Onde vivem os negros

De 2012 a 2022, mostram dados do Ipea, houve crescimento de 211% da população em situação de rua

Quando me deparei com aquele homem imundo, cabelo todo desgrenhado, sentado num contêiner de lixo orgânico numa quadra do Plano Piloto de Brasília, a vontade de chorar bateu forte e lágrimas involuntárias escorreram. É muito triste enxergar a desesperança nos olhos de alguém.

No Brasil, 206.044 pessoas encontram-se sem teto segundo dados do Observatório Brasileiro de Políticas Públicas com a População em Situação de Rua. São homens, mulheres, adolescentes e crianças. A maioria (7 em cada 10) é negra –mais um dos frutos do racismo à brasileira.

Na capital federal, as estimativas dão conta de 7.129 indivíduos nessas condições. O que coloca nossa mais famosa cidade planejada entre os cinco municípios com maior população sem teto do país, ao lado de SP (54.226 pessoas), RJ (12.752), BH (11.111) e Salvador (7.229).

Dados do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas apontam que, de 2012 a 2022, houve crescimento de 211% da população em situação de rua.

Por definição legal (decreto 7.053/2009), esse é um “grupo populacional heterogêneo que possui em comum a pobreza extrema, os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados e a inexistência de moradia convencional regular, e que utiliza os logradouros públicos e as áreas degradadas como espaço de moradia e de sustento, de forma temporária ou permanente, bem como as unidades de acolhimento para pernoite temporário ou como moradia provisória”.

Fico me perguntando o que leva o governo de SP a crer que pode mitigar problema tão complexo mandando para roça uma população absolutamente diversa e não necessariamente familiarizada com as lides do campo? Essa gente não vai continuar precisando de um teto? E o direito à liberdade, como fica? Isso sem falar que a pobreza costuma ser mais dura na zona rural.

O coração pode não sentir o que os olhos não veem, mas maquiar a realidade nunca foi solução para problema algum.

+ sobre o tema

CPI aprova relatório e propõe criação de plano para reduzir mortes de jovens

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência contra...

A negritude e o universal africano

Os múltiplos significados do conceito de “negritude” vistos pelas...

Elio Gaspari: A cota de sucesso da turma do ProUni

Fonte: Folha de São Paulo - ELIO GASPARI...

Esta foto circulou pelo WhatsApp em mais um absurdo episódio de racismo no Brasil

Edna Matos e a filha, Dandara Matos, tiveram foto...

para lembrar

Tintim, acusado de racismo, gera nova polêmica nos EUA

Fonte: UOL Entretenimento - NOVA YORK, EUA, 1 Set...

‘Guardian’ acusa universidade Oxford de racismo na seleção de alunos

Renomada universidade americana, Oxford daria preferência a alunos de...

Corte da Bolsa Permanência é racismo institucional, afirma indígena

Estudantes indígenas e quilombolas da Universidade Federal do Pará...

A resposta da Miss Bélgica aos comentários racistas que recebeu após a coroação

Coroada Miss Bélgica no último dia 13 de janeiro,...
spot_imgspot_img

Número de crianças e adolescentes mortos pela polícia cresce 58% sob governo Tarcísio, apontam dados da SSP

O número de crianças e adolescentes mortos pela polícia aumentou 58% entre 2022 e 2023 — primeiro ano do governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos) —,...

A ‘inteligência artificial’ e o racismo

Usar o que se convencionou chamar de "inteligência artificial" (pois não é inteligente) para realizar tarefas diárias é cada vez mais comum. Existem ferramentas que, em...

Funcionária de academia será indenizada por racismo: “cabelo de defunto”

Uma funcionária de uma academia em Juiz de Fora (MG), na Zona da Mata, será indenizada em R$ 15 mil por sofrer racismo. De...
-+=