Nota de repúdio do centro de defesa e convivência da mulher “Viviane dos Santos”

Na semana do dia 25 de novembro: Dia Internacional de combate à violência contra a mulher, a Casa Viviane dos Santos repudia as mortes de mulheres ocorridas no Jd. Bandeirantes durante este ano de 2011.

Os fatos ocorridos no Lajeado, distrito da Zone Leste de São Paulo, local de abrangência de atendimento deste serviço refletem a situação alarmante das mulheres mortas pelo machismo. Frente a todas as mortes de mulheres executadas por pessoas íntimas, a Casa Viviane vem a público repudiar a torpe e sórdida prática de um tipo específico de assassinato: aquele decorrente das situações de violência doméstica e intrafamiliar, tipificadas pela Lei Maria da Penha (11.340/06).

O Jd. Bandeirante teve no último final de semana uma mulher morta a tiros pelo ex-companheiro, que não aceitou a separação. Ela estava grávida dele e foi assassinada em um comercio da comunidade onde morava.

Há cerca de quatro meses outra morte abalou a comunidade: uma menina de 14 anos foi esfaqueada pelo marido de sua tia. Ambas as causas de morte seguem sob investigação.

Basta de Violência Contra a Mulher! Basta de Assassinatos! É uma vergonha a estatística brasileira de que a cada 20 segundos uma mulher é agredida!

O lar acaba sendo o ambiente mais inseguro para as mulheres.

Desta forma, estamos repudiando os casos de violência doméstica ocorrida diariamente nos lares desta região e conclamamos a todas as pessoas, mulheres e homens, sociedade civil e governamental, a enfrentarmos juntos este problema buscando ações de transformação desta cruel realidade.

A erradicação da violência doméstica contra mulheres dependerá do comprometimento de toda a sociedade. Dependerá também do esforço das mulheres em não se calarem frente a situações de violência.

Dependerá ainda de iniciativas de políticas públicas que visem o combate a qualquer tipo de violência contra a mulher. Solicitamos aos órgãos públicos que tomem as medidas cabíveis de investigação e prisão dos assassinos.

Neste momento de dor, queremos oferecer nosso apoio e solidariedade aos familiares das vítimas e contamos com participação dos tod@s no enfrentamento e combate da violência contra a mulher.

 

 

Fonte: Lista Racial

+ sobre o tema

Negras são as principais vítimas do crime que mata as mulheres por serem mulheres

(A Pública, 15/03/2016) Negras são as principais vítimas do crime...

Cresce o número de casos de agressão contra mulheres no Brasil

Segundo governo federal, número de denúncias aumentou quase 100%. No...

Nos EUA, meninas africanas relembram dor da circuncisão

Motivo de preocupação de direitos humanos no exterior, mutilação...

para lembrar

Ameaças e violência têm transformado minha vida em uma grande tensão

Dentro da faculdade em que estudo, recebi por meses...

PLP 2.0: aplicativo para o combate à violência contra a mulher é lançado oficialmente

Ferramenta apoiada pela AJURIS passará por período de testes...

Site oferece guia sobre ‘como estuprar uma mulher na UFMG’

Texto afirma que 'a mulher mineira é famosa por...

No ano passado, 29 mulheres mortas na intimidade deixaram 46 crianças órfãs

Menos mulheres foram assassinadas em contexto de violência doméstica...
spot_imgspot_img

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Lula sanciona lei que protege mulheres de violência em bares e shows

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que cria o protocolo Não é Não, mecanismo de combate ao constrangimento e à...

Menina de 15 anos é vítima de estupro coletivo na noite de Natal; amigos são suspeitos, diz polícia

Uma adolescente, de 15 anos, foi estuprada na madrugada de Natal, 25 de dezembro, em Campo Grande (MS). De acordo com a polícia, os suspeitos...
-+=