O II AfroFestival Internacional do Panamá comemora as contribuições da comunidade afrodescendente no país

O II AfroFestival Internacional do Panamá, uma iniciativa da Rede de Mulheres Afro-panamenhas, a Fundação Centro da Mulher Panamenha CEMP, o Centro de Estudos Afro-panamenhos (CEDEAP) e a Fundação da Etnia de Colón, celebrou-se durante os dias 22 a 25 de maio. Este projeto é concebido sob o prisma do resgate da riquíssima herança afrodescendente do Panamá, e dedica todo o mês de maio à comemoração das contribuições que a comunidade afrodescendente prestou no desenvolvimento do país.

O objetivo do AfroFestival Internacional foi destacar que, através do ensino, os jovens e crianças conheçam o valor do conhecimento da sua herança, e que se respeitem e preservem os valores integradores que esta representa.

Para a organização do AfroFestival, contou-se também com a colaboração do Escritório de Representação para a América Central e Haiti da SEGIB, da OEI, da Secretaria da Etnia Negra do Panamá e da Autoridade do Turismo deste país.

Na abertura, participaram o Secretário Executivo da Etnia Negra do Governo do Panamá, Ricardo Weeks, e outras autoridades do país. Também a Coordenadora de Atividades e Divulgação do Escritório de Representação para a América Central e Haiti da SEGIB, Yariela Vega, foi uma das oradoras que participaram na abertura deste magno evento. Participaram também autoridades e organizações civis, corpo diplomático acreditado no Panamá e organismos internacionais.

Durante o evento, realizaram-se exposições culturais, conferências com personalidades internacionais que deixaram marca nos estudos dos temas sociais e históricos. Entre os temas tratados, importa destacar os da “Identidade e Cultura Afrodescendente”, “Fossos e desafios dos Afrodescendentes após 2015”, “Literatura e Música Afrodescendente” e “Juventude e Identidade Afrodescendente, entre outros”. Também participaram representantes afrodescendentes do Brasil, Honduras, Colômbia, República Dominicana, Peru, Panamá, Costa Rica, Guatemala, África, Haiti, Nicarágua, Espanha, Porto Rico, Argentina e outros países do Caribe e da América do Sul.

O encerramento do Afrofestival teve lugar no domingo, 26 de maio, com um desfile que percorreu as ruas da cidade de Colón com a participação de representantes afrodescendentes de todo o país.

 

 A experiência do Panamá no Censo de 2010

 

Fonte: Segib

+ sobre o tema

Edson Cardoso, o Jacaré do É o Tchan, se firma como ator dramático

O baiano, que integra o programa 'Aventuras do Didi',...

Rapper angolano Malef ganha prémio em Festival Internacional de Hip Hop

O rapper Malef ganhou o prémio de melhor artista...

Olímpiadas 2012: Serena Williams na final após vitória arrasadora

A norte-americana Serena Williams está classificada para a final...

Mostra divulga produções artísticas da periferia de São Paulo

Por: Camila Maciel São Paulo – Cantar, recitar,...

para lembrar

Ellen Oléria The Voice of Brasil

  A vencedora do The Voice Brasil é Ellen...

Mano Brown na Fórum de março

Confira abaixo parte da entrevista com Mano Brown, destaque...
spot_imgspot_img

Casa onde viveu Lélia Gonzalez recebe placa em sua homenagem

Neste sábado (30), a prefeitura do Rio de Janeiro e o Projeto Negro Muro lançam projeto relacionado à cultura da população negra. Imóveis de...

No Maranhão, o Bumba meu boi é brincadeira afro-indígena

O Bumba Meu Boi é uma das expressões culturais populares brasileiras mais conhecidas no território nacional. No Maranhão, esta manifestação cultural ganha grandes proporções...

“O batuque da caixa estremeceu”: Congado e a relação patrimonial

“Tum, tum-tum”, ouçam, na medida em que leem, o som percussivo que acompanha a seguinte canção congadeira: “Ô embala rei, rainha, eu também quero...
-+=