Nota de falecimento – Maria da Penha Santos Lopes Guimarães

Enviado por / FonteDa OAB

É com profundo pesar que a Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil comunica o falecimento da advogada, com atuação reconhecida na área trabalhista e também com trajetória de forte presença na militância em defesa dos direitos dos negros, Maria da Penha Santos Lopes Guimarães. “Ex-conselheira e ex-presidente da Comissão do Negro e Assuntos Antidiscriminatórios da OAB SP, ela seguia prestativa todas às vezes que solicitada para ajudar as causas da classe”, pontuou Marcos da Costa, presidente da entidade ao lamentar a sua morte: “Era uma advogada trabalhista exemplar, uma liderança feminina, além de uma querida amiga”.

Emocionada, a presidente da Comissão da Igualdade Racial da OAB SP, Carmen Dora de Freitas Ferreira, lembrou da alegria contagiante e dos ensinamentos da amiga que “foi uma precursora na OAB SP das lutas contra a discriminação racial e pela igualdade de oportunidades dos negros diante da sociedade”. Já Lívio Enescu, conselheiro Secional e presidente da Associação dos Advogados Trabalhista de São Paulo (AATSP), manifestou a grande perda da advocacia: “Mulher, afrodescente e grande advogada trabalhista. A sua luta confunde-se com a sua vida, os menos favorecidos que batiam à porta do seu escritório tinham nela uma heroína das causas sociais, o único ambiente de dignidade a conquistar”.

Para o vice-presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (CAASP), Arnor Gomes da Silva Junior, a morte de Maria da Penha é também a perda de uma amiga que o deixou bastante consternado. “Foi uma notável companheira de tantas lutas profissionais do Direito do Trabalho e da igualdade racial, participamos juntos da constituição da Associação dos Advogados Trabalhistas e de intenso empenho nas causas da advocacia paulista”.

O velório será realizado hoje (05/08), a partir das 14h00, no Cemitério do Araçá, na Avenida Dr. Arnaldo, 300, e o enterro ocorrerá amanhã (06/08), às 08h00, no Cemitério São Paulo, na Rua Cardeal Arcoverde, 1250.

*Imagem retirada do site da OAB

+ sobre o tema

A liberdade histórica e cênica

Sexta edição da mostra de artes cênicas começa nesta...

“Terra Nostra” só para os italianos, por Sueli Carneiro

A mensagem subliminar é a de uma suposta resignação...

Sou cineasta negra e quero falar do racismo no audiovisual brasileiro

Há tempos, estamos na luta por outras narrativas possíveis...

Após cair para 957ª, Stephens atropela Keys em final de estreantes e fatura US Open

Americana Sloane Stephens, de 24 anos, conquistou primeiro título...

para lembrar

A presença de uma juíza negra no STF é uma questão de coerência, reparação histórica e justiça

A Constituição Federal estabelece como objetivo da República Federativa...

“Se o consultório falasse, contaria que fui vítima de abuso sexual”

E #seoconsultoriofalasse? Se o consultório falasse, contaria que eu fui...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=