Os nove pentes d’África

Escritora Cidinha da Silva, colunista da Fórum, lança a segunda edição de seu livro Os nove pentes d’África em quatro cidades brasileiras. Confira as datas e os locais

Por Cidinha da Silva, do Revista Fórum 

O livro Os nove pentes d’África (2009) chegou a roteiro de cinema, mesmo feito de afogadilho para concorrer em editais de audiovisual, mas as negociações não vingaram e o projeto foi abortado. Contudo, foi uma alegria saber que o livro tem essa vocação cinematográfica e que pode interessar a produtoras.

Alegria maior, entretanto, é chegar à segunda edição impressa. Foram três mil exemplares distribuídos por mãos e estantes e muita gente cobrando à editora uma obra esgotada. Agora teremos mais mil exemplares para trabalhar. Para uma escritora como eu, devota do livro físico, isso é tudo. Os outros caminhos são auxiliares.

O momento em que o livro sai do forno, então, é de irrestrita comemoração. É inevitável rememorar a trajetória do Pentes. As andanças pelo Brasil para lançar a primeira edição, tudo do mundo que pude conhecer a partir dele e das leituras que as pessoas fizeram. Os comentários, os sorrisos, as resenhas, os artigos e estudos acadêmicos, os desenhos, as peças de teatro escolares, a emoção de tanta gente.

Relembro também o processo de composição do livro, propriamente. Eu o escrevi em uma semana e quando coloquei o ponto final no último capítulo, Rita Benneditto cantava para Oxalá. Foram cinco manhãs de escritura e meses anteriores, cinco ou seis, para definição do número de pentes, rascunhos de diálogos, desenho da planta baixa do livro, desenvolvimento de personagens, articulação dos capítulos com a ideia central de sabedoria e amorosidade de Francisco Ayrá e Berna, de forma a manter sua independência e sentido como capítulos individualizados. Foram três meses de revisão do copião a partir das leituras críticas de alguns amigos e amigas, convocados para exercer tarefa fundamental. Também as brigas com a editora não podem faltar na coleção de lembranças.

Cada livro me ensina muito sobre processos editoriais. O Pentes talvez tenha sido o maior mestre. Este livro é muito querido porque foi ele que me deu a certeza de ser escritora. Antes dele, como eu mesma me definia, me via como artivista, fazia ativismo político pela escrita. Para escrever o Pentes isso já não me bastava, eu queria produzir literatura, boa literatura. Queria ser artista e passei a sê-lo. Uma artista politicamente posicionada, como parece ser  meu destino.

Nessa etapa inicial de divulgação da 2ª edição da obra, quatro cidades nos acolherão: Curitiba, Salvador, São Paulo e Campinas. Veja abaixo onde acontecerá cada uma das rodas de conversa. Apareça e convide os amigos.

Até lá!

O QUE: Lançamento da 2ª edição de Os nove pentes d’África e roda de conversa com a autora, Cidinha da Silva, em quatro cidades brasileiras

CURITIBA – 28 DE AGOSTO DE 2015 às 19:00

ONDE: Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros/NEAB – UFPR (Anfi 100 no Ed. D. Pedro I, Centro, Curitiba)

SALVADOR – 01 DE SETEMBRO DE 2015 às 18:00

ONDE: Katuka Africanidades (Praça da Sé, nº 1 – em frente ao Museu da Misericórdia)

SÃO PAULO – 03 DE SETEMBRO DE 2015  às 19:00

ONDE: Complexo Cultural FUNARTE São Paulo (espaço Galeria) – Alameda Nothmann, 1058/Campos Elíseos (próximo à estação Santa Cecília do Metrô)

CAMPINAS – 04 DE SETEMBRO DE 2015 às 19:00

ONDE:  IBAÔ – Ponto de Cultura e Memória Ibaô (Rua Ema 170,  Vila Padre Manoel da Nóbrega, Campinas)

(*) Cidinha da Silva é escritora. Publicou, entre outros, Racismo no Brasil e afetos correlatos (Conversê, 2013) eAfricanidades e relações raciais: insumos para políticas públicas na área do livro, leitura, literatura e bibliotecas no Brasil (FCP, 2014). Despacha diariamente em sua fanpage

+ sobre o tema

Cuti – Padê Poema 30: Mamice

  Padê Poema 30 Mamice sou daquelesque cobram...

Júlio Silva prepara sua aposentadoria jogando torneio de veteranos

Júlio Silva, tenista que está no circuito profissional...

Padê Poema 41 – Cuti

    Saiba Mais: Padê poema 40 -...

Padê Poema 44 – Cuti

  Leia Também: Padê poema 40 - Cuti  Padê Poema 41...

para lembrar

Crônicas no limiar do poético: Baú de miudezas, sol e chuva

Um texto só é um texto se ele oculta...

A merendeira e os biscoitos na escola

Dona Elvira era uma preta de formas generosas, tão...

Não existe bolha para proteger do racismo

Mais um caso de racismo ganha milhares de curtidas...

O cabelo dos meninos pretos – por Cidinha da Silva

Por Cidinha da Silva Algo de sinistro acontecia com os...
spot_imgspot_img

Conceição Evaristo é eleita a nova imortal da Academia Mineira de Letras

A escritora Conceição Evaristo, 77, foi eleita nesta quinta (15) membro da Academia Mineira de Letras, na cadeira número 40, já ocupada por Afonso Pena Júnior e...

“O Retorno” | Atlânticos em transe sob a lua de Luanda, por Cidinha da Silva. Ep.6

Minha irmã, tu não conhecerias Luanda se não tivesses passado pela corrupção institucional, te faltaria um pedaço importante de percepção desta terra de mártires...

“Inácia” | Atlânticos em transe sob a lua de Luanda, por Cidinha da Silva. Ep.5

— Senhora, senhora! Eu corri atrás da zungueira para entregar-lhe um galho seco e sem cheiro que caíra da bacia que carregava na cabeça....
-+=