Fachin determina que RJ apresente cronograma para câmeras em fardas policiais

Enviado por / FonteCNN, por Pauline Almeida

Instalação de câmeras será em fardas e viaturas de agentes de segurança integrantes de unidades especiais, e também dos batalhões com maiores índices de letalidade policial no estado

Em decisão desta segunda-feira (19), o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu cinco dias para que o Governo do Rio de Janeiro apresente um cronograma para instalação de câmeras nas fardas e viaturas de agentes de segurança integrantes de unidades especiais e também dos batalhões com maiores índices de letalidade policial no estado.

Fachin aponta que os equipamentos devem captar tanto áudio quanto vídeo. O ministro também indica que o cronograma precisa ser cumprido “da forma mais expedita possível” e inclusive com o remanejamento de equipamentos já instalados em batalhões com menor índice de óbitos, se for necessário.

O Estado tem cinco dias corridos, contados mesmo durante o recesso judicial, para responder. A instalação de câmeras em fardas e viaturas policiais no Rio começou em maio, mas somente em algumas unidades.

Em nota, o Governo do Rio informou que recebeu a notificação do Supremo Tribunal Federal e prestará os esclarecimentos dentro do prazo determinado pelo STF. “Em relação às câmeras operacionais portáteis, já estão em funcionamento na Polícia Militar cerca de 9 mil bodycam, adquiridas pelo governo do estado na maior licitação desse tipo de equipamento já feita no País”, divulgou.

CNN também buscou um posicionamento das polícias Militar e Civil, além da Procuradoria do Estado, e aguarda retorno.

No despacho desta segunda-feira, Fachin também determinou que o Conselho Nacional de Justiça avalie o plano de redução da letalidade policial apresentado pelo Estado e encaminhe um parecer ao STF em 30 dias.

Na última semana, após ser questionado pelo Supremo, o governo apresentou uma nova redação do texto e aponta que acrescentou sugestões vindas da sociedade civil e entidades, após a realização de uma audiência e uma consulta públicas realizadas por determinação judicial.

O terceiro pedido feito por Fachin é que o Governo do Rio de Janeiro ainda apresente um maior detalhamento de metas e indicadores usados para planejar a redução de óbitos durante a ação das polícias.

Leia Também:

‘Morre na moral aí’: diz PM em vídeo após atirar em suspeito desarmado em SP que implorou para ser levado a hospital

Corregedoria acusa policiais militares de executar suspeito desarmado e já dominado em SP

+ sobre o tema

A certeza da impunidade: Árbitro não registra em súmula racismo contra Aranha no RS

O goleiro Aranha foi vítima de xingamentos racistas durante...

Querido atleta branco

Foi com enorme desprazer que me deparei com a...

Carrefour diz ter interesse em apuração de violência racista

Fonte: Afropress - S. Paulo - O Supermercado Carrefour afirmou...

Racismo na França, diversidade cosmética

Por Pedro Chadaverian, Sociólogo franco argelino sustenta: banido...

para lembrar

Mulher elogia Hitler “por matar pretos” e é demitida

Uma operadora de caixa de 20 anos foi demitida...

Corte anula gancho de Muntari por sair de campo após racismo

A corte de apelação da Federação Italiana de Futebol...

Justiça do DF condena jovem acusado de racismo na internet

Fonte: G1 - Marcelo Mello escreveu mensagens preconceituosas no...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=