocesso em leis eleitorais e pelos direitos das mulheres negras

Na última semana, o Congresso Nacional entrou em recesso...

NOTA OFICIAL: Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as – ABPN

31 DE MARÇO DE 2018 – GOIÂNIA, GO Sobre as...

Por que cada vez mais mulheres têm buscado métodos anticoncepcionais sem hormônio

Além da pílula, alternativas naturais e com menos interferências...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=