‘Papai, te odeio’: O relato chocante de uma menina argentina, vítima de abuso sexual

“Começou quando eu tinha mais ou menos quatro anos, como algo tão inocente como é um urso de pelúcia.”

Do HuffPost Brasil

n-ABUSO-SEXUAL-large570

O relato acima é de Micaela, uma jovem que vive em Buenos Aires, e que hoje tem 17 anos. Ela criou uma página no Facebook, chamada “Por una infancia sin dolor” (“Por uma infância sem dor”, em tradução livre).

No espaço, ela narra como foi sua infância, marcada por abusos sexuais do seu próprio pai. Segundo a jovem, os abusos começaram quando ela tinha quatro anos.

“Ele tinha um gorila e uma ursinha de pelúcia, e me dizia que os dois eram noivos, e que ele iria me ensinar a brincar. Joguei Chicho, o gorila, longe mil vezes, na esperança que tudo fosse terminar”, conta ela.

Em um texto, intitulado “Papai, te odeio”, ela segue: “Pai, como você lê tudo o que publico, espero que também leia isso. Você e seu advogado merecem cair no mesmo inferno. Espero que nem hoje, nem nunca, você possa dormir em paz. Lembre-se da minha voz infantil pedindo que você me deixasse em paz. Espero que isso lhe tire o sono”.

De acordo com o La Nacion, foram profissionais da escola de menina que perceberam que algo estava acontecendo com ela.

Após uma avaliação psicopedagógica, o abuso foi descoberto. A jovem e sua mãe deixaram a casa da família, e denunciaram o pai. “Eu tenho um irmãozinho de sete anos, e minha mãe não trabalha, ela não quer que ele vá preso, suponho que para não perder o dinheiro que ele nos dá para alimentos. Minha mãe soube dos abusos quando era tarde demais“, contou ela ao Crónica.

À mesma publicação, ela contou que, além de estuprá-la, o pai a obrigava a participar de chats pornográficos quando ela tinha sete anos.

Em seus textos, ela pede que vítimas de abuso não se calem: “Me custou muito entender, mas nós não tivemos culpa, e a vergonha tem que ser do abusador, não nossa. Por isso mostro minha cara e digo a todos vocês, que caso saibam de algo, não olhem para o outro lado”.

“Para todos os adultos que me leem neste momento: todos conhecemos um menino ou uma menina, e é responsabilidade de todos fazer com que sua infância seja feliz e sem abusos”.

+ sobre o tema

SUS terá atendimento para mulheres e vítimas de violência doméstica e sexual

O atendimento especializado para mulheres e vítimas de violência...

Exposição reforça a luta pelo direitos da mulher negra no Brasil

Mostra pode ser visitada até o dia 21 de...

Daniela Mercury é a 5ª mulher a rejeitar convite para a Cultura

Segundo a Folha de S. Paulo, a cantora foi...

Após vivenciar violência contra mulher, jovem cria projeto fotográfico

Ensaio fotográfico, assistência social e psicológica fazem parte do...

para lembrar

SEPPIR e ONU Mulheres se unem na articulação de projetos para os grandes eventos esportivos

Propostas foram discutidas hoje (10/06) em audiência da representante...

Lea T. deve fazer mudança de sexo ainda em 2011

Lea T. contou que deve fazer a mudança de...

Vídeo de campanha publicitária quer mostrar vida normal de casal gay com filhos

Os americanos Kordale e Kaleb ficaram conhecidos após foto...

“A experiência negra e gay nem sempre é contada”, diz ator de Sex Education

O ator Ncuti Gatwa – 26 anos – interpreta...
spot_imgspot_img

Mãe Hilda de Jitolú, a matriarca do Ilê Aiyê

Em 1988, quando uma educação afrocentrada ou antirracista ainda não estava no imaginário brasileiro, uma mulher preta que nunca frequentou a escola abriu sua casa, em Salvador (BA)...

Aos 80 anos, Zezé Motta celebra uma carreira de grandes feitos e garante: “Eu não paro!”

É com um sorriso solto e uma presença indescritível que Zezé Motta conversa comigo no camarim do estúdio onde fotografamos as imagens e a capa que...

Justiça nega aborto legal de adolescente de 13 anos após seu pai pedir manutenção da gravidez

Uma adolescente de 13 anos que vive em Goiás teve o aborto legal negado pelo TJ-GO (Tribunal de Justiça de Goiás), após o pai da jovem...
-+=