Pequenas felicidades

Para quase todos, chega uma época em que os lençóis não se incendiam mais, em que os espelhos perdem sua generosidade. É quando nos tornamos matematicamente pessoas com o tempo passado mais extenso do que os possíveis anos futuros.

Por Fernanda Pompeu em seu blog 

Foto: Lucíola Pompeu

É mais ou menos nesse degrau de vida que passamos a prestar atenção nas pequenas felicidades. Aquelas que nos abraçam mansas e despretensiosas. Elas nem batem à porta, vão entrando com a intimidade das sandálias velhas.

Se comparássemos a um gênero musical, a pequena felicidade seria mais bossa nova do que samba. Mais música de câmara do que sinfonia. Também seria mais igrejinha de bairro do que catedral. Mais lojinha de esquina do que lojona de shopping.

De alguma maneira, penso que precisamos envelhecer para notar e valorizar o detalhe, a meia palavra, a atmosfera. Talvez isso ocorra porque os olhos já quase tudo viram, os ouvidos escutaram risos e dores. E a boca muito falou, muito beijou, muito calou.

Faz 4 anos, tive essa experiência de felicidade. Aconteceu na praça Vicentina de Carvalho, na paulistana Vila Madalena. Estávamos eu, meu pai, minha mãe. Ele com 83 anos. Ela, 80. Eu, mocinha, com meus 57.

Irei descrever a cena. Meu pai sentado na cadeira de rodas, minha mãe, ao lado dele, sentada numa cadeirinha desmontável. Os dois debaixo de uma frondosa árvore. Réstias de sol iluminavam os rostos e os olhos deles.

Imitei a pintora que para avaliar o quadro que está trabalhando se afasta para enxergar melhor. Foi o que fiz, me distanciei alguns metros. Daí pude ver a mulher e o homem vividos,  agridocidados pelas experiências. Será que sonhando nuvens?

Estavam tão plenos! Exatamente montados no presente. Ao contrário de mim, não tinham nenhuma agonia de agendas e relógios. Eles apenas olhavam para o sutil bater do vento nas flores de um manacá.

isso? Entendi que era tudo isso. A vida se apresentando sem artifícios, sem subterfúgios. Nua. Presenciá-los sentados em suas cadeirinhas, entregues à concretude do instante, me encheu de felicidade. Da grande felicidade.

Leia o começo desse casamento em Taubaté

+ sobre o tema

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e...

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a...

para lembrar

Ritalina, uma perigosa “facilidade” para os pais

Especialista condena o uso do remédio sem antes considerar...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as...

Tribunal obriga ‘super-herói’ a ‘revelar identidade’ nos EUA

Parece coisa de filme, mas a cidade de...

Leci Brandão lançará Frente Parlamentar em Defesa da Cultura

A iniciativa da deputada comunista já recebeu adesão de...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste ano, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque...

‘Criança não é mãe’: manifestantes em todo o Brasil protestam contra PL da Gravidez Infantil

Diversas cidades do país receberam na noite desta quinta-feira (13) atos de movimentos feministas contra o projeto de lei que equipara aborto a homicídio,...

É sórdido condenar vítima de estupro por aborto

É sórdido e apequena a política o Projeto de Lei que ameaça condenar por homicídio meninas, jovens e mulheres que interromperem gestações, ainda que...
-+=