Parceiros discutem Encontro do Ano Internacional dos Afrodescendentes

Agendado para acontecer em Salvador, nos dias 17, 18 e 19 de novembro, evento deverá reunir cerca de sete chefes de Estado, parlamentares e representações do movimento social negro.

A capital baiana sediará em novembro, o Encontro Mundial do Ano Internacional dos Afrodescendentes – importante reunião sobre questões relativas a essa população nos países Ibero-Americanos. Para definir diretrizes, reuniram-se hoje (05), na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), representantes dos órgãos parceiros na organização do evento. As atividades acontecerão de 17 a 19 de novembro, em Salvador, marcando as celebrações do 20 de Novembro – Dia da Consciência Negra, e do Ano Internacional dos Afrodescendentes – 2011, conforme a resolução 64/169 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Devem participar do encontro políticos e representantes de movimentos sociais e chefes de Estado de diversos países com população afrodescendente, como Cuba, Colômbia, Venezuela, Nicarágua, Panamá, Caribe e México, além de autoridades de países africanos. Além de uma reunião de chefes de estado e de governo no dia 19, o encontro prevê atividades voltadas para a sociedade civil e a construção de uma carta de Salvador. Entre as mesas de debates, uma será dedicada à discussões acerca da influência africana no Caribe e na América Latina, em função do legado da África para a história e cultura desses países.

A organização do evento, proposto pela Secretaria Geral Ibero-Americana (Segib), ficará a cargo do Itamaraty, da Seppir e da Secretaria de Promoção da Igualdade do Estado da Bahia (Sepromi), com apoio da Secretaria estadual para Assuntos Internacionais e da Agenda Bahia (Serinter). O ex-ministro da Cultura, Juca Ferreira, é o embaixador Especial da Segib para a Comemoração do Ano Internacional dos Afrodescendentes.

Na reunião de trabalho ocorrida hoje, no gabinete da ministra da Seppir, Luiza Bairros, representaram o Ministério das Relações Exteriores, o ministro chefe do Departamento de Temas Sociais do Itamaraty, Sílvio Albuquerque, os diretores da Segib, German da Rosa e Alice Pessoa de Abreu, o presidente da Fundação Cultural Palmares da Secretaria de Cultura da Bahia, Ubiratan Castro, o secretário da Serinter, Fernando Schimidt.

Segib- A Segib é uma organização internacional com sede em Madri, criada em 2003, fruto da I Cúpula Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo celebrada em 1991. É constituída por 22 países – 19 na América Latina e três na Península Ibérica, Espanha, Portugal e Andorra. A Segib é o órgão permanente de apoio institucional e técnico da Conferência Ibero-americana realizada dentro da Cúpula.

Os objetivos da organização são auxiliar na preparação, coordenar e executar mandatos das Cúpulas de Chefes de Estado e de Governo, fortalecer a cooperação no marco da Conferência Ibero-americana, promover e estreitar vínculos históricos, culturais, sociais e econômicos entre os países ibero-americanos, reconhecendo e valorizando a diversidade entre seus povos, e contribuir para o fortalecimento e integração da Comunidade Ibero-americana, além de promover sua projeção internacional.

Fonte: Fator

+ sobre o tema

Preto e dinheiro são palavras rivais???

Por Bruno Rico Do Afro21 Precisamos aprender a reconhecer algo histórico,...

“Para branco sempre tem espaço”, diz Vovô do Ilê sobre dívida do bloco afro

Bloco passa por momento complicado, com dívidas que chegam...

para lembrar

Para comunidade quilombola, trabalhar significa ficar longe da família

por Júlia Dias Carneiro Adelvan da Paixão, de 30...

Militantes do Educafro fazem greve de fome em frente ao Palácio do Planalto

Yara Aquino   Brasília - Cinco militantes do Educafro,...

Cúpula dos Povos: afro-religiosos debaterão justiça ambiental

  No mesmo período em que o Rio...
spot_imgspot_img

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....

Com discurso de Lula e da ministra Anielle Franco no Fórum de Afrodescendentes na ONU, Geledés aponta que o Brasil está no caminho certo...

“Para Geledés, o Fórum Permanente de Afrodescendentes é extremamente importante, porque pode construir, no sentido mais amplo, compromissos de enfrentamento ao racismo global. Sobre...

Levantamento mostra que menos de 10% dos monumentos no Rio retratam pessoas negras

A escravidão foi abolida há 135 anos, mas seus efeitos ainda podem ser notados em um simples passeio pela cidade. Ajudam a explicar, por...
-+=