Oficina de Roteiro com Mulheres Negras

De 27 de setembro a 15 de outubro, estão abertas as inscrições para o processo seletivo aqui no site

DO MNAV

Um dos mais importantes consultores de roteiro da América Latina, o escritor cubano Eliseo Altunaga, parceiro de Pablo Larrain (Tony Manero, Neruda, No) e Andrés Wood (Machuca, Violeta Foi Para o Céu) estará em São Paulo em novembro para ministrar uma Oficina de Roteiro e uma Masterclass no Espaço Itaú de Cinema Augusta. A ação é uma parceria entre o Espaço Itaú de Cinema e o site Mulheres Negras no Audiovisual Brasileiro.

A partir das inscrições, que vão de 27 de setembro a 15 de outubro, serão selecionadas 15 realizadoras negras de vários locais do país, que trarão argumentos a serem trabalhados em aulas práticas e teóricas conduzidas pelo escritor, proporcionando diálogos e reflexões que gerem ferramentas para o desenvolvimento de estruturas narrativas e personagens, para a escrita dos roteiros e para o futuro desenvolvimento de projetos audiovisuais no formato de curta-metragem.

Dados recentes sobre a participação de mulheres no audiovisual coletados pela ANCINE (Agência Nacional do Cinema) mostram que um país com 51% de mulheres, há apenas 19% nos cargos de direção e 23% em roteiro. Esses dados já são alarmantes, mas quando relacionados à questão racial, a situação se mostra ainda mais grave. Ainda que a população negra brasileira seja de aproximadamente 53%, o cinema não mostra esse cenário. A presença de pessoas negras nos filmes, séries, novelas, etc, ainda é muito baixa e insuficiente. Tanto em relação à representação na frente das telas, quanto nas equipes atrás das telas.

Em pesquisa realizada em 2014, o Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa (Gemaa) da UERJ, buscou traçar o perfil de gênero e cor dos atores, diretores e roteiristas dos longas-metragens brasileiros de maior bilheteria entre 2002 e 2012. O resultado mostrou que nosso cinema ainda é branco e masculino tanto dentro como fora das telas. Dos 218 longas-metragens analisados, 86,3% foram dirigidos por homens, sendo que do percentual restante de 13,7% de mulheres diretoras, não há qualquer mulher negra, seja preta ou parda. Além disso, as mulheres negras representam apenas 4,4% das personagens dos filmes. A pesquisa mostra ainda que do universo de 412 roteiristas envolvidos nesses mesmos filmes, somente 26% eram mulheres e, novamente, nenhuma roteirista negra.

Levando em consideração que esses filmes foram os mais vistos pela população, como é possível, em um país de maioria negra, a completa ausência de mulheres negras como diretoras e roteiristas?

A predominância dessa maioria de homens brancos, enquanto realizadores, pode produzir um cinema que reafirma seus valores de gênero e raça e tende a difundir estereótipos e representações inadequadas dos demais grupos sociais, restringindo-os a funções subalternas e submissas. Além disso, tornam invisíveis aspectos culturais e identitários. Muitas vezes, essa ainda é a única voz e forma de representação que é acessível para a maior parte da população.

E qual é o custo disso?

Os meios audiovisuais tendem a dar legitimidade à desigualdade e ao preconceito, justificando e naturalizando as violências físicas e simbólicas praticadas contra diferentes grupos, entre eles as mulheres negras.

O cinema e a televisão são meios que ajudam a formar a percepção das pessoas sobre o mundo e sobre elas mesmas. Quando uma pessoa negra vê um personagem negro de uma forma complexa, aprofundada, com sonhos e realizações, isso influencia diretamente em sua autoestima, ampliando possibilidades, caminhos e vontade de lutar por igualdade de oportunidades e por direitos. A representatividade importa porque tem um enorme poder de multiplicar as vozes que compõem o nosso imaginário. A ampliação da representatividade negra, garantindo uma maior diversidade de representações fortalece a democracia e enriquece o repertório de todos, independente da raça/etnia.

Nesse contexto, surge a Oficina de Roteiro com o roteirista e escritor cubano Eliseo Altunaga que ocorrerá entre os dias 02 e 05 de novembro. Ela nasceu do desejo de fortalecer roteiristas negras brasileiras e suas narrativas autorais.

Para se inscrever para o processo seletivo, leia o Regulamento e preencha o Formulário de inscrição com seus dados, argumento e carta de intenções. Em caso de dúvidas, consulte o regulamento. Das 15 vagas, oito serão destinadas a realizadoras residentes fora de São Paulo, que terão passagem e hospedagem pagas pela oficina. Crianças são bem-vindas para acompanharem suas mães ou cuidadoras nas atividades da oficina.

Eliseo Altunaga também fará uma Masterclass, aberta ao público em geral, que abordará a construção do relato e dos pontos de vista narrativos dialogando com questões de gênero e raça, na qual serão tratados de forma mais resumida alguns dos temas desenvolvidos ao longo do curso. A Masterclass ocorrerá no dia 6 de novembro, na sala 1 do Espaço Itaú Augusta, às 20h.

Eliseo Altunaga

Roteirista, consultor e escritor cubano de 76 anos, Eliseo Altunaga é Decano no Departamento de Roteiro da Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños (EICTV), Cuba, e nos últimos dez anos vem assessorando e co-roteirizando importantes filmes da retomada do cinema chileno, em parcerias com Pablo Larraín (Tony Manero, Postmortem, Neruda e NO – nomeado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro) e Andres Wood (Machuca, Violeta Foi Para o Céu, nomeada ao premio Goya e Melhor Filme Internacional en Sundance). Escreveu roteiros para longa-metragens, telefilmes, séries de TV, programas para a Rádio Cubana, além de haver publicado 8 romances. Professor Titular da Universidade de Arte (ISA), no Departamento de Dramaturgia e Roteiro da Faculdade de Arte, Mídia e Comunicação Audiovisual de Havana, também ministra oficinas e conferências pela América Latina e Europa.

Cronograma

  • 27/09 a 15/10 – Inscrições para a oficina. Leia o Regulamento.
  • 23/10 – Resultado da seleção da oficina
  • 02 a 05/11 das 9h às 15h – Oficina com Eliseo Altunaga no Espaço Itaú Augusta | Anexo – para as realizadoras selecionadas
  • 06/11 às 20h – Masterclass com Eliseo Altunaga no Espaço Itaú Augusta | Sala 1 – aberta ao  público com retirada de ingressos uma hora antes.

Parceria
Espaço Itaú de Cinema
Mulheres Negras no Audiovisual Brasileiro

Apoio
Associação dxs Profissionais do Audiovisual Negro (APAN)

Produção
NOIX CULTURA

+ sobre o tema

Passeio pela mostra “Um defeito de cor”, inspirada no livro de Ana Maria Gonçalves

"Eu era muito diferente do que imaginava, e durante...

Taís faz um debate sobre feminismo negro em Mister Brau

Fiquei muito feliz em poder trazer o feminismo negro...

Conheça a história de Shirley Chisholm, primeira mulher a ingressar na política americana

Tentativas de assassinato e preconceito marcaram a carreira da...

Roda de Conversa: Mulher, raça e afetividades

O grupo de pesquisa Corpus Dissidente promove a roda...

para lembrar

Caneladas do Vitão: Uma vez Anielle, sempre Marielle 2

Brasil, meu nego, deixa eu te contar, a história...

Cida Bento – A mulher negra no mercado de trabalho

Sinceramente eu nunca dei para empregada domestica acho que eu...

Primeira vereadora negra eleita em Joinville é vítima de injúria racial e ameaças

A vereadora Ana Lúcia Martins (PT) é a primeira...

Representantes da AMNB fazem reunião com ministra Luiza Bairros

Por volta do meio dia desta quinta-feira (14), as...
spot_imgspot_img

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Com 10 exibições que abordam a luta antirracista, Mostra do Cinema Negro tem sessões a partir de 4 de abril em Presidente Prudente

O Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) promove, entre os dias 4 de abril e 23 de maio, uma programação com dez filmes que celebram o cinema...

A Sombra do Sonho de Clarice

O longa-metragem convidado para ser exibido no Lanterna Mágica no dia 21 de março foi O Sonho de Clarice, de Fernando Gutierrez e Guto...
-+=