PM ‘confunde’ madeira com fuzil e mata morador na Cidade de Deus

Enviado por / FontePor Lola Ferreira, Do UOL

O catador de materiais recicláveis Dierson Gomes da Silva estava com um pedaço de madeira, que ele sempre carregava, no quintal de casa, quando foi atingido pelos tiros.

A PM afirma que a localidade é “historicamente deflagrada” e que o pedaço de madeira “aparentava ser um fuzil, pendurado em uma bandoleira”.

A Polícia Civil fez perícia no local e ouve testemunhas. Já a PM diz investigar o caso internamente e que as armas serão entregues à polícia.

“Ele era como uma criança grande, brincava com todo mundo. Devido às adversidades da vida e dificuldade, ele catava recicláveis pela rua. Sempre foi batalhador, na comunidade todo mundo conhecia ele. Era um cara do bem.” Morador da Cidade de Deus sobre o catador morto pela PM

Moradores protestaram contra os policiais aos gritos de “assassinos”.

+ sobre o tema

Nath Finanças entra para lista dos 100 afrodescendentes mais influentes do mundo

A empresária e influencer Nathalia Rodrigues de Oliveira, a...

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do...

Crianças do Complexo da Maré relatam violência policial

“Um dia deu correria durante uma festa, minha amiga...

Concurso unificado: saiba o que o candidato pode e não pode levar

A 20 dias da realização do Concurso Público Nacional...

para lembrar

spot_imgspot_img

Gibi, 85 anos: a história da revista de nome racista que se transformou em sinônimo de HQ no Brasil

Um dicionário de português brasileiro hoje certamente trará a definição de gibi como “nome dado às revistas em quadrinhos” — ou algo parecido com isso....

Estudante negra de escola pública ganha prêmio com pesquisa que apontou racismo em dicionários: ‘racismo enraizado na fala’

Uma aluna do Ensino Médio do Instituto Federal São Paulo, de Bragança Paulista (IFSP), conquistou medalha de ouro após apresentar uma pesquisa sobre racismo, durante a...

Alunos de colégio em Brasília sofrem ataques racistas em torneio de futsal

A Escola Franciscana Nossa Senhora de Fátima afirma que estudantes do colégio Galois chamaram seus alunos de "macaco", "filho de empregada" e "pobrinho" durante...
-+=