No palco do Miss Peru, candidatas expõem dados sobre violência contra mulheres

Ao invés de dizer suas medidas, as concorrentes trouxeram números sobre assédio, abuso sexual e feminicídio no país

No último domingo (29), no palco do concurso de beleza Miss Peru 2018, as candidatas expuseram dados de violência contra mulheres no país. Ao invés de dizer suas medidas (busto, cintura e quadris), prática muito comum nesses concursos, as concorrentes trouxeram números sobre assédio, abuso sexual e feminicídio no país.  “2.202 casos de feminicídio foram registrados nos últimos nove anos no meu país” e “Meu nome é Melina Machuca, represento Cajamarca e minhas medidas são: mais de 80% das mulheres da minha cidade são vítimas de violência” foram alguma das frases das candidatas.

O tema também esteve presente em outros momentos da noite. Enquanto as concorrentes desfilavam de biquíni, os organizadores do concurso exibiram no telão recortes de jornais e revistas com notícias de mulheres agredidas ou assassinadas. A organizadora do evento e vencedora do Miss Peru 1987 e de outros concursos de beleza, Jessica Newton, disse que a decisão de dedicar a edição deste ano do concurso à violência de gênero foi para empoderar as mulheres. A atitude das candidatas causou grande comoção nas redes sociais e no Twitter do Peru, durante o evento, a hasthag #MisMedidaSon foi uma das mais utilizadas.

De arrepiar a denúncia das candidatas a Miss Peru,substituindo os nºs das medidas pelo nº de feminicídios e violência contra a mulher.

— Regina Salomão (@ReginaSalomo) 31 de outubro de 2017

+ sobre o tema

53,5% dos negros brasileiros já estão na classe média

Pesquisa do economista da FGV Marcelo Neri também mostra...

Conferência Nacional de Saúde – Mobilização alcança 75% dos municípios brasileiros

Em 2011, a Conferência Nacional Saúde reforça conquistas ao...

Casamento no Candomblé ao som de tambores africanos

POR ELI ANTONELLI Casamentos nos espaços sagrados das...

Em livro, pesquisadores desmistificam suposta ausência de negros na Amazônia

por Monica Prestes Obra produzida por 13 pesquisadores relata...

para lembrar

Violência contra a Mulher: Aluna hostilizada por usar roupa curta na Uniban

'Eles estavam possuídos, fiquei com muito medo', afirmou estudante. Tumulto...

A lei “acariciou a onipotência” do goleiro Bruno

Por: FÁTIMA OLIVEIRA A personalidades delinquentes só a lei é...

Como resguardar as meninas da violência sexual dentro de casa?

Familiares que deveriam cuidar da integridade física e moral...
spot_imgspot_img

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Morte de artista circense Julieta Hernández põe em discussão os direitos da mulher viajante; veja outros casos de violência

O Fantástico deste domingo (14) mostrou como a morte de artista circense Julieta Hernández reacendeu a discussão sobre os direitos da mulher. Jussara Botelho...

DF teve mais feminicídios cometidos com armas legais do que ilegais

Armas de fogo legais são mais usadas em feminicídios do que armas ilegais no Distrito Federal. Os dados, levantados pelo Metrópoles, mostram que o...
-+=