Pescadores africanos denunciam no Uruguai escravidão em barco chinês Comente

Montevidéu, 21 mai (EFE).- Um grupo de 28 pescadores de Serra Leoa e Gana denunciaram no Uruguai terem sido escravizados e vítimas de maus-tratos e desnutrição em um barco chinês que atracou em Montevidéu, informaram nesta quarta-feira fontes do governo e sindicais.

Os pescadores desembarcaram em péssimas condições físicas na capital uruguaia durante o fim de semana e denunciaram no sindicato da categoria e para as autoridades a situação no barco, no qual estavam há sete meses trabalhando sem receber salário.

Além disso, os homens acusaram os donos do barco pesqueiro de golpeá-los, humilhá-los, negar água potável e fornecer apenas arroz com sal nas refeições, explicou hoje à Agência Efe Carlos Vega, secretário-geral do Sindicato de Trabalhadores do Mar do Uruguai (SUNTMA).

O governo uruguaio informou em comunicado que se inteirou do caso ontem, forneceu assistência médica aos afetados e encaminhou uma denúncia apresentada pelo representante legal dos africanos para um tribunal de Montevidéu.

“Não é possível que em pleno século 21 exista escravidão, pois as condições destes companheiros era de escravidão. Alguém precisa responder pelos pescadores, sua saúde e salários”, disse Vega.

Segundo o secretário-geral, os trabalhadores foram contratados na Libéria por uma empresa chinesa e embarcaram em uma frota de três navios dessa nacionalidade dedicados à pesca de lula.

“Eram três barcos que operavam na zona, mas só um deles desembarcou todos seus tripulantes. Sabemos que outro dos navios foi embora ao saber o que ocorria”, disse Vega.

Os pescadores apresentaram a denúncia depois que um grupo deles que caminhava pelo porto de Montevidéu encontrou um trabalhador africano sindicalizado e decidiu apresentar a denúncia.

“Eles tinham medo de fazer a denúncia, não conheciam o país, nem o idioma, por sorte no sindicato temos companheiros que puderam ajudar. Isso levou à denúncia da barbárie”, afirmou.

Fonte:uol

+ sobre o tema

“Papáveis” africanos disputam para suceder Bento XVI

Bento XVI apresentará sua renúncia oficial ao Pontificado...

Descolonização continua a ter «sentido negativo» para muitos portugueses

Quase quatro décadas depois, a palavra descolonização continua...

Europa caminha para o estado de mal-estar social

Tese é do sociólogo Boaventura Sousa Santos; ele...

Conflitos africanos são alimentados pelo Ocidente

O presidente do Zimbabwe, Robert Mugabe, acusou os...

para lembrar

Genocídio Brasileiro

Vocês querem saber qual é o estado de espírito,...

Maceió: Movimento negro denuncia ação de policiais à Promotoria de Justiça de Direitos Humanos

Representantes do movimento negro, a professora universitária Franqueline...

Classe média antipetista irá pagar em breve o preço de apoiar Temer

O colunista Jânio de Freitas, em artigo publicado na...
spot_imgspot_img

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU em Genebra, na Suíça, com três principais missões: avançar nos debates...

Conselho de direitos humanos aciona ONU por aumento de movimentos neonazistas no Brasil

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), órgão vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, acionou a ONU (Organização das Nações Unidas) para fazer um alerta...

Ministério lança edital para fortalecer casas de acolhimento LGBTQIA+

Edital lançado dia 18 de março pretende fortalecer as casas de acolhimento para pessoas LGBTQIA+ da sociedade civil. O processo seletivo, que segue até...
-+=